quinta-feira, 21 de março de 2013

Policiais e bombeiros fecham prédio da Secretaria da Fazenda

Os policiais e bombeiros militares realizaram, na tarde desta terça-feira, 19, uma caminhada pelo Centro de Maceió em protesto a falta de resposta do Governo com relação ao realinhamento da tabela de subsídio da categoria. 

MACEIÓ - Insatisfeitos com o descaso do governo estadual, os militares de Alagoas voltaram a promover mobilizações durante toda esta semana e prometem não parar até o governador Teotonio Vilela Filho não atender as reivindicações. A classe cobra o realinhamento salarial prometido para a categoria desde 2010, de cabo a coronel.
Na tarde de ontem, os militares saíram da porta da Secretaria de Gestão Pública, no Centro de Maceió, e seguiram em passeata para frente da Secretaria da Fazenda, também no mesmo bairro. Por lá, eles também resolveram acampar, assim como foi feito na última segunda-feira, na Segesp, e prometeram não arredar o pé enquanto o secretário da Fazenda não sentar com a categoria para negociar.
De acordo com o presidente da Aspra – Associação das Praças Militares de Alagoas (Aspra/AL), Wagner Simas, o governo tem condições de conceder o realinhamento para a classe, porém alega não ter condições, por conta do impacto na folha de pagamento. Segundo ele, o impacto não ultrapassaria R$ 1,9 milhão mensais contemplando toda a classe.    
Insatisfeitos, os militares fecharam a Rua General Hermes, na Cambona, para chamar a atenção dos membros da pasta do executivo, e prometeram na próxima sexta-feira realizar um ato público em frente ao prédio do governador, no bairro da Ponta Verde, pela manhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário