quarta-feira, 16 de abril de 2014

Garotinho defende remodelação de UPPs: "puro marketing"

BRASIL247
 O deputado federal e pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR), criticou as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), implementadas no governo de Sérgio Cabral (PMDB). Para ele, as UPPs são "puro marketing" e "precisam ser reformuladas". O ex-governador do Rio também reforçou que os policiais precisam de treinamento adequado e lembrou que, em sua gestão, os PMs só saíam às ruas após dois anos de treinamento (hoje eles podem ser escalados para atuar em uma UPP depois de seis meses).
Na opinião do parlamentar, se não houver programas sociais realizados em paralelo ao policiamento, não há resultados. Garotinho disse que, na implantação experimental do GPAE (Grupamento de Policiamento em Áreas Especiais) no Morro do Cavalão, em Niterói, em seu governo, foi observado o seguinte problema: "se não houvesse um programa social para essa faixa, jovens entre 16 e 21 anos, a faixa que mais morre e mais mata, e para evitar a fuga de bandidos, de nada adiantaria nosso esforço". Por isso, reforçou: "tem que investigar, prender os bandidos e entrar com projetos sociais".

A realidade do alojamento do 23º BPM - Leblon

O vídeo, que tem duração de dois minutos e cinqüenta segundos, um policial militar anda pelos corredores do alojamento narrando as condições do mesmo. As imagens mostram policiais militares dormindo no chão, sobre pedaços de papelão, bolsas com os seus pertences também no chão, banheiros sujos com lixo acumulado e sem luz, armários enferrujados e sem porta, insetos e lixo espalhado pelo chão.

Imagens feita por celular de um policial militar denunciam descaso das autoridades com a categoria
Relato do policial:
"Agora os senhores vão ver as condições precárias, que nós policiais militares estamos vivendo, e amanhã temos que levantar cedo ainda para poder tomar conta da comunidade, pra poder prevenir o tráfico de drogas, pra poder zelar pela nossa população, e é aqui que os nossos policiais estão descansando, em meio à poeira, no taco, sem um colchão, condições dignas zero... Agora os direitos humanos tem que olhar também pra gente. É uma sensação de abandono, de ser só número. Agora vamos ver as condições dos nossos banheiros, que nem luz tem. Cheio de papel aqui, assim que eles deixaram pra gente. Se a gente não arrumar, a gente chegou não tem nem um dia, a gente chegou hoje. É dessa forma aí que a polícia quer que nós policiais militares estejam com todo vigor patrulhando... Aqui outro companheiro que ajeitou alguns papelões. Aqui ta tudo jogado. Se a gente não der nosso jeito... É isso aí governador. Aqui é o vigésimo terceiro batalhão do Leblon, a assistência que nos dão. Aqui é bairro nobre".
leia a reportagem toda:  O DIÁRIO 

video


terça-feira, 15 de abril de 2014

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA ENTRA EM GREVE

 Os policiais militares da Bahia decidiram, em assembleia-geral realizada nesta terça-feira (15), no espaço Wet'n Wild, na Avenida Paralela, decretar greve por tempo indeterminado, com início imediato. Como já era sinalizado tanto pelos praças quanto pelos oficiais, a categoria não aceitou as propostas do governo do Estado, que apresentou a Lei de Modernização da PM na última quinta (10), a qual foi considerada um "retrocesso" pela classe. Apesar da reunião entre representantes da categoria e do Palácio de Ondina e apresentação de "avanços"em itens do Código de Ética da PM e da progressão salarial, não houve acordo em relação às reivindicações dos policiais, a exemplo do pagamento da Unidade Real de Valor Monetário (URV). Segundo o comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro, o governo se comprometeu a rever as gratificações das Condições Especiais de Trabalho (CET). A dos praças passaria de 17% para 45%; do motorista-praça, de 32% para 60%, com o mesmo porcentual estendido aos policiais administrativos. Já os funcionários do Colégio da PM e outros receberiam 25%. Conforme a proposta, haveria discussão do Código de Ética, rediscussão do plano de carreira e revisão processos administrativos disciplinares oriundos da greve de 2012. Também seria regulamentado o artigo 92 do Estatuto da Polícia, que versa sobre os auxílios moradia, funeral, alimentação e outros ganhos da agremiação. Os tópicos foram apresentados ponto a ponto pelo vereador Marco Prisco (PSDB) e, apesar dos aplausos a cada anúncio, rejeitados pela maioria dos mais de 2 mil policiais presentes à casa de shows, aos gritos de "ô, a PM parou".

VITIMADOS DA POLÍCIA MILITAR, CIVIL, BOMBEIROS E AGENTES DO DESIPE





 Hoje  votação do aumento do Auxílio Invalidez e a inclusão de mais vitimados para receber o benefício.

A última canetada de Sérgio Cabral


CASO MARIA UPP: Alguns policiais teriam sido expulsos de casa por suas respectivas mulheres

PMs que teriam se envolvido com a 'Maria UPP' sofrem com ciúmes das esposas

Depois da Corregedoria da Polícia Militar começar uma investigação sobre a denúncia de que militares de serviço fizeram sexo com uma mulher, apelidada de "Maria UPP", nas bases de Unidades de Polícia Pacificadora, as esposas de alguns PMs também "entraram em ação". Elas estão expulsando de casa os maridos infiéis e, pelo menos, 30 deles já teriam recebido o "cartão vermelho".
Reconhecido como um dos PMs fotografados em uma cena de sexo oral com a Maria UPP, um soldado lotado numa favela pacificada da Zona Norte do Rio e casado com uma policial militar está dormindo no 22º BPM (Benfica) desde domingo. Fotos e vídeos da Maria UPP em ação circulam entre os policiais através de mensagens de WhatsApp, aplicativo de bate-papo pelo celular.
A "tropa das patroas" tenta chegar à tal Maria UPP. Para isso, elas já estão montando escalas de visitas surpresa aos maridos durante as madrugadas, hora em que a moça costuma se "apresentar" para o serviço, que é feito de graça.
Nesta segunda-feira, um dia depois da publicação da reportagem no MEIA HORA , a Maria UPP, que se diz viciada em sexo com PMs, foi flagrada mudando de rota: ela trocou as Unidades de Polícia Pacificadora nas favelas e esteve num batalhão. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) instaurou uma sindicância para levantar quais unidades foram visitadas pela mulher e quais policiais se relacionaram com ela durante o horário de serviço. Após a conclusão desse procedimento apuratório, o caso será encaminhado à 8ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM).
Posto de ‘musa’ é disputado por moradora do Adeus
Adiantada nas investigações para fechar o cerco aos maridos infiéis, a "tropa das patroas" descobriu que a Maria UPP — uma pernambucana de 23 anos moradora da Praça Seca, na Zona Oeste do Rio — tem uma concorrente à altura, que mora no Morro do Adeus, no Complexo do Alemão, na Zona Norte, e disputa com ela o título de "Musa dos PMs". Apesar de não ser tão ousada como a rival — que tatuou a sigla UPP perto da virilha —, ela também é desinibida e pode ser vista em vídeo acompanhada por outros cinco PMs fardados.
A Maria UPP "original" já teria se deitado com mais de mil PMs. Nas fotos dela em ação, a moça aparece com mais de um policial. Em uma das imagens, ela está vestindo uma farda e segurando um fuzil; e em outra, um homem apoia uma pistola em suas costas.

DAS - Diretoria de Assistência Social oferece serviços que podem ajudar a quem necessita de apoio em situações limites

COLUNA DO SERVIDOR

 
O caso de Marinete Ivo de Souza ( leia aqui ),  pensionista de policial militar que teve o seu benefício cortado pelo estado, revelado semana passada, despertou preocupação da classe. A coluna foi à Polícia Militar conhecer os direitos dos ativos, inativos e pensionistas da corporação. A Diretoria de Assistência Social oferece serviços que podem ajudar a quem necessita de apoio em situações limites.
A parceria com a Defensoria Pública beneficia aqueles que precisam de orientação jurídica para tratar, por exemplo, de assuntos relacionados à área de família, como pensão e divórcio.

“A Assistência Social é uma área multidisciplinar e, como temos a assessoria da Defensoria Pública, podemos oferecer orientação ao policial ou ao seu familiar. Nós não vamos ficar escondendo os direitos das pessoas. É importante dar apoio no momento difícil da vida”, relatou o coronel Jorge Ricardo, diretor da Diretoria de Assistência Social (DAS) da PM do Rio.
O militar procurou a coluna em solidariedade ao caso de dona Marinete, que por problemas de comprovação de documentação no Rioprevidência teve a pensão cortada e o processo agora está na esfera judicial. A viúva chegou a receber cestas básicas da Polícia Militar, já que o benefício era o único sustento. Contudo, precisa da situação regularizada no sistema para voltar a contar com os benefícios da DAS.
Segundo o advogado Marcelo Queiroz, os problemas das pensionistas são recorrentes e abrangem diversas áreas: “Existem milhares de pensionistas que recebem abaixo da metade do que deveriam, por exemplo. Além da morosidade da estrutura da autarquia, o desconhecimento de seus direitos acaba colocando as pensionistas em situação de penúria”. Ele orienta que as seguradas devem procurar os órgãos a que pertenciam os extintos servidores para que tenham orientação preliminar.
O coronel Jorge Ricardo diz que o policial militar ou os familiares podem ir à sede da DAS, em São Cristóvão, que fica no 4º BPM. Há também núcleos descentralizados na Baixada Fluminense, em Mesquita, Niterói, Volta Redonda e Campos. Segundo o militar, existe projeto de criar novos núcleos na Região Serrana e nas unidades de ensino da corporação.
Ele cita que também há assistentes sociais nas unidades de saúde, como Hospital Central da PM no Rio e Niterói. Os casos são acolhidos e distribuídos para setores que podem solucionar os problemas.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

CORREGEDORIA INVESTIGA: Maria UPP aparece em fotos ousadas com policiais militares.

Mulher que adora um homem fardado faz visitinhas sexuais às bases pacificadoras
Rio - Não é só o risco de ataques de traficantes que vem tirando o sono das esposas de PMs lotados em Unidades de Polícia Pacificadora do Rio. Uma ‘inimiga' fatal - mas não mortal - é o motivo da nova dor de cabeça delas. Apelidada de Maria UPP, uma mulher já é famosa entre os militares por fazer visitinhas aos homens que estão de serviço durante as madrugadas. O caso chegou à Corregedoria da corporação, que investiga a denúncia.
Ela é tão apaixonada pela pacificação que eternizou a sigla UPP num local bem íntimo - a tatuagem fica na ‘zona do agrião', bem lá onde só é possível ver quando a moça está totalmente depilada, entendeu? PMs contaram ao  Jornal Meia Hora  que a Maria UPP não se incomoda de ser fotografada ou filmada, mesmo sabendo que as imagens são compartilhadas entre eles.
Segurou o fuzil
Em uma imagem, a mulher aparece praticando sexo oral em dois soldados fardados. Em outra, ela está em pleno ‘lepo lepo' com dois policiais ao mesmo tempo. Ela também já foi fotografada fardada e segurando um fuzil. A existência da Maria UPP foi descoberta pela esposa de um dos PMs, que logo contou para as conhecidas. Algumas delas passaram a fazer visitas aos maridos na hora do expediente.
Deitou com mais de mil
Segundo os PMs, a Maria UPP não cobra pelo sexo, apenas pede dinheiro para o táxi e um lanche. E nesse clima de amor ao próximo, ela já se deitou com mais de mil policiais. Ainda de acordo com os militares que conheceram a moça de perto, ela diz ter simpatia por homens fardados e afirma ser "uma boa companhia nas noites frias". Mas não tem essa de exclusividade: a Maria UPP gosta de sexo a dois, a três, a quatro...
‘Lepo lepo' é investigado
A Corregedoria da Polícia Militar vai tentar identificar os policiais que tiveram relações sexuais no local de trabalho e no horário de serviço, além de tentar descobrir quem emprestou a farda e colocou um fuzil na mão da Maria UPP. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) também vai instaurar um procedimento administrativo para investigar o caso. As esposas oficiais agradecem.

UMA EPIDEMIA IGNORADA e um ATENTADO À DEMOCRACIA


O blog da RobertaTrindade, o nosso conhecido PAUTA DO DIA, que trás notícias sobre Polícia e Segurança Pública, parece ser o ÚNICO MEIO DE COMUNICAÇÃO preocupado com a grave e preocupante EPIDEMIA que acomete o Brasil e em especial o Rio de Janeiro.
Em qualquer outro lugar do mundo, esse número de POLICIAIS MORTOS E FERIDOS, já seria considerado uma EPIDEMIA e um GRAVE ATENTADO À DEMOCRACIA!
Mas aqui, ao que parece, o zeloso Ministério Público, o Judiciário, o Legislativo, o Executivo e principalmente o POVO parecem não se importar com as mortes dos Agentes da Lei, dos Defensores da Sociedade e da própria democracia pela qual tanto lutamos.
Estranhamente vemos até mesmo aqueles que “comemoram" a morte de policiais, argumentando que estes são "agentes de repressão" e "representantes ou defensores da burguesia”, num discurso esquediopata desprovido de qualquer nexo, motivado por uma “vingança histórica" levada a público em nome de "presos e perseguidos políticos" que NÃO MAIS EXISTEM.
Falam dos Agentes da Lei, como se estes fossem representantes de uma DITADURA que não mais existe, ou pior ainda, como se NÓS QUE AQUI ESTAMOS tivéssemos participado das ações de perseguição político-ideológica de alhures.
Não percebem, não entendem, que os POLICIAIS, somos gente do povo e tão ou mais vítimas do que os próprios cidadãos que defendemos, porque vivemos expostos a uma violência da qual a maioria somente ouviu ou ouvirá falar nos jornais, em sua sanha de vender cada vez mais, promovendo o pânico.
Estas mesmas pessoas, esse mesmo povo, são aquelas que IDOLATRAM políticas de segurança alienígenas, imaginadas e perpetradas por pessoas que para aqui vieram sob o manto de uma eficiência fictícia, porque em suas instituições sequer eram bem vindos.
Estranho…
Falam tanto dos Estados Unidos, da Inglaterra, Alemanha e outros países capitalistas e democráticos, mas não percebem que SE ESTES NÚMEROS (nem mesmo esses, apenas um quinto destes números) ocorressem por lá, governos cairiam e manifestações estariam ocorrendo, porque eles sabem que: SEM POLÍCIA NÃO EXISTE SOCIEDADE!
Então…
Seguimos aqui no nosso País das Maravilhas, esperando a nossa vez de virar estatística, porque reféns de “panacéias" de "invencionices”, de “fórmulas mágicas" e de ataques de "policiólogos”, “sociólogos" e demais palpiteiros, confortavelmente instalados em seus escritórios e nas salas de aula das Universidades, enquanto dia-a-dia vamos suando, sangrando e morrendo em nome de um ideal!
Obrigado Roberta pela preocupação, carinho e lembrança!
E a você, cidadão carioca e fluminense:
Nós que vamos morrer o saudamos!

sábado, 12 de abril de 2014

Revoltados com morte de homem, moradores da Maré tentam interditar três vias


Moradores da Vila do Pinheiro, no Complexo da Maré, zona norte do Rio, realizaram uma manifestação na manhã deste sábado (12) por conta da morte de um homem  identificado apenas como “Parazinho”.
De acordo com testemunhas, a vítima seria moradora da comunidade.
Em nota, o Comando Militar do Leste (CML) informou que por volta das 8h, uma patrulha motorizada se deslocava pela Avenida do Canal, quando avistou dois elementos que, ao encontrarem  a tropa, tentaram fugir. 
Ao desembarcar para verificar a situação, os dois suspeitos atiraram contra os militares, que revidaram.
O comunicado também afirma que os soldados prestaram socorro ao homem ferido, chamando o serviço do Samu, mas ele morreu na hora. Com o morto foram encontrados um rádio comunicador e três cartuchos calibre 9mm. O  outro suspeito fugiu do local.
Indignados, os manifestantes tentaram fechar os acessos da Linha Amarela, Linha Vermelha  e Avenida Brasil em duas oportunidades. No entanto foram impedidos pelas forças de segurança. Durante o ato, duas pessoas foram presas. Uma delas é ex-militar do próprio Exército. Eles foram levados para a  21ª DP (Bonsucesso)  para prestar esclarecimentos.

PM sobrevive após levar facada no pescoço

Um policial militar foi esfaqueado dentro de casa no Lins de Vasconcelos, zona norte do Rio. Seis homens entraram na residência de Alan Tavares Soares, suspostamente para comprar roupas que a esposa da vítima vendia, e anunciaram o assalto. O agente foi encontrado pela policia com um corte profundo no pescoço, mãos amarradas e um saco plástico na cabeça.
Os criminosos teriam levado as roupas e a arma de Alan Tavares. Segundo uma testemunha, que não quis se identificar, a vítima não tinha inimigos.
— Ele era querido por todo mundo, não tinha inimigo, não tinha nada. Os bandidos levaram as duas armas dele, dinheiro e as roupas que a esposa vendia.
Alan foi levado pro Hospital Salgado Filho, no Méier, zona norte da cidade. De acordo com a secretaria municipal de saúde, ele foi operado e o estado de saúde é estável. O caso é investigado pela 26°DP (Lins de Vasconcelos). Ainda não há pistas sobre a identidade dos suspeitos.

Carro fura blitz e atropela policial

Uma soldado da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho foi atropelada na noite de quinta-feira, por um carro que furou a blitz dos militares. Um outro policial foi ferido por estilhaço de bala na mão, quando os ocupantes do veículo abriram fogo contr os PMs. A blitz continuou durante a noite, na tentativa de prender os acusados.
A ação foi pouco antes das 21h, quando os militares faziam um bloqueio perto da Avenida Dom Hélder Câmara, para tentar reprimir o crime. Ao ser abordado pelos agentes, o motorista de um Corsa verde fingiu que iria parar, mas arrancou com o veículo. A policial — que não teve a identidade divulgada — foi atingida pelo veículo, que fugiu em alta velocidade. Antes, porém, os demais ocupantes abriram as janelas e atiraram contra os policiais. Uma viatura ficou com marca de tiro. A polícia não conseguiu identificar os autores dos disparos. O caso foi registrado na 21ª DP (Bonsucesso).