domingo, 9 de dezembro de 2012

Mais de R$ 100 milhões para implantar o ‘Big Brother’ da segurança

O GLOBO

Centro de Comando e Controle vai monitorar o Rio com 950 câmeras

  Sob um calor escaldante na última quinta-feira, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, e o subsecretário de tecnologia, Edval Novaes, percorreram por cerca de uma hora os 10.625 metros quadrados de área construída do futuro Centro Integrado de Comando e Controle do Rio, (CICC), na Cidade Nova. Quem vê a construção pronta para receber o gigantesco mobiliário tecnológico não imagina as dificuldades do projeto. A obra, que tem por objetivo reunir todos os centros de informações de operações da região metropolitana e agilizar o atendimento emergencial à população, custa quase três vezes o valor original e deve ser concluída no triplo do tempo previsto.

A expectativa é que o centro esteja pronto para a Copa das Confederações e a Jornada Mundial da Juventude, em 2013. Segundo Beltrame e Novaes, os percalços são devido a dificuldades com a legislação existente para instalar no local o sistema de alta complexidade, pioneiro no país.
Principal meta é a integração das forças policiais
Além de atender a emergências 24 horas, o CICC servirá para o gerenciamento de grandes crises e para o controle e acompanhamento dos megaeventos, começando, provavelmente, pela Copa das Confederações e pela Jornada Mundial da Juventude. Para Beltrame, o prédio representa a concretização da maior meta de sua administração: a sonhada integração das polícias:
— O legado que queremos deixar será a integração de todas as forças de segurança. Isto é um processo tão difícil como ocupar o Alemão.
Segundo o secretário, a maior meta do CICC não será a segurança de eventos, mas a da população. Embora o primeiro pilar para a construção tenha sido instalado em setembro de 2010, a ideia de erguer um centro aconteceu bem antes, logo após Pan de 2007. Beltrame assumiu em janeiro de 2007, três dias após os ataques do tráfico que deixaram 18 mortos na cidade, sete meses antes do início das competições.
Imagens na supertela
Com prazo inicial de dez meses e ao custo de R$ 36,1 milhões, o projeto já sofreu inúmeras alterações e o valor de sua construção hoje é de R$ 102,8 milhões. Segundo Novaes, as mudanças foram feitas para atender a mudanças tecnológicas, levando em consideração a segurança da informação e a necessidade de se manter o centro funcionando mesmo com um blecaute.
Numa parede de vidro de 17m de largura por 5m de altura (reunindo 98 telas LED de 55 polegadas), as equipes controlarão a Região Metropolitana por meio de 950 câmeras. Também estarão interligados os serviços de emergência, com 224 posições para teleatendimento.
— Não vamos fazer deste centro um elefante branco — prometeu Beltrame.

8 comentários:

  1. Cabral gasta mais de R$ 100 milhões para implantar projeto de segurança já existente

    O GLOBO publicou ontem uma matéria sobre o futuro Centro Integrado de Comando e Controle do Rio, que irá reunir todos os centros de informações de operações da região metropolitana e monitorar a região com 950 câmeras.

    Eu só gostaria de lembrar – como sempre O GLOBO omite a informação - que no governo da Rosinha, quando Garotinho era secretário de Segurança Pública, implantei o Centro de Comando e Controle, na Central do Brasil, o mais moderno do país, com tecnologia de última geração, a mesma utilizada pela polícia israelense.

    Quando Rosinha saiu do governo deixou 220 câmeras (10 em cada área dos 22 batalhões da PM, da região metropolitana) todas interligadas ao Centro de Comando e Controle.

    O projeto que foi abandonado por Cabral e Beltrame estava começando a preparar a conexão com as câmeras dos presídios. Tinha condições de também estar interligado às câmeras da CET – Rio, que monitoram o trânsito.

    A única e grande novidade nessa matéria é que o Centro custou quase três vezes o valor original e deverá ser concluído no triplo do tempo previsto. O prazo inicial era de 10 meses ao custo de R$ 36,1 milhões, mas o projeto já sofreu inúmeras alterações então o valor hoje é de R$ 102,8 milhões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Centro de Comando e Controle na Central do Brasil foi inaugurado pela Rosinha.

      Excluir
    2. Estão desperdiçando quase R$ 70.000.000 (setenta milhões de reais)? Agora vejo porque a gratificação extraordinária de Natal do PM é de apenas R$ 100,00 (cem reais), 5 (cinco) vezes menor do que em 2010!

      Excluir
  2. A CARREIRA MILITAR ESTADUAL PRECISA SER MAIS VALORIZADA (SALÁRIO DIGNO É INDISPENSÁVEL). Com menos de R$ 2.617,33 (dois mil, seiscentos e dezessete reais e trinta e três centavos) você não garante o atendimento das necessidades vitais básicas (moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene e transporte). Portanto, de acordo com as informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal está sendo DESRESPEITADO! Em vez dos órgãos de segurança pública discutirem o projeto de legalização do trabalho paralelo para os Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro (jornada que deixa o profissional estressado), deveriam discutir o pagamento de SALÁRIOS DIGNOS aos referidos agentes da lei. O que estimula, motiva o PM, é ele ter condições de pagar as despesas essenciais de sua família. Ninguém está pedindo para ficar rico, o objetivo é conquistar apenas o mínimo de DIGNIDADE! O Governo Fluminense, apesar de ter a SEGUNDA MAIOR ARRECADAÇÃO de Impostos, está pagando o MENOR SALÁRIO do Brasil aos MILITARES ESTADUAIS. Um Estado que pretende sediar MEGAEVENTOS ESPORTIVOS como a COPA DO MUNDO (2014) e as OLIMPÍADAS (2016) NÃO PODE PAGAR MENOS DE R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais aos SERVIDORES PÚBLICOS ESSENCIAIS. O PM não pode ser vizinho de bandidos! Como defender a sociedade se o Policial Militar não pode proteger nem ele mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, é impossível ter uma moradia digna, morar num lugar decente, com menos de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais!

      Excluir
  3. Boa tarde os companheiros do batalhão de Iraja mataram o Paulo Cesar dos Reis Encina no morro do juramento em vicente de carvalho (o paulo maluco irmão do escadinha que nos ano 70 foram os fundadores da falange vermelha,o mesmo tinha saido da prisão onde cumpriu mas de 30 anos agora vai ficar preso para sempre vamo ver se vão mandar fechar o comercio tambem um abraço companheiros !!

    ResponderExcluir
  4. QUEREM IMPLANTAR BIG BROTHER NOS POLICIAIS GASTANDO MILHÕES E NÃO PAGAM NEM O RAS EM DIA, O DINHEIRO DOS SERVIÇOS FEITOS PELA PMERJ NAS ELEIÇÕES (1º E 2º TURNO) ATÉ HOJE NÃO FOI PAGO, POLÍCIA DO FAZ DE CONTA É ISSO QUE QUEREM FAZER A SOCIEDADE ENTENDER QUE FUNCIONA.

    ResponderExcluir
  5. A CARREIRA MILITAR ESTADUAL PRECISA SER MAIS VALORIZADA (SALÁRIO DIGNO É INDISPENSÁVEL). Com menos de R$ 2.617,33 (dois mil, seiscentos e dezessete reais e trinta e três centavos) você não garante o atendimento das necessidades vitais básicas (moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene e transporte). Portanto, de acordo com as informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal está sendo DESRESPEITADO! Em vez dos órgãos de segurança pública discutirem o projeto de legalização do trabalho paralelo para os Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro (jornada que deixa o profissional estressado), deveriam discutir o pagamento de SALÁRIOS DIGNOS aos referidos agentes da lei. O que estimula, motiva o PM, é ele ter condições de pagar as despesas essenciais de sua família. Ninguém está pedindo para ficar rico, o objetivo é conquistar apenas o mínimo de DIGNIDADE! O Governo Fluminense, apesar de ter a SEGUNDA MAIOR ARRECADAÇÃO de Impostos, está pagando o MENOR SALÁRIO do Brasil aos MILITARES ESTADUAIS. Um Estado que pretende sediar MEGAEVENTOS ESPORTIVOS como a COPA DO MUNDO (2014) e as OLIMPÍADAS (2016) NÃO PODE PAGAR MENOS DE R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais aos SERVIDORES PÚBLICOS ESSENCIAIS. O PM não pode ser vizinho de bandidos! Como defender a sociedade se o Policial Militar não pode proteger nem ele mesmo?

    ResponderExcluir