sábado, 15 de dezembro de 2012

Por ordem de juíza, policiais transferidos para o BEP voltam para o Complexo de Gericinó


Em algumas horas, o Batalhão Especial Prisional (BEP) ganhou e perdeu três dezenas de novos moradores. Após o comando da Polícia Militar decidir, na quinta-feira, pela transferência de 35 ex-policiais do BEP para Bangu, o presídio recebeu 35 PMs da ativa que estavam em poder da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Eles foram enviados para o BEP na madrugada de ontem, obedecendo decisão tomada em conjunto pelo secretário de Administração Penitenciária, Cesar Monteiro de Carvalho, e pelo comandante da PM, coronel Erir Costa Filho.
Os presos, entretanto, foram obrigados a deixar o BEP e voltar ao Complexo de Gericinó na noite de ontem, por decisão da juíza Daniela Barbosa, da 2ª Vara Criminal de Caxias. Na decisão, tomada na tarde de ontem, a magistrada argumenta que "a Seap é a única instituição que pode produzir efeito pedagógico nesses presos".
Há duas semanas, o juiz Carlos Eduardo Figueiredo, da Vara de Execuções Penais, determinou que nenhum preso poderia ser transferido para o BEP, após o EXTRA divulgar fotos que mostram mordomias desfrutadas pelos presos, que tinham TVs e microoondas nas celas.
No entanto, segundo nota da Seap, a decisão de promover a troca por PMs da ativa "foi levada ao juiz da Vara de Execuções Penais, Dr. Carlos Eduardo de Carvalho Figueiredo, que concordou com a transferência".
As famílias dos ex-policiais transferidos para Bangu reclamam que não poderão visitar os presos nas festas de fim de ano. Eles alegam que o comando da PM havia prometido que a transferência só seria feita em janeiro por esse motivo. A PM não se pronunciou sobre a troca de presos e sobre a transferência dos ex-policiais, antecipada para a última quinta-feira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário