quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Decreto oficializa controle de bens de policiais e bombeiros


O governador Sérgio Cabral decretou, através do Diário Oficial desta terça, a fiscalização rigorosa da evolução patrimonial de bombeiros e policiais civis e militares. A nova regra estabelece que a declaração seja apresentada anualmente. Quem se recusar ficará sujeito a processo administrativo, que pode resultar em demissão.

A decisão é uma medida que o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, pretendia desde que assumiu assumiu o cargo. Pelo texto, tanto o servidor quanto o cônjuge, filhos "ou outras pessoas que vivam sob a sua dependência econômica" ficam condicionados à declaração de bens.

Grupo especial para investigar policiais

O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, sinalizou nesta terça a criação de um grupo especial para investigar policiais que atuam na lavagem de dinheiro do jogo do bicho. Além de reformar o Código Penal, criminalizando o jogo, o governo vai atuar com agentes de reputação ilibada e de procuradores da República.

De acordo com Beltrame, os pontos de jogo de bicho cresceram juntos com a cidade, e um bicheiro não é diferente de um traficante. "Precisamos criar um movimento contrário a isso. Esse dinheiro mancha as instituições", disse o secretário, ao "O Globo".

"Os contraventores manipulam resultados e lesam a população. Sem contar com os homicídios e as extorsões", disse. Além da criminalização do jogo do bicho, Beltrame quer convencer que o Congresso mude com urgência o Código Penal. O secretário sugere maior rapidez no andamento de processos e a tipificação do crime de milícia.

BAHIA - CORONEL BATISTA PEDE LIBERDADE PARA OS LÍDERES DA GREVE DA PM

O tenente-coronel José Carlos Batista Reis, hoje na reserva, escreveu uma carta aberta pedindo aos coronéis da PM, na ativa, que apoiem a campanha pela liberdade dos policiais militares que participaram do movimento grevista. Batista ficou conhecido em Ilhéus no fim de 2010, quando reivindicou o direito de alojar sua família na casa (propriedade do governo estado) que servia aos comandantes do batalhão-escola. A residência oficial era utilizada para veraneio pelo comandante regional, da época, o tenente-coronel Ivo Santos. Diante do fato, Batista protestou, instalando seu gabinete por duas horas em frente à residência reclamada. O ato foi visto como um desrespeito e o então comandante da PM no estado, Nilton Mascarenhas, solicitou ao governador Wagner a exoneração do oficial. O pedido foi atendido e Batista levado à reserva da PM. Ainda assim, ele participou ativamente da greve da categoria, no início do mês, e vem participando da luta contra a prisão dos militares grevistas.



Confira a carta AQUI

Na segunda-feira o coronel Sérgio Simões, decidirá se Daciolo será expulso ou não.

SITE: FOLHA DE SÃO PAULO
 Líder dos bombeiros pode ser expulso 


 “O Corpo de Bombeiros do Rio decide na segunda-feira se o cabo Benevenuto Daciolo, 35, apontado como líder das manifestações por melhores salários ocorridas de 9 a 14 deste mês, será expulso.
Daciolo esteve ontem no quartel central dos Bombeiros, no centro da cidade, para a última audiência do conselho disciplinar que vai decidir se ele será punido. Ele será o primeiro manifestante no Corpo de Bombeiros e na PM a ter o futuro definido.

Ele passou 16 dias preso, nove no presídio de Bangu 1. “Estou sofrendo uma grande injustiça. O que busco é dignidade e melhoria salarial para toda a categoria”, disse à Folha. Três oficiais bombeiros analisam o caso contra o cabo. Ontem, a defesa pediu mais prazos para apresentar provas e que fosse anexado ao processo a íntegra das interceptações telefônicas em que Daciolo conversa sobre a paralisação na Bahia e a greve no Rio de Janeiro. 
Do processo constam apenas dois minutos de conversas mostradas no “Jornal Nacional”, da TV Globo, no dia 8. Os dois pedidos foram negados. 
“Gostaríamos de saber quem fez as escutas e ter acesso à íntegra destas conversas”, disse a advogada Grace Santos, que o defende. Na segunda, um relatório sobre o caso será apresentado ao comandante dos bombeiros, coronel Sérgio Simões, que decidirá se Daciolo será expulso ou não.

DIGNIDADE HUMANA PARA QUEM FAZ SEGURANÇA PÚBLICA NA BAHIA

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

MINAS GERAIS - Comissão de Direitos Humanos vai a Teófilo Otoni apurar denúncias contra comandante do 19º BPM

BLOG: NOTÍCIA DA CASERNA

Autor do requerimento, deputado Sargento Rodrigues pede a convocação dos envolvidos

Denúncias envolvendo o Tenente Coronel Marcos Barbosa da Fonseca, comandante do 19º Batalhão da Polícia Militar, sediado em Teófilo Otoni, motivaram o pedido de deslocamento da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia até a cidade, onde será realizada audiência pública no próximo dia 14 de março, às 9 horas, a requerimento do deputado Sargento Rodrigues. Perseguições, tratamento humilhante e degradante, assédio moral, violação da intimidade e vida privada de servidores, coação moral, além da “maquiagem” de ato da administração pública são algumas das acusações feitas contra o comandante e que serão apuradas pela Comissão.

Sargento Rodrigues recebeu denúncias apresentadas pelo Cabo Geraldo Elione da Silva e pelos Sargentos Cloves Bonfim de Morais, Paulo Henrique Gomes Ferreira e Marcos Antônio Chaves Souza, vítimas dos atos do referido Comandante. Indignado com os fatos a ele levados, o deputado requereu a ida da Comissão a Teófilo Otoni e a convocação de todos os envolvidos, além do Coronel José Geraldo Lima, comandante da 15ª Região da Polícia Militar. “A convocação, e não o convite, principalmente dos praças, é fundamental, para que não sejam empenhados em alguma atividade que impeça a presença deles na audiência, o que é muito comum quando o denunciado faz parte do comando. As denúncias são muito graves e documentos comprobatórios serão apresentados durante a reunião”, esclareceu o deputado.

Conheça as denúncias apresentadas contra o Tenente Coronel Marcos Barbosa da Fonseca:

- o 3º Sargento PM Marcos Antônio Chaves Souza alega violações de direitos humanos e perseguições, dentre as quais destacamos ato “maquiado” da administração pública, ao realizar permuta entre ele e o 3º Sargento PM Vivaldo Gil Dutra, uma vez que não houve a solicitação de transferência pelo Sargento Marcos, que tampouco foi ouvido para declarar sua anuência, configurando, assim, grave perseguição e uso da máquina e agentes públicos em atos desta natureza. Segundo relato, um dos motivos das perseguição seria o fato do militar ter presenciado o seu comandante, Tenente Coronel PM Marcos Barbosa da Fonseca, em uma festa, na data de 18/09/2011, acompanhado de uma mulher, que não seria sua atual esposa;

- o 2º Sargento PM Paulo Henrique Gomes Ferreira vem sendo vítima de violações de direitos humanos, perseguições, tratamento humilhante e degradante, bem como assédio moral. Entre as alegações, vale destacar o fato de que, após ter assinado sua ficha de avaliação para fins de promoção, o militar teria sido surpreendido pelo desaparecimento do referido documento, sendo colocado outro em seu lugar com as notas adulteradas. Tal ato de alteração e supressão de documento constitui crime e falta grave, fato que vem sendo apurado. Além disso, o policial alega estar sendo perseguido por ter, em data passada, abordado o seu comandante, Tenente Coronel Marcos Barbosa da Fonseca, em local ermo e utilizado por usuários de drogas, tendo sido, inclusive, ameaçado verbalmente por ele. Consequentemente, o sargento foi transferido de seu local de trabalho.

- o Cabo PM Geraldo Elione da Silva também denuncia violações de direitos humanos e perseguições cometidas contra ele, desde que testemunhou em desfavor do Tenente Coronel PM Marcos Barbosa da Fonseca, que teria se envolvido em ocorrência policial na cidade de Teófilo Otoni/MG, por agressão a um civil com um tapa na face. Em razão do fato, o militar passou a sofrer perseguições de seu comandante, chegando a ser transferido de Teófilo Otoni/MG para o município de Santa Maria do Salto/MG. Vale ressaltar que o fato teve repercussão na imprensa local e está sendo apurado em Sindicância Regular pelo Comando da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais.

- o 3º Sargento PM Cloves Bonfim de Morais alega estar sendo vítima de tratamento humilhante e degradante, bem como coação moral e perseguições. Ele vem sofrendo violações à sua intimidade e vida privada por parte de seus superiores hierárquicos. Para tanto, têm sido utilizados agentes públicos. De forma ilegal, o sargento foi transferido para a sede do Batalhão.


Greve Geral na Paraiba em Março

As Polícias Civil e Militar da Paraíba confirmaram que vão participar da paralisação geral dos servidores públicos nos dias 14, 15 e 16 de março. O presidente do Sindfisco (Sindicato dos servidores fiscais), Victor Hugo afirmou que mais de 20 entidades irão se unir em torno dessa paralisação.
O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba (Aspol), Sandro Bezerra, contou que está viajando pelo interior realizando assembléias nas nove regionais do Estado para levar o assunto para todos servidores da categoria. A Aspol representa os policiais agentes, escrivães e motoristas.
Sandro informou que as assembléias serão concluídas até o dia 1º de março, então será convocada uma reunião em João Pessoa para definir a posição dos Policiais Civis em relação à paralisação. “A tendência é aderir à paralisação, se o governo mantiver a intransigência, esse é o caminho que vamos tomar”, colocou.
O coronel Francisco, da Polícia Militar, confirmou que a categoria vai aderir à paralisação. Segundo o policial, o movimento é nacional, do setor de educação. “Mas várias categorias estão aderindo em apoio”, colocou.
A polícia militar ainda não definiu como será a participação na paralisação. O coronel informou que a categoria tem uma assembléia marcada para o dia 3 de

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

O Rio de Janeiro tem a SEGUNDA MAIOR ARRECADAÇÃO e paga o MENOR SALÁRIO DO BRASIL!

NOVA TABELA DE VENCIMENTOS - BMS E PMS



NOVA TABELA DE VENCIMENTO DA PMCE
FONTE: ACSME 27.02.2012

CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR

JEQUIÉ - BAHIA - Nota pública sobre prisão de policiais militares.

26/02/2012
Caros cidadãos jequieenses, imprensa e militares em geral,
 
Informamos à todos, que 8 (oito)policiais militares de nossa cidade estão presos, em virtude de mandados de prisão preventiva decretada pela justiça. Desse militares, 6 (seis) encontran-se presos na cidade de jequié no 19º BPM e 2 (dois) na cidade de Vitória da Conquista, no 9º BPM. 
 Acontece que, os motivos que levaram às prisões desses policiais militares, foram encaminhados por oficio oriundo do 19º BPM, assinado pelo comandante da unidade, o Sr. Tenente Coronel Elenilson, com acusações infundadas e caluniosas (para não se dizer mentirosas) , as quais não aconteceram na cidade de Jequié.
Ou seja, há mais de 11 dias presos, estes guardiões da lei e da moralidade, foram colocados ao carcere, sem ter cometido crime algum. Sendo submetidos às mais diversas humilhações, estes que são, pais de familia, esposos, filhos e irmãos, todos no excepcional comportamento na corporação, conhecidos por toda a sociedade jequieense pelas suas condutas ilibadas e acima de tudo inocentes e injustiçados.
As acusações não trilham pelos caminhos da verdade, da coerencia nem tam pouco da razão. Uma total irresponsabilidade dos seus acusadores, pois a sociedade jequieense, a imprensa, o comércio, os politicos locais, entre outros segmentos, acompanharam toda a movimentação pacifica e ordeira que ocorreu nesta cidade, este, diga-se de passem, elogiado nos quatro cantos do nosso Estado e principalmente pela sociedade  local.
Um total absurdo sem precedentes, pois os crimes apontados no documento em anexo (OFICIO SN/10/02/2012), oriundo do 19º BPM, nunca acontecera nesta cidade. Vale destacar, que unicamente este documento norteou o Ministério Publico para os pedidos de prisão.

Ainda confiamos na justiça, e temos a plena certeza que ela será feita, e os acusadores, caluniadores e difamadores, responderão na forma da lei e da justiça, afinal, estamos em um estado democrático do direito, onde todos são iguais, independente da raça, cor, religião, posição social e patentes.

Deus está no controle de tudo…..

UNIÃO DAS ASSOCIAÇÕES DA PMBA
FAMILIARES E AMIGOS DOS POLICIAIS MILITARES
SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA

VAMOS VALORIZAR OS POLICIAIS MILITARES

SITE : ABORDAGEM  POLICIAL

Quem não é policial muitas vezes ignora quais são os reais motivos pelos quais os profissionais de segurança pública reivindicam atenção e reconhecimento. Neste texto, pretendemos mostrar um pouco das agruras por que passam os policiais, além de algumas de suas funções que parecem ser dignas de observação quando estamos falando de valorização profissional. Ao final, o leitor poderá responder à pergunta: “Quanto você cobraria para ser policial?”:

Passar noites sem dormir

A maioria das pessoas só vê a polícia quando ocasionalmente passa por uma viatura ou guarnição durante seu cotidiano diurno, ou na parte inicial da noite. Para quem não sabe, porém, a polícia trabalha ininterruptamente todos os dias, inclusive no momento em que os cidadãos “normais” se encontram no aconchego dos seus lares, aquecidos e descansados, dormindo para enfrentar a rotina do dia posterior. Às vezes, esta jornada noturna se estende, em virtude de ocorrências mais demoradas e problemáticas. Durante o serviço policial, dormir, e todos os benefícios que o ato traz ao corpo, são exceção.

Faltar a eventos familiares/afetivos

Natal? Revellion? Carnaval? Dia dos pais? Dia das mães? Aniversário? O policial não tem direito a qualquer destas comemorações, caso esteja escalado de serviço. Também não pode deixar de trabalhar, se for o caso, para ir à apresentação de teatro do filho na escola, tampouco para fazer uma viagem romântica com o(a) cônjuge. Na polícia, o ditado popular se faz valer: “primeiro a obrigação, depois a diversão”.

Correr risco de morte

Certamente este é o mais óbvio dos ônus de se tornar policial, mas também o mais preocupante: ser policial é trabalhar com a possibilidade de morte a qualquer momento do serviço. Não são poucos os casos de policiais mortos em confronto, ou mesmo em acidentes e incidentes possíveis no desenrolar da atividade: colisão de viaturas em perseguições, manuseio equivocado de arma de fogo etc.

Ser reconhecido fora de serviço

Um desdobramento do aspecto acima mencionado está presente também quando o policial não está mais em serviço. Caso seja reconhecido no momento de um assalto, por exemplo, dificilmente os suspeitos serão benevolentes com o policial, pelo receio da represália imediata e posterior. Assim, admitir-se policial em qualquer ambiente é quase se oferecer aos riscos inerentes a esta condição.

Salvar vidas de vítimas do crime

Cotidianamente a polícia põe fim a seqüestros, assaltos com reféns, tentativas de homicídio, roubos, furtos etc. Cotidianamente a polícia salva vidas, tal como o médico o faz, com uma diferença: expondo sua própria vida.

Ser generoso, polido e negociador

Embora a imagem que as polícias tenham entre a população brasileira seja a de uma instituição rústica, truculenta e abrupta, o fato é que a maioria dos policiais lidam com os problemas que se lhe apresentam no dia a dia de modo muito mais brando. Isto porque seria praticamente impossível resolver a gama de problemas nas ocorrências caso agisse sempre arbitrariamente. Sem o talento da mediação, o policial estará fadado ao fracasso.

"AI-5 da Copa"

A lei é extremamente genérica e pode punir qualquer tipo de manifestação ou protesto político.

A FIFA e os grandes capitalistas que lucram com a Copa do Mundo querem passar por cima da legislação brasileira e impor uma própria, que corresponda unicamente aos seus interesses. Para eles, está fora de cogitação se submeter às leis brasileiras e colocar em risco seus lucros e para isso contam com o apoio do governo do PT.
O mesmo ocorreu em diversos países onde a competição foi realizada.

Para isso, o governo está procurando aprovar a chamada Lei Geral da Copa, que nada mais é que abrir mão de sua soberania para que a FIFA e as multinacionais que ela representa imponham uma lei própria. Entre os pontos dessa lei está até mesmo o estabelecimento de tribunais de exceção para julgar, por fora da lei brasileira, com penas mais duras, determinadas “irregularidades”, como a venda de produtos não oficiais, a reprodução do símbolo da Copa, entre outros.

No entanto, o projeto de lei apresentado por três deputados da base do governo, vai muito além de toda a legislação que está para ser aprovada. O projeto de autoria conjunta de Marcelo Crivella (PRB-RJ), Ana Amélia (PP-RS) e Walter Pinheiro (PT-BA) abre uma avenida para o retorno à ditadura militar e já está sendo chamado de “AI-5 da Copa”.

Ele prevê novas regras de segurança e punição que começarão a valer três meses antes do início dos jogos e durariam até o encerramento da Copa. A vontade de punir é tanta que a Justiça para esses casos correria muito mais rápido do que o normal e os tribunais funcionaram inclusive de sábado e domingo para permitir que os casos sejam julgados em prazo recorde.

Um dos objetivos declarados do projeto de lei, e um dos mais graves, é “disciplinar o direito de greve” no período, o que significa na realidade torná-lo crime. A lei seleciona 13 setores da economia que teriam seus direitos restringidos. As greves teriam que ser avisadas com 15 dias de antecedência, os patrões estariam autorizados a substituir os trabalhadores grevistas, o que atualmente é proibido, e o piquete também seria punido.
Outro ponto bastante grave é o que prevê punição para “terrorismo”, uma lei que há muito tempo o imperialismo quer impor. O “crime” é assim classificado: “Provocar ou infundir terror ou pânico generalizado mediante ofensa à integridade física ou privação da liberdade de pessoa, por motivo ideológico, religioso, político ou de preconceito racial, étnico ou xenófobo”. As penas, segundo o projeto, inafiançável e insuscetível de graça ou anistia, variam de 15 a 30 anos de reclusão.


Vale ressaltar que assim como a burguesia vem procurando aprovar a lei contra o terrorismo, o direito de greve vem sendo duramente atacado. A regulamentação do direito de greve, com a instituição dos serviços essenciais, também utilizados também no projeto de lei, a obrigatoriedade de que funcionasse 30% do efetivo e as recentes determinações judiciais para que categorias como os metroviários mantivessem 90% do efetivo trabalhando são demonstrações desse fato.
Esses ataques ao direito de greve e agora ao direito de manifestação política da população, já que absolutamente qualquer ato, como ocupações de terra ou de reitorias, manifestações etc. poderiam ser encaixadas na definição de “terrorismo” são uma tentativa da burguesia de conter as mobilizações que inevitavelmente despontarão com o aprofundamento da crise. Vale ressaltar, nesse sentido, que o governo do PT é o principal instrumento da burguesia nesse momento para atacar os trabalhadores em seus direitos fundamentais.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

ASSESSORIA JURÍDICA NO SINDSPREV

OBS: QUEM NÃO PUDER COMPARECER, MANDE UM REPRESENTANTE ( PAI, MÃE, IRMÃO, ESPOSA E ETC...)

Manifestação dos familiares de policiais presos em Jequié na Bahia

SITE: RIUS.COM
A ação por parte do Governo Baiano que culminou na prisão sem justa causa de policiais em Jequié causa revolta em seus familiares, filhos, esposas e grande parte da sociedade civil. Hoje ( 24/02/2012) manifestantes de Jequié tomaram as ruas centrais da cidade para pedir a libertação dos policiais detidos sem justa causas. Há exatos 12 dias foi instaurado processo administrativo contra dois PMs no 8º BPM/Vitória da Conquista e seis no 19º BPM/Jequié, no qual, segundo informação que o RIUS apurou que no PAD (Processo Administrativo Disciplinar), consta a permanência dos detidos no movimento que começou no ultimo dia de janeiro de 2012. Acusando-os de impedimento de saída de viaturas de radio patrulhas do pátio, ocupação da câmara dos vereadores de Jequié, desrespeito aos oficiais comandantes alem de exposição de armas de fogo em publico e depredação do patrimônio público. Durante a greve dos militares que lutam pelo cumprimento de direitos adquiridos, causa central da greve baiana, o governador do estado afirmou não ter represálias aos policiais que de forma pacifica e ordeira aderissem à greve; somente haveria punição para os PM´s que cometessem desordem, incentivo, vandalismo ou crimes. Em Jequié não foram constatados fatos dessa natureza em nenhum momento da greve, o que corrobora para que não desabonasse a conduta dos detidos. Na manifestação desta tarde, constatou-se a presença de representantes da sociedade civil, pastores, padres, vereadores dentre outros, unidos para que seja liberados os 8 policiais. Pelas ruas da cidade uma passeata com centenas de pessoas. Cerca de 500 pessoas estiveram presentes no ato público ordeiro e pacífico. Tanto os manifestantes como grande parte da sociedade civil não enxergam motivos para as prisões. De modo especial quando a autoridade maior do estado afirmara que não haveria represálias para os policiais que de forma ordeira e pacifica aderissem a greve. Como de fato não ouve. No entanto consta no documento PAD acusações que todos os manifestantes negam veementemente. A manifestação foi encerrada na Praça Rui Barbosa e colocados postos de coletas de assinaturas a documento cobrando a liberação dos policiais militares.
O vereador João Cunha (PP), único representante do poder Legislativo de Jequié na manifestação contra ás prisões dos policiais militares, falou sobre o ato pacífico dos PMs na câmara de vereadores, e deixando claro para a população que a Câmara foi cedida pelos vereadores, e não foi constatado nenhum ato que abonasse a conduta dos Policiais. Chamou de insensível o chefe do Executivo baiano, ao ser questionado sobre a punição aplicada aos soldados da Polícia Militar. ” O policial é quem nos dar a segurança, é homem de bem e não pode ficar detido. É inadmissível o que está acontecendo em Jequié. Não podemos aceitar que um governador que teve votação expressiva nesta cidade tome uma atitude dessas. Os policiais que estão presos são homens de bem, a manifestação que foi feita por eles no período da greve foi completamente organizada, os mesmos tiveram acesso ao prédio da Câmara com autorização do poder Legislativo. Não é justo que, pelos erros cometidos por PMs de Salvador, que os nosso amigos aqui de Jequié, que são homens responsáveis e pais de família, sofram as sanções ”, afirmou João. Ao finalizar a entrevista, o vereador disse que o governador está agindo de maneira inadequada e com intenção de prejudicar os policiais.

COMANDO DA PM EM ITABUNA (BAHIA) DEIXA POLICIAIS PRESOS SEM ÁGUA E COMIDA

SITE: BAHIAJÁ
Seis policiais militares grevistas presos em Itabuna estão sem água e comida, denunciou uma das vítimas em entrevista ao Diário Bahia. A alimentação é fornecida pelos familiares e amigos durante as visitas. Os policiais estão presos no 15º Batalhão da PM, no bairro Jaçanã, desde o dia 14.

 - Estamos nos sentindo esquecidos. O Judiciário nos prendeu e nos abandonou, mas nós não cometemos crime nenhum contra a sociedade – disse um dos policiais ao  jornal.

A greve dos policiais em Itabuna foi encerrada no final da tarde do  dia 11 e as prisões ocorreram no dia 14, à noite. A prisão dos militares foi decretada pelo juiz militar Paulo Roberto da Silva Oliveira, que não havia retornado ao trabalho no dia 23, conforme advogados de defesa dos policiais.

Justiça decretou a prisão de oito policiais militares de Jequié na Bahia

SITE: RIUS.COM.BR

A Justiça decretou a prisão de oito policiais militares de Jequié, dois estão presos em Vitória da Conquista e seis estão presos em Jequié.

Sendo ao todo  75 PMS presos no INTERIOR da Bahia. Todos eles acusados de atos de vandalismo na capital da Bahia, quando em nenhum momento estiveram lá, por outro lado gozado dizer que nenhum dos policiais grevistas de Salvador foi preso. Por que será? 
O que temos notícia é que o movimento grevista jequieense foi pacífico, organizado e legal, portanto pais de família presos sem motivo justo aparente.


Policiais de Jequié, presos no 9º BPM -Vitória da Conquista, injustiçados, pelos politicos de um sistema corrupto, ditatorial e tirânico.
Cadê a justiça do nosso estado, do nosso país, que colocam na cadeia policiais militares, trabalhadores, pais, irmão, filhos...?

sábado, 25 de fevereiro de 2012

OS FAMILIARES DE PMS MARCAM PROTESTO EM SALVADOR


A Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra) enviou, nesta sexta-feira (24), uma nota à imprensa convocando a sociedade para um ato público, a ser realizado na terça-feira (28), às 9h, no Campo Grande. Além da nota, enviaram uma carta pública, onde informam que"Nós, mães, esposas e viúvas, filhos e familiares de bombeiros e policiais militares do Estado da Bahia.......queremos com esta carta expor um pouco do que passamos nos últimos dias com nossos familiares".

 Segundo a carta, a grande reivindicação do movimento grevista não foi só a questão salarial, mas sim "o cumprimento de uma Lei Estadual 7.145/97 de mais de 15 anos." "Acima de tudo a luta foi por respeito e dignidade.". "Para este Governo não basta apenas descumprir a lei, é preciso debochar". 

Veja trechos da carta abaixo.

 "Todos sabem que é crime divulgar escutas telefônicas. Se o processo tramita em Segredo de Justiça e houve realmente autorização judicial para interceptação telefônica. Como a Rede Globo teve acesso as Gravações? Antes de toda a imprensa? O artigo 10º da Lei 9296/1996, se constitui em ilícito penal, com pena de reclusão, divulgar segredo de justiça sem autorização judicial. O Juiz também autorizou a divulgação para a Rede Globo e com Exclusividade? Art. 10. Constitui crime realizar interceptação de comunicações telefônicas, de informática ou telemática, ou quebrar segredo da Justiça, sem autorização judicial ou com objetivos não autorizados em lei."

DITADURA DO GOVERNO SÉRGIO CABRAL

BLOG DO RICARDO GAMA
CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR 

Acima publico o alvará de soltura do Cabo Benevenuto Daciolo assinado pelo Exmo. Juiz de Direito Marcius da Costa Ferreira no dia 24/01/2012.
Já postei dezenas de vezes aqui no blog, sobre as prisões políticas e ilegais dos policiais e bombeiros militares do Rio de Janeiro ordenadas pelo Governo Sérgio Cabral, por pedirem melhores salários, cabe registrar que todos os atos foram pacíficos e ordeiros.
Existem denúncias de que muitos policiais e bombeiros militares foram presos sem ter mandado de prisão, por exemplo, o Cabo Daciolo que somente após estar enjaulado em Bangu 1 como se fosse um bandido, a ordem de prisão foi expedida.

 As denúncias de ilegalidades, irregularidades, e crimes cometidas nas prisões políticas ordenadas pelo Governo Sérgio Cabral desses militares são inúmeras, como já dito acima, a falta de mandados de prisão, terem sido presos ilegalmente em Bangu 1, e o caso inacreditável do Cabo Daciolo (clique aqui e leia).

Todas essas denúncias devem ser investigadas, e o responsáveis pelas ilegalidades, e crimes severamente punidos.

Várias são as perguntas que devem ser respondidas, e muitas outras, por exemplo:

 - Como, por que, e quem autorizou e efetuou as prisões de policiais e bombeiros militares sem mandados de prisão ?

- Quem ordenou que os policiais e bombeiros militares fossem presos no presídio de Bangu 1 o que é proibido por lei ?

- Como, e por que, e quem autorizou e permitiu que o processo principal do Cabo Daciolo ficasse escondido, sem número, tudo ao arrepio da lei ?

 Vamos aguardar que as autoridades competentes apurem tudo com o rigor da lei.

ATENÇÃO: Nós devemos cobrar e exigir a apuração dessas graves denúncias, todos devem ajudar, peço por favor que enviem um e-mail para a Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (ABAIXO) pedindo a apuração desses fatos.

 corregedoria@cnj.jus.br

Em tempo, gente ajude a divulgar essa postagem, vamos fazer o povo participar, compartilhe nas suas redes sociais!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

LIBERDADE DO CABO DACIOLO

“Eu quero agradecer primeiramente a Deus. Nós somos homens de bem, de família, querendo o bem de uma instituição maravilhosa. A verdade toda será revelada. A minha luta é pela dignidade”, disse Daciolo.

REUNIÃO COM TODOS OS BOMBEIROS E POLICIAIS MILITARES

CONVOCAMOS TODOS OS  policiais e bombeiros militares   que participaram do movimento grevista no Rio de Janeiro, QUE FORAM PRESOS INJUSTAMENTE OU TRANSFERIDOS, PARA REUNIÃO NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA.


Lutaremos contra todas as injustiças administrativas.

27 DE FEVEREIRO -  ÀS 18:30 Hs

SINDSPREV
RUA JOAQUIM SILVA 98 - LAPA


Justiça Militar manda soltar bombeiro que liderou greve no Rio

SITE: O POVO DO RIO
 Preso no GEP,Cabo Benevenuto Daciolo aguarda cumprimento de decisão da Auditoria da Corporação AJustiça Militar concedeu novo alvará de soltura ao cabo Benevenuto Daciolo, líder do movimento dos bombeiros. A liberdade foi concedida pelo juiz Márcio da Costa Ferreira, da Auditoria Militar, na tarde de ontem. Daciolo está preso há 17 dias, acusado pelo comando do Corpo de Bombeiros de incitação à greve.A liberdade foi concedida pelo juiz da Auditoria Militar, Marcio da Costa Ferreira e confirmada pelo advogado de Daciolo, Raul Lins e Silva. 

No último domingo, onze bombeiros foram soltos através de habeas corpus, somente Daciolo permaneceu preso. Segundo o advogado, o trabalho foi de convencer o juiz de que o mesmo pedido valia para o líder dos bombeiros. Diferentemente dos demais, Daciolo foi preso um dia antes da assembleia que decidiu pela greve no Rio após divulgação de conversas telefônicas em que abordava a possibilidade de paralisação no estado.

 "Os crimes são os mesmos. O habeas corpus do Daciolo ficou prejudicado porque existia um processo anterior que decretou a prisão preventiva dele. O Daciolo tem um outro processo. Fizemos uma petição juntamente com a Defensoria e o Ministério Público demonstrando ao juiz que o mesmo habeas corpus tem valor para soltá-lo", disse Lins e Silva. 

Daciolo foi preso na noite do dia 8 dentro de um avião no Aeroporto Internacional Tom Jobim quando chegava da Bahia. Horas antes, uma escuta telefônica foi divulgada envolvendo o bombeiro e a deputada Janira Rocha (- PSOL). Na conversa, Daciolo comentava sobre a possibilidade de greve no Rio. O comandante do Corpo de Bombeiros, Sergio Simões, pediu a prisão de Daciolo. Chegando ao Rio, o cabo foi preso dentro do avião, levado ao quartel central da corporação e depois a Bangu 1. Segundo a mulher do bombeiro, iniciou uma greve de fome que o fez emagrecer dez quilos. Quando foi transferido para o Grupamento Especial Prisional (GEP) da corporação, voltou a se alimentar, jejuando novamente com a notícia de que não seria solto junto com os demais bombeiros no último domingo. Convencido por familiares, voltou a comer na quarta-feira.
Em dia de visita, a família de Daciolo esteve no Grupamento Especial Prisional (GEP). A mãe de Daciolo saiu muito emocionada ao lado dos netos, chorando muito, precisando ser amparada por parentes e amigos. A mulher do bombeiro, Cristiane Daciolo, fez um desabafo indignado contra a prisão do líder do movimento.

 "É uma arbitrariedade colocar preso um pai de família com 14 anos de corporação. Meu marido está encarcerado igual a um bandido, sem cometer crime nenhum. Um homem que apenas fez uma mobilização em prol da PEC 300 (proposta que iguala salários de policiais e bombeiros de todo o país aos do Distrito Federal). Qual homem quer não quer dar dignidade a sua família. Meu marido foi tirado de uma aeronave sem mandado de prisão. Levado para Bangu 1 sem mandado de prisão. Saiu do Rio para Bahia com autorização", declarou. 

Ela anunciou ontem que, se necessário for, vai retornar à Câmara de Deputados, em Brasília, para reivindicar a liberdade do marido. Na terça-feira dia 13, ao lado de um grupo e mulheres de policiais e bombeiros, Cristiane foi à Comissão de Segurança Pública pedir pela transferência dos militares de Bangu 1 para os quartéis das corporações, conseguindo o apoio dos deputados. A transferência foi autorizada pelo Governo do Estado no dia seguinte.

 "Semana que vem eu devo ir a Brasília. Alguém tem que responder por tudo o que está acontecendo, ou o governador, ou o comandante do Corpo de Bombeiros. Não pode umchefe de família ficar preso. Até quando o estado vai ficar financiando isso. Meu marido hoje é um preso político", disse Cristiane. Sobre o estado de saúde de Daciolo, Cristiane afirmou que o marido está bem. 

"Ele tem uma força espiritual muito grande. É um homem que sempre lutou pelo bem. Está havendo uma inversão de valores. Essa greve de fome ele não fez para comover ninguém, nós apenas acreditamos e lutamos para que a justiça seja feita", concluiu.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

SAIU O HABEAS CORPUS DO CABO DACIOLO


Acabo de receber a informação de que saiu o habeas corpus do cabo Daciolo, o último dos líderes dos bombeiros e policiais militares que ainda se encontra preso. Daciolo será libertado até amanhã de manhã. Finalmente fez-se justiça.

BLOG DO GAROTINHO

DISCURSO DA DEPUTADA JANIRA ROCHA HOJE NA ALERJ


Frente a isso, volto à tribuna hoje para falar da situação não só do Cabo Daciolo, que permanece preso, hoje, de forma irregular, arbitrária. Estive hoje na Defensoria Pública, estive também na Justiça Militar. Tenho acompanhado os advogados que estão tomando a defesa de vários trabalhadores, do Daciolo e de outros mais. Falou-se tanto em Constituição aqui, defendeu-se tanto a Constituição para criminalizar os trabalhadores, mas qualquer um com o mínimo de honestidade intelectual que pegue o processo, que pegue todas as peças que foram produzidas até agora contra o Daciolo e outros trabalhadores vai ver que nós estamos vivendo um verdadeiro hiato dentro do que seria o estado democrático de direito.
Nós estamos vivendo um momento de exceção de todas as normas e de todas as regras. Isso começa, por exemplo, acho que é importante falar, com a possibilidade de montagem de uma verdadeira fraude processual no caso desses trabalhadores, o Daciolo, que continua preso, e aqueles que foram presos em Bangu I junto com ele e que saíram. Hoje eles estão respondendo a inquéritos, a IPMs, a Conselhos de Justificação de forma sumária.
A orientação que o Governo dá hoje é que esses trabalhadores teriam que ser expulsos das suas Corporações até o início da próxima semana. Para isso, o Governador Sérgio Cabral soltou o Decreto nº 43462/2012, que traz um vício de iniciativa tremendo, porque muda toda uma orientação que existia anteriormente. Eu o tenho aqui, não dá tempo de ler tudo, mas claramente se manifesta a Defensoria Pública pela inconstitucionalidade desse Decreto, na medida em que ele esbarra em preceitos constitucionais. Esses preceitos só poderiam ser mudados a partir de uma Lei votada por esta Casa, pela Assembleia Legislativa.
Aqui está tudo bem, não interessa que o Governador passe por cima da Assembleia Legislativa. Aqui está tudo bem, mas digamos que ele faça o Decreto, que se considere que esse Decreto é constitucional. Mesmo que esse Decreto fosse constitucional, ele não deveria poder retroagir para culpabilizar, para punir e expulsar esses trabalhadores da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, mas é exatamente isso que está acontecendo.
Enquanto nós, do Parlamento, estamos aqui, nesta quinta-feira, falando na tribuna sobre as demandas, esperando a Ordem do Dia, cumprindo com a nossa tarefa no dia de hoje, na Auditoria Militar, vários militares, neste momento, estão – eu estive lá de manhã – respondendo a inquéritos de forma sumária, com toda a legalidade sendo jogada na lata do lixo, com vistas a serem colocados para fora da Corporação.
Nós estamos vivendo essa situação de exceção e fazemos de conta que realmente existe uma democracia no nosso Estado. Existe, sim, uma democracia no nosso Estado para os ricos, para os poderosos, para aqueles que fazem parte desse grande conluio administrativo, político, partidário que hoje é feito pelo Governador Sérgio Cabral, pelo seu PMDB. Objetivamente, deveria se dar atenção ao que está acontecendo na Auditoria. Primeiro, não tem um mês, houve uma grande solenidade nesta Casa a que compareceram várias autoridades, coronéis do Corpo de Bombeiros, coronéis da Polícia Militar, figuras do Poder Judiciário, para entrega de Medalha Tiradentes, iniciativa do Deputado Flávio Bolsonaro, ao Defensor Público Luiz Felipe Drummond. Ele foi fartamente homenageado por esta Casa, sentou-se aqui à Mesa de Honra, foi aplaudido, várias intervenções a seu favor foram feitas.
Pois bem, o Dr. Luiz Felipe, Defensor Público que estava defendendo os bombeiros desde o primeiro momento dos 439, não apenas foi não só insultado e agredido dentro do Batalhão de Choque do Corpo de Bombeiros como também foi afastado do caso. Ele, que estava na linha de frente em defesa dos bombeiros, não mais que de repente, foi afastado. Tiraram o Defensor Luiz Felipe e o transferiram para a Zona Oeste, em Bangu, e ele não poderá mais trabalhar na defesa dos bombeiros.
Houve caso de prisão sem flagrante, sem mandado de prisão, houve o caso dos presos incomunicáveis, uma série de figuras muito próprias da época da ditadura militar, muito próprias de procedimentos de exceção que estão ocorrendo nesse momento. E nós não estamos nos dando conta da gravidade desses fatos que estão acontecendo, nem estamos nos dando conta do quanto é necessário dizer não a isso e defender esses trabalhadores. Porque o que está se fazendo na verdade hoje, contra esses trabalhadores, amanhã poderá se voltar contra qualquer um, contra qualquer parlamentar, contra qualquer membro do Judiciário.
Se tem uma coisa que o Sr. Sérgio Cabral não sabe é ser muito fiel a alguém. Ele esteve até hoje de braços dados com os bicheiros. Ele tem dois mandatos. Até agora ele tem ficado junto com todos os bicheiros deste Estado que estavam lá patrocinando as escolas de samba. De repente, ele já não está muito a favor deles, não. Ele deu declarações dizendo que não, que agora tem que profissionalizar. Antes ele estava junto deles, no mesmo camarote, fazendo vista grossa a qualquer tipo de irregularidade. Agora, esses sócios antigos passam a ser vinculados ao crime internacional e não sei o quê, não sei o quê. Será que realmente o Governador Sérgio Cabral não tem responsabilidade nenhuma por ter se relacionado durante todo esse período e agora de repente ele descobre que essas pessoas têm vinculações com o crime organizado internacional?
Então depende para onde vão os ventos, da necessidade da profissionalização do samba, etc. Acho engraçado que as pessoas venham aqui falar bem do Carnaval. Legal. Falar bem do Carnaval dá Ibope. Falar bem do Carnaval depois da festa que levou milhões de pessoas às ruas é muito bom. Agora, vamos abrir o olho para o que está acontecendo em nosso Estado. Não podemos pegar as coisas do senso comum, as coisas que as pessoas defendem e gostam, a fim de encobrir essa situação.
Quero dizer aqui que houve um verdadeiro flagrante montado contra esses trabalhadores. Essa criminalização feita na Bahia, sim, começou na Bahia, então diziam que queimaram ônibus, queimaram carreta, etc., mas ninguém até hoje viu onde está o ônibus queimado ou onde está a carreta queimada. Ninguém viu nada. Mas fizeram um terror na Bahia, trouxeram terror para o Rio de Janeiro em cima da possibilidade de crime, jogaram os trabalhadores em Bangu I, eles ficaram incomunicáveis, uma série de pais de famílias que estão neste momento respondendo a inquérito e ser colocados para fora.
Não dá para fazermos de conta que nada disso está acontecendo. E sabe por que não dá? Porque a PEC-300 continua solta. Ela não está sob o regime de exceção. A PEC-300, que na cabeça dos militares significa comida em suas mesas, significa passagem, significa aluguel, significa dignidade, não será expulsa da Corporação. Ela não está sujeita aos tribunais de exceção. Ela não está sujeita à expulsão, nem à prisão em Bangu I.
Essa continua livre, essa vai cobrar um preço. Pior de tudo, é que ela não cobrará um preço ao Governador Sérgio Cabral, mas da sociedade, vai cobrar um preço da segurança pública. Por isso, chamo a atenção de todos os parlamentares, dos companheiros presentes, para que se preocupem sim com essa questão. Estão acontecendo neste momento esses inquéritos de maneira completamente fraudulenta e irregular.
É preciso que outras pessoas se importem não só com apoio e solidariedade desta tribuna, mas se importem realmente em incidir sobre isso para que possamos reverter essa situação. Quem vai ganhar com isso? Ganharão a segurança pública, os nossos filhos, os nossos familiares que poderão andar na rua sabendo, realmente, que existem tropas que estão trabalhando com amor e com dignidade. Porque o que as tropas que foram para as ruas, se mobilizando pela PEC 300, estão pedindo para a sociedade: “Socorro, eu não quero ser miliciano; socorro, eu não quero ser ladrão; socorro, eu não quero viver de dinheiro dado de forma irregular. Eu quero dignidade.” E a sociedade precisa responder a esse chamado, a sociedade não pode deixar que esses bons trabalhadores, esses que botam a cara à tapa, esses que dizem não à corrupção, esses que não têm esquemas que sejam expulsos, que sejam presos, que sejam punidos porque isso significará um retorno mais tarde.
Não adianta, panela de pressão não se fecha com tampinha de plástico. Estão tentando fechar uma panela de pressão, que é nacional, com uma tampa de plástico.
Vou continuar falando isso aqui até que se consiga uma solução. Não vou mudar a pauta, vou continuar levantando todos os elementos irregulares nessa situação para que consigamos realmente uma solução. É necessária uma solução para essa questão.
Tenho certeza que a sociedade vai abrir seus ouvidos e que dará uma resposta para isso; que as pessoas poderiam ser até a forma de mobilização da Polícia Militar e dos bombeiros, mas jamais no Estado do Rio de Janeiro vai ter pessoas que sejam a favor de Bangu I, de Guantánamos em nosso Estado.
Jamais alguém aqui vai ser a favor que um defensor público seja expulso de um quartel debaixo de pancada, com cachorro, como foi o Defensor Luiz Felipe que veio a esta Casa para ser homenageado e hoje está afastado do caso na Zona Oeste. Então, há uma situação de exceção aqui, sim, e é necessário que esta Casa cumpra o seu papel constitucional que é o de fiscalização do Poder Executivo e se pronuncie sobre isso.

Deputada Janira Rocha

DISCURSO DO DEPUTADO PAULO RAMOS HOJE NA ALERJ


Agora na parte da manhã, estive no chamado Grupamento Especial Prisional do Corpo de Bombeiros, ao lado da Quinta da Boa Vista, onde está preso um preso político, o último que restou de todos aqueles que, arbitrariamente, foram igualmente presos.
Foram muitos bombeiros e muitos policiais militares presos – arbitrariamente – e ainda continua preso o Cabo Daciolo, que na verdade também não cometeu nenhum ilícito, porque quando esteve em Salvador apoiando ou manifestando solidariedade aos companheiros militares estaduais da Bahia, ele esteve acompanhado do presidente da Associação dos Magistrados da Justiça Militar. O que fazia lá, então,o presidente da Associação de Magistrados da Justiça Militar se foi a própria Justiça Militar Estadual que mandou prender o Cabo Daciolo? Afinal de contas, qual a providência tomada em relação ao presidente da Associação dos Magistrados da Justiça Militar? Se, porventura, o Cabo Daciolo estivesse cometendo algum ato ilícito, seguramente, o magistrado também estaria cometendo algum ilícito ou, pelo menos, por dever do ofício, deveria lá ter dado a voz de prisão.
De qualquer maneira,  a minha solidariedade a todos os policiais militares, bombeiros militares e policiais civis pela luta travada. Vamos esperar que o bom senso prevaleça e que o Cabo Daciolo seja o mais rapidamente, urgentemente liberado. Ele está com dificuldade de alimentação; não posso dizer que esteja fazendo uma greve de fome, mas vive um sofrimento muito agudo, insuportável, e isto precisa ser devidamente superado.
A minha solidariedade e a minha expectativa é que de hoje para amanhã ele já esteja solto e que a mão pesada da Justiça Militar e a mão pesada do Governador Sérgio Cabral, administrativamente falando, que essas duas mãos pesadas não recaiam sobre aqueles que representam um sentimento que prevalece no seio dos militares estaduais, e que não sofram nenhuma consequência punitiva que resulte na perda das respectivas carreiras.
É duro verificar a ditadura que impera no Rio de Janeiro. Vamos ver se o bom senso prevalece e se a própria auditora, da Auditoria Militar – dizem que é candidata a desembargadora – acumula com a Justiça Eleitoral, que ela, pelo menos, haja com a serenidade de quem tem dois contracheques, e contracheques bem polpudos.

Deputado Paulo Ramos

VISITA AO CABO DACIOLO NO GEP

SÓ PERMITIRAM A VISITA DE 5 PESSOAS DA FAMÍLIA. UM PASTOR DA IGREJA DE DEUS INTERNACIONAL TAMBÉM NÃO CONSEGUIU VER O DACIOLO. NÃO DEIXARAM QUE FIZESSEMOS UMA CORRENTE DE ORAÇÃO DENTRO DO GEP, E FOMOS PARA A CALÇADA EM FRENTE AO QUARTEL.ANTES DAS 13:00 HORAS, O DEPUTADO PAULO RAMOS FEZ UMA RÁPIDA VISITA AO CABO DACIOLO. A REDE TV E O JORNAL O POVO DO RIO, NÃO PUDEREM FILMAR NEM FOTOGRAFAR DENTRO DO GEP.
O CABO DACIOLO RECEBEU A VISITA DA MÃE, DE DOIS IRMÃOS, OS DOIS FILHOS E DA ESPOSA CRISTIANE.
 







O TEMPO TODO NÓS FOMOS MONITORADOS 

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

HOJE O CABO DACIOLO COMPLETA 15 DIAS DE CONFINAMENTO.


Faremos uma visita ao Cabo  Daciolo nesta QUINTA-FEIRA dia 23/02 às 13 hs no GEP
 Av. Bartolomeu de Gusmão, 850 - São Cristóvão

           Indo de trem ou metrô, descer na estação de São Cristóvão



MAPA: AQUI

RODRIGO PIMENTEL O TRAÍDOR DA POLÍCIA MILITAR DO RIO DE JANEIRO

O capitão Rodrigo Pimentel se diz especialista em segurança pública, vende a imagem de que foi um policial corajoso que enfrentava bandidos e que deixou a PM por não concordar com as coisas erradas que aconteciam. Mas tudo não passa de uma grande farsa. Para começar como poderão ver abaixo, ele entende muito é de segurança privada. Quanto ao destemido policial vocês vão descobrir que na verdade Pimentel é uma vergonha para a tropa. Porta-voz do governador Sérgio Cabral na TV Globo, Rodrigo Pimentel adora posar de vestal e guardião da moralidade. Pimentel disse que o cabo Daciolo e seus colegas dos bombeiros e da Polícia Militar, inclusive o coronel Paúl, deveriam ficar presos em Bangu 1. Mas agora vocês vão saber quem é Rodrigo Pimentel. Um covarde, aproveitador e hipócrita. Saiu da PM depois que ao comandar uma operação entrou em pânico e urinou nas calças. O ex-comandante do BOPE, coronel Venâncio Moura teve que substituí-lo no meio da operação por um sargento que tomou a frente e salvou a guarnição. Todos no BOPE conhecem essa história lembrada como um exemplo de covardia e desonra para a unidade de elite. Isso ninguém sabe do comentarista da TV Globo. Mas se vocês pensam que Rodrigo Pimentel é somente um covarde vão agora conhecer outro lado dele. Transferido para o 29º batalhão, em Itaperuna, desmoralizado porque sua história correu a corporação, decidiu que era hora de deixar a Polícia Militar. Além do mais não se conformava em deixar de morar na Zona Sul, onde sempre viveu, desde que seu pai general foi morar na Urca. Correu atrás de uma reforma por invalidez alegando que ficou surdo trabalhando na PM. Prestem atenção no laudo abaixo. Perceberão que o laudo aponta o perfil áudio-métrico de normalidade. Mesmo assim, aos 29 anos, o capitão Pimentel foi reformado por invalidez definitiva para o trabalho, com proventos proporcionais ao tempo de serviço.  
 
 
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR

Mas o “corajoso” capitão Rodrigo Pimentel queria receber o salário integral de capitão sem trabalhar pelo resto da vida, repito, aos 29 anos. Para isso comprou um laudo de um médico particular e conseguiu ficar ganhando como se estivesse na ativa. Recebendo inclusive mais um adicional por invalidez. 

Bem, os senhores já viram Rodrigo Pimentel na televisão, ele não parece nada surdo, aliás, ele já apareceu até entrando ao vivo, dentro de um helicóptero com motor ligado e respondeu imediatamente a pergunta do apresentador com todo aquele barulho. Rodrigo Pimentel quando lhe convém escuta muito bem. O hipócrita Rodrigo Pimentel, comentarista da TV Globo pode se dar ao luxo de criticar os seus colegas que lutam por melhores salários, já que além de receber o salário integral de capitão da PM (com adicional por invalidez), mais o dinheiro da TV Globo, é sócio em uma empresa de segurança privada e tem participação nos negócios de outra, conforme poderão ver nos documentos abaixo. A R & R Pimentel Consultoria em Segurança Limitada, tem ele e sua mulher Rosele como sócios, além disso tem participação na empresa Sunset Vigilância e Segurança Limitada. Um detalhe muito importante para vocês entenderem por que o “bravo” comentarista da TV Globo elogia tanto Cabral. Em uma dessas empresas ele trabalha com o Major Filipe que vem a ser o chefe da segurança pessoal de Sérgio Cabral. Agora dá para entender porque prefere elogiar Cabral e ficar contra seus colegas. 



Para quem acreditava na mentira que ele sempre contou de que largou a PM por discordar de coisas erradas que aconteciam, e que foi um brilhante policial do BOPE está aí para vocês o verdadeiro Rodrigo Pimentel. Além de medroso e de ter saído da PM pela porta dos fundos, é aproveitador e hipócrita.  



“O hipócrita Rodrigo Pimentel, comentarista da TV Globo pode se dar ao luxo de criticar os seus colegas que lutam por melhores salários, já que além de receber o salário integral de capitão da PM (com adicional por invalidez), mais o dinheiro da TV Globo, é sócio em uma empresa de segurança privada e tem participação nos negócios de outra, conforme poderão ver nos documentos. AR & R Pimentel Consultoria em Segurança Limitada, tem ele e sua mulher Rosele como sócios, além disso tem participação na empresa Sunset Vigilância e Segurança Limitada”.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A greve dos militares no Rio de Janeiro e as arbitrariedades do Estado

Pronunciamento - Protógenes Queiroz fala da arbitrariedade das prisões de bombeiros e policiais militares do Rio de Janeiro, pedindo que a ordem seja restabelecida pelo Surpremo Tribunal Federal através de julgamento de Habeas Corpus com pedido de liminar impetrado contra o cárcere desses profissionais. O plantão judiciário do Tribunal de Justiça do Rio negou o habeas corpus ao cabo Daciolo. Ainda corre no Supremo Tribunal Federal, em Brasília, o pedido de liberdade impetrado no dia 17 pelo deputado federal Protógenes Queiroz.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

O HABEAS CORPUS do Cabo Daciolo acaba de ser negado pelo Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Rio.

Com muita tristeza, mas também muita fé, trazemos a triste notícia de que o HABEAS CORPUS DO CABO DACIOLO acaba de ser negado pelo Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Rio.

Ainda corre no Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, pedido de Habeas Corpus impetrado pelo deputado federal Protógenes Queiroz. Clique aqui para acompanhar o processo.

 VAMOS TODOS NOS MANTER ATENTOS E NA EXPECTATIVA. COM MUITA FÉ.

Não descansaremos e não mediremos esforços enquanto o CB Daciolo não tiver a LIBERDADE a que tem direito. LEMBRAMOS QUE O CABO DACIOLO FOI RETIRADO SEM MANDADO DE UM AVIÃO NO DIA 8, SOB ACUSAÇÃO DE TER SAÍDO DO ESTADO SEM AUTORIZAÇÃO, MESMO EM POSSE DO DOCUMENTO QUE REGISTRA ESTA AUTORIZAÇÃO PELA CORREGEDORIA INTERNA DO CBMERJ.

TODA A NOSSA SOLIDARIEDADE À FAMÍLIA DO CB DACIOLO.

 Lembramos também a campanha urgente de arrecadação:

 ESTAMOS URGENTEMENTE PRECISANDO DE DOAÇÕES PARA PODERMOS PAGAR OS CUSTOS DO HABEAS CORPUS dos 12 bombeiros, PEDIMOS COM MUITA URGÊNCIA

DOAÇÕES NAS SEGUINTES CONTAS:

BRADESCO -- AG. 6746 -- DÍG. 6 -- CC. 0550019-2 (atenção, o número correto é este, foi corrigido)
OU
ITAU -- AG. 4550 -- Conta poupança 05525-7/500 (ambas em nome de Ademar Balthar).

AJUDA URGENTE!


A libertação dos 11 bombeiros se deu por meio de habeas corpus feito por advogado particular, dr. RAUL LINS E SILVA, a quem agradecemos pelo empenho e pela dedicação.

ESTAMOS PRECISANDO URGENTE DE DOAÇÕES PARA PODERMOS PAGAR OS CUSTOS DO HABEAS CORPUS, PEDIMOS COM MUITA URGÊNCIA DOAÇÕES NAS SEGUINTES CONTAS:

BRADESCO - AG. 6746-6 - CC. 0550019-2

ITAU -  AG. 4550 - Conta poupança 05525-7/500

 Ambas contas  em nome de Ademar Balthar( cabo Balthar )

BOMBEIRO DESAPARECIDO

O Ten BM RODRIGO Jose Neves GROETARES esta desaparecido desde  11/02 quando saiu sozinho de uma festa na Estrada  do Engenho em Bangu.
O carro de propriedade dele (fox preto) foi encontrado pela família.
Os familiares pedem ajuda.
TEL PARA CONTATO: 
(21) 8883-0444
(21)9995-5589;
Fabricio Nishio

O CABO DACIOLO AINDA ESTÁ PRESO

O advogado Raul Lins e Silva espera corrigir logo o problema para que o cabo Daciolo  possa ser libertado ainda hoje.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

CABO DACIOLO VAI CONTINUAR PRESO


TODOS OS BOMBEIROS RECEBERAM O ALVARÁ DE SOLTURA, MENOS O CABO DACIOLO!!!
O advogado ao falar para a Cristiane Daciolo que ele ia continuar preso ela desmaiou e chamaram uma ambulância.
 O primeiro bombeiros a sair do GEP foi o Cabo Noronha.
Vários bombeiros e alguns policiais militares estão na porta do GEP aguardando a saída dos que foram beneficiados com HABEAS CORPUS
 

Justiça concede liberdade para todos os bombeiros que estavam presos ilegalmente


Apenas o cabo Daciolo permanece preso no GEP, porque houve um "" erro de digitação "" no seu alvará de soltura. O advogado Raul Lins e Silva espera corrigir logo o problema!


sábado, 18 de fevereiro de 2012

HABEAS CORPUS FOI CONCEDIDO - PMS ESTÃO LIVRES!

CONFORME MENSAGENS NO FACEBOOK
PMs receberam hoje pela manhã o alvara de soltura.
Muitos já estão indo para sua casas!
Louvado seja Deus!!!
Para minha grande alegria, acabo de recerber a ligação do Cel Rabelo , e ele disse que já está solto e a caminho de casa, disse ainda que todos os policiais militares grevistas presos no BEP, também foram soltos. Parabéns mais uma vez Dr. Floriano, pela sua competência. Ah, pra quem não sabe,... Dr° Floriano é um exce...lente advogado, especialista em causa militares e autor do pedido de Habeas Corpus que foi concedido pela juíza Drª Ana Paula na Auditoria Militar do Rio de Janeiro. Parabéns a todos os policiais militares que hoje retornam ao aconchego de suas famílias e lares. Parabéns as esposas e mães que sorriem felizes e estonteantes ao receber seus maridos e filhos. Obrigada Maj Hélio por compartilhar conosco logo de imediato, trazendo alegria, animo e esperança de rever logo aqueles que ainda aguardam o mesmo beneficio. E parabéns à você, meu querido e grande amigo, Cel Rabelo que regressa sua rotina com o mesmo espirito elevado de sempre. À nós, agora, só resta esperar que nossos bravos guerreiros do fogo tenham o mesmo pedido concedido, pois a luta é a mesma e a justiça é igual para todos. Obrigada, MEU SENHOR JESUS!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

CABRAL ABOLIU O USO DE COLETES A PROVA DE BALAS

SITE: REVISTA VEJA
A PM do Rio de Janeiro acaba de abolir uma exigência que vai causar muita estranheza. Desde a semana passada, os policiais não são mais obrigados a usar colete a prova de balas nas operações dentro das favelas. Aliás, boa parte daquelas vestes encontra-se obsoleta ou defeituosa e se a obrigatoriedade do seu uso não fosse abolida muitos PMs poderiam se recusar a ir às ruas sem proteção.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Policiais que se recusaram a cumprir ordens no início da greve são afastados da unidade de elite da PM do Rio. Onze foram transferidos esta semana

SITE: REVISTA VEJA

Na noite de quinta-feira, 9 de fevereiro, enquanto cerca de cinco mil grevistas, entre policiais militares, civis e bombeiros se reuniam na Cinelândia para decretar a paralisação conjunta, um outro manifesto acontecia a alguns quilômetros dali, mais precisamente na sede do Batalhão de Operações Especiais (Bope), a tropa de elite da polícia carioca, em Laranjeiras. A ordem do chefe do Estado Maior, Alberto Pinheiro Neto, era para que o comandante da unidade, Wilman René Alonso, enviasse a equipe de plantão para o local da manifestação. A ordem, encarada pela equipe Bravo como uma afronta, foi desobedecida. O castigo veio a cavalo. Por ordem de Pinheiro Neto, desde a última terça-feira, o grupo considerado rebelde começou a ser expurgado do batalhão. Um a um, eles estão sendo punidos com transferências para batalhões comuns, a maioria deles na Baixada Fluminense, São Gonçalo e Itaboraí. Até esta quinta-feira 11 já tinham sido realocados compulsoriamente.

O Boletim Interno número 31, de 14 de fevereiro, traz na página 55 a lista dos transferidos – entre outras transferências rotineiras da PM. A diferença é que, por ser uma unidade de elite, com treinamento especial, raramente há mudanças em massa no batalhão.

A lista de punidos é encabeçada pelo subtenente Jayme Rosa Filho, oficial de operações, e pelo sargento mais antigo, Milton Ramos Azevedo, conhecido no Bope como Bambam. Este, por sinal, tornou-se uma espécie de lenda entre os ‘caveiras’. Participou de praticamente todas as grandes ações protagonizadas pelos homens de preto, inclusive das cinematográficas ocupações da Vila Cruzeiro, em 2010, quando as câmeras flagraram centenas de bandidos correndo do Bope, e da Rocinha, ano passado.

“Queríamos apenas saber qual o motivo dessa ordem, pois sabíamos que estaríamos afrontando uma multidão, somente pelo fato de estarmos ali por perto. Era óbvio que isso iria acirrar os ânimos e poderia gerar uma confusão sem precedentes. Então surgiu o questionamento ao comandante”, explica um dos policiais.

O fato é que a equipe Bravo acabou se recusando a sair do batalhão sem saber exatamente do que se tratava a missão. A decisão de não combater os grevistas já havia sido avisada ao comandante numa reunião na semana anterior, três dias antes do início da greve. E o próprio subcomandante do Bope, major André Batista (oficial que inspirou o personagem Mathias, interpretado pelo André Ramiro, no filme ‘Tropa de Elite’) prometera diante da tropa, formada no pátio da unidade, que entregaria o cargo se o comandante-geral, coronel Erir Ribeiro Costa Filho, mandasse o Bope para qualquer ocorrência que não fossem aquelas para os quais assalto com reféns, fechamento de vias, arrastões ou ataque de facções do tráfico.

“Não era uma adesão à greve nem um ato de insubordinação. Mas não iríamos para uma praça no centro da cidade enfrentar nossos colegas que reivindicavam melhores condições de salário. A equipe Bravo demorou a formar (reunir-se para partir em missão), mas depois acabou indo para o Quartel General da PM, ficou cinco minutos lá dentro e voltou”, explica outro oficial do Bope.

Com as transferências, o clima na unidade mais bem preparada do Rio de Janeiro azedou. Até o segurança pessoal do comandante Wilman René, cabo Marcelo Luiz Lino Moreira, foi mandado para outra unidade. Mesmo sem estar de serviço, naquela noite ele vestiu a farda preta e se juntou aos colegas que buscavam uma explicação do comando. A crise pode se agravar. Os praças do batalhão se reuniram e têm tentado convencer um grupo maior a entregar o cargo e pedir a exoneração do Bope caso as punições sejam levadas adiante.

Sergio Cabral poderá ser investigado por abusos.

Governador Sérgio Cabral será investigado por abusos e crimes nas prisões de Policiais e bombeiros em Bangu 1 

 - A transferência dos policiais e militares de Bangu 1 se deu somente por causa da ida de várias esposas de militares a Brasília, onde foram recebidas por várias comissões de parlamentares, que constataram de pronto as ilegalidades e crimes de Cabral, e pressionaram imediatamente o Governo do Rio. 

 -Sérgio Cabral está mentindo ao alegar que pedirá agora a tranferência dos policiais militares e bombeiros de Bangu 1 para unidades militares, alegando que a greve acabou, e não há mais riscos, a verdade, como dito acima, é que Cabral foi colocado contra a parede pelos parlamentares de Brasília.

- Sérgio Cabral será investigado por parlamentares de Brasília (Comissões) por várias irregularidades e crimes envolvendo a prisão de policiais e bombeiros no presídio de Bangu 1. 

 - São inúmeras as irregularidades, e crimes cometidos pelo Governador Sérgio Cabral, por exemplo, militares que não poderiam ter sido presos em Bangu 1, e várias prisões que foram feitas sem mandado (ordem judicial). 

 - Conforme falado pela esposa do Cabo Daciolo, ele foi um dos que foi preso arbitrariamente, ilegalmente, e criminosamente sem mandado de prisão. Mas como dito acima, a chapa vai esquentar Sérgio Cabral, essas arbitrariedades terão que ser investigadas a fundo, e eu pessoalmente vou tentar também junto com todos a levar esse caso para os Organismos Internacionais competentes. 

 A justiça começa a ser restabelecida, PARABÉNS esposas dos militares que foram a Brasília defenderem os seus maridos.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Presidente de comissão se reúne com esposas de militares presos no RJ

SITE: CÂMARA DOS DEPUTADOS

O presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, deputado Mendonça Prado (DEM-SE), recebe hoje as esposas de policiais e bombeiros militares presos no Rio de Janeiro. O encontro será realizado às 15 horas, no Plenário 8.

Na ocasião, deve ser discutido, entre outros pontos, o tratamento dado aos profissionais envolvidos no movimento grevista que teve início no último dia 9. Até o momento, pelo menos 9 bombeiros e 17 policiais militares estão detidos no presídio de Bangu 1, alguns por conclamar e incitar a greve e outros por flagrante crime de desobediência. “As famílias estão revoltadas com o fato de os militares terem sido levados para estabelecimentos penais de segurança máxima, quando deveriam ser reservados espaços nas próprias unidades militares”, afirma Mendonça Prado.
Cristiane Daciolo, mulher do cabo Benevenuto Daciolo, bombeiro militar preso preventivamente no dia 8 por suposta prática dos crimes de incitamento e aliciamento a motim, lidera o grupo de esposas. Elas solicitam a transferência dos militares para um presídio militar, reivindicação que é acolhida pelo parlamentar. “A prisão em Bangu 1 revela-se uma arbitrariedade abominável. Entendemos que a prisão desobedece às normas estabelecidas no ordenamento jurídico”, acrescenta Prado.
Segundo Cristiane, o marido dela mantém-se em greve de fome há cinco dias. Ela refuta as acusações de que o movimento grevista está sendo manipulado politicamente. "Ele [Daciolo] não está envolvido com política, não está filiado a partido algum. Partidos políticos apoiam o movimento, mas o movimento não está com nenhum partido", diz.
Os bombeiros e policiais militares do Rio pedem a implementação do piso salarial de R$ 3.500 para as categorias e a liberdade do cabo Daciolo.

MOBILIZAÇÃO SUSPENSA TEMPORARIAMENTE

É revoltante o que o governador Cabral está fazendo com os policiais e bombeiros presos, nossa luta agora se concentra na liberdade dos bravos guerreiros!
A greve dos bombeiros e policiais militares foi SUSPENSA até depois do Carnaval. A decisão foi tomada na noite DE ONTEM DIA 13 NO SINDSPREV, durante uma assembleia geral.
Policiais e bombeiros decidiram na noite desta segunda-feira, em assembleia, PELA SUSPENSÃO da greve,  vamos nos  concentrar  na libertação dos militares presos que estão em Bangu 1.
Cristiane Daciolo com algumas esposas de policiais e bombeiros militares PRESOS, embarcaram rumo a Brasília, hoje na parte da manhã. O presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, deputado Mendonça Prado (DEM-SE), receberá nesta terça-feira as esposas de policiais e bombeiros militares presos no Rio de Janeiro. O encontro será realizado às 15 horas, no Plenário 8.

Aos familiares dos policiais e bombeiros militares presos de forma covarde e arbitrária, todo o nosso apoio e solidariedade.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Familiares não têm notícias de PMs e bombeiros presos em greve no Rio

No Estado do Rio de Janeiro, mais de 90 por cento da população apoiam as reivindicações dos bombeiros e policiais

TRIBUNA DA IMPRENSA- Carlos Newton

Pesquisa feita hoje pelo programa de Haroldo de Andrade Junior, na Super Rádio Tupi, mostra que mais de 90 por cento dos pesquisados apoiam as reivindicações dos bombeiros e policiais militares e civis do Rio de Janeiro.
Este dado é impressionante, demonstrando a solidariedade da população às forças de segurança e proteção, que realmente precisam ganhar salários compatíveis com as atividades que desempenham. Simples assim.

NA DECISÃO DA JUSTIÇA NÃO TEM NADA DIZENDO QUE OS PMS E BMS DEVERIAM IR PARA BANGU 1

Deputado Flávio Bolsonaro fala sobre a situação dos PRESOS EM BANGU 1

OAB pede a Beltrame informações sobre militares presos pela greve

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, no Rio, Wadih Damous, e a presidente da Comissão de Direitos Humanos da entidade, Margarida Pressburger, estão encaminhando um ofício ao secretário de Segurança do estado, José Mariano Beltrame, para que informe quem são e onde estão os militares presos pela greve da Segurança do Rio. 

O pedido para que a entidade intervenha na questão foi feito em reunião pela manhã, na OAB, por uma comissão de familiares de grevistas que estão desaparecidos e pelos deputados Paulo Ramos (PDT) e Janira Rocha (PSOL). Segundo Margarida Pressburger, a maioria das famílias não tem notícias de seus filhos e maridos:

— Estamos oficiando o secretário Beltrame para que informe quantos são, quem são e onde estão. Essa agora é nossa prioridade. Eles estão presos administrativamente, não podem ser recolhidos em presídios de segurança porque não foram condenados — afirmou Margarida, acrescentando que a OAB-RJ irá atuar junto à Defensoria Pública para conseguir a transferência dos presos que por ventura estiverem em Bangu 1 ou em qualquer outro presídio, para que cumpram a prisão em quartéis.

— Uma senhora tentou visitar o marido em Bangu 1 e disseram a ela que teria que tirar a carteirinha de familiar de preso. Isto é para condenados. Além disso, são policiais e muitos já prenderam presos que hoje cumprem pena em Bangu. Imagine o risco para a segurança deles em caso de rebelião — afirmou a advogada.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

ATENÇÃO FAMILIARES DOS POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS PRESOS!

REUNIÃO com a DEFENSORIA PÚBLICA nesta segunda-feira, 10h, no Sindsprev (R. Joaquim Silva, 98 - Lapa). Toda a orientação será prestada, é fundamental a presença de pelo menos um familiar de cada herói que foi covardemente preso. 

Defensor Público - Dr. Luis Felipe - tel. 8596-5470 ou 2332-6243 
  
Já tentamos por MUITAS vezes, mas não há informações AINDA sobre visitação. 

Tel. de contato de Bangu 1 -- 2333-4676 ou 2333-4678

CLIQUE PARA AMPLIAR O MAPA


RUA JOAQUIM SILVA 
VEJA O MAPA  AQUI




CONVOCAÇÃO
ASSEMBLEÍA NO SINDSPREV
DIA 13 (SEGUNDA-FEIRA) ÀS 18:00 Hs
POLICIAIS MILITARES, BOMBEIROS E  FAMILIARES, SUA PRESENÇA É MUITO IMPORTANTE!