terça-feira, 18 de setembro de 2012

CGU de olho no Porsche de Coronel Fernando Príncipe

A Corregedoria Geral Unificada (CGU) da Secretaria de Segurança reúne documentos e informações, e avalia a instauração de inquérito administrativo disciplinar contra o coronel Fernando Príncipe, parado em blitz da Lei Seca na madrugada de domingo. 
O objetivo da CGU é saber a procedência do Porsche zero quilômetro amarelo, que custa R$ 650 mil, dirigido pelo coronel, um “automóvel importado de alto valor” , segundo nota da CGU.


Príncipe — que segundo a corregedoria está lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), mas é da reserva da corporação — se recusou a fazer o teste do bafômetro, foi multado, teve a habilitação apreendida e só teve o Porsche liberado com a apresentação de outro motorista.
Irritado, o coronel Príncipe disse que não havia bebido e criticou a Lei Seca. “Isso é uma leizinha, uma leizeca, que quer empurrar as coisas mesmo contrariando os preceitos constitucionais. O ato é tão ridículo e ilegal que está parecendo que estão querendo pegar somente multa”, afirmou o oficial, que ainda fez a ameaça de burlar a fiscalização em outra oportunidade. “Estou pensando, da próxima vez, não vou parar mais”.
O coronel justificou a compra do carro com os rendimentos de uma empresa de segurança, da qual é sócio. “Tenho empresa com meu irmão. Dali é que vem o meu rendimento maior”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário