A Justiça revogou o pedido de prisão temporária de Fábio Araújo Dutra, confirmando indícios de irregularidades no processo de denúncia.
Além disso, segundo moradores do Caju, um coveiro, de nome Alexandre, também estaria na lista sem qualquer tipo de envolvimento com o crime. O MP não confirma. “Ele trabalha todos os dias e sabemos que é inocente. Ele nem está vindo estes dias”, contou um amigo.
Diante das falhas na investigação, as vítimas já começam a se mobilizar para processar o Estado. “Meu filho tem diabetes e ficou mal estes dias. A qualquer barulho pensávamos que poderiam invadir nossa casa para prendê-lo. Agora vamos processar a todos de direito, incluindo o Estado”, disse o pai de W., 17, Paulo Henrique Motta.
W. teve a imagem associada a do traficante Odilon Fernandes Ripardo, o Neném. Já o motoboy Rodrigo Marcelino da Silva, 25, teve o nome divulgado junto à imagem de traficante. Ele chegou a ficar detido 10 horas na 17ª DP (São Cristóvão).

Moradores pedem respeito

Durante reuniões no Caju e Barreira do Vasco, ontem pela manhã, moradores cobraram "respeito" da polícia. No encontro com policiais do Bope, também ouviram "regras" para convívio pacífico nas comunidades recém-ocupadas pela polícia.

“Que possam pedir licença para entrar nas nossas casas e que não pensem que aqui só tem bandidos e as crianças estão perdidas”, disse Vania Rodrigues, presidente da associação de moradores da Barreira.