sábado, 17 de agosto de 2013

Ataque ao único refúgio político.

TEXTO DE RVCHUDO

As UPPs estão sob ataque pesado, é o único projeto deste governo que mesmo diante de tantas suspeitas de acordos com traficantes para sua implantação, trouxe pontos positivos para grande parte da população carioca, o fim da ostentação de armas pelo trafico.
Existe o aspecto negativo, como a migração de traficantes e suas armas para a baixada, zona oeste e interior, o que o governo terá de enfrentar para não criar outras zonas de exceção.

Se no inicio o descontentamento de parte dos moradores era pela perda de renda com a eliminação de “postos de trabalho” do trafico, agora parece ser manipulação política. A desmoralização do projeto UPP significa a derrota definitiva do PMDB de Sergio Cabral.
Os PMs lotados em UPPs se transformam da noite para o dia em assassinos de moradores, tudo e todos que morrem ou somem das comunidades tem acusação de autoria nos policiais, mesmo que indícios mostrem outra linha de investigação, os jornais insistem no argumento contra policiais militares em busca de audiência.

No caso Amarildo, há suspeita de que traficantes o tenham eliminado, mas não há a devida atenção às declarações do traficante Thiago da Silva Mendes Neris que assumiu a autoria do assassinato.
 Link: Traficante matou Amarildo

É evidente a orquestração para desacreditar a polícia, inclusive utilizando os deslocamentos da viatura, omitido pelo policial que a conduzia. Os deslocamentos são rotina dos veículos, já que há intercambio entre as UPPs e abastecimentos, como também não era objeto do caso em questão.


Depois veio o incêndio de três ônibus na Penha, motivado pela morte de Laércio Hilário Neto, de 17 anos, encontrado em uma laje na comunidade da Penha. Moradores se apressaram em culpar a PM dizendo que Laércio havia sido abordado por policiais momentos antes de sua morte.
“Viram ele sozinho descendo da casa da namorada dele, pegaram ele sozinho, pegaram ele na covardia. Muita violência. Não são todos os tipos de policiais que sabem trabalhar dentro de uma comunidade não”, diz Ladilson Hilário, pai da vítima.

O coronel responsável pelo comando das UPPs esteve na comunidade e disse que Laércio não foi abordado ou conduzido pela Polícia Militar.

Link: Moto na laje

Na sexta feira, em Costa Barros, comunidade que recebeu migração de traficantes de comunidades pacificadas, acusa Policiais Militares de terem assassinado mãe e filha durante incursão na comunidade. Neste local a polícia sempre é recebida a tiros e, traficantes não tem o dever profissional da PM no cuidado nos disparos. Eles atiram em qualquer direção e por vezes atingem moradores para que a investida policial seja paralisada, já aconteceu e volta a acontecer.
 


É um momento delicado que merece atenção investigatória, pois leva a crer que o acordo das UPPs não mais existe que o trafico quer suas áreas de volta com ajuda da “oposição” política.
Eu sei, observo e avalio. Em qual comunidade outro morador será assassinado para a PM ser responsabilizada?
 

2 comentários:

  1. Vejo o PSOL a frente das manifestações assim como na desmoralização da POLÍCIA MILITAR !

    ResponderExcluir
  2. A Segurança Pública não é prioridade no Rio de Janeiro, pois o ESTADO não investe em seus profissionais. O Policial Militar do Rio de Janeiro não tem um salário digno! É preciso PRESERVAR o PODER AQUISITIVO do PM do Rio, reajustando os soldos da Corporação e evitando que fiquem abaixo do MÍNIMO! O salário do PM do Rio continuará sendo o pior do país?

    O Governo do Estado do Rio de Janeiro, com a segunda maior arrecadação de impostos do Brasil, poderia pagar muito melhor os Bombeiros e Policiais Militares. Segundo o DIEESE, o SALÁRIO MÍNIMO NECESSÁRIO referente ao mês de Abril de 2013 foi estimado em R$2.892,47 (dois mil, oitocentos e noventa e dois reais e quarenta e sete centavos). O referido piso tem o objetivo de atender ao artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, que visa suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS. O vencimento bruto do soldado PM/BM no RJ está R$815,22 abaixo do supracitado valor, é de apenas R$2.077,25 (dois mil e setenta e sete reais e vinte e cinco centavos).

    O Governo do Estado do Rio de Janeiro paga um SOLDO INFERIOR AO SALÁRIO MÍNIMO vigente (R$ 678,00) aos CABOS E SOLDADOS da PMERJ e do CBMERJ. Sérgio Cabral precisa conceder apenas 39,25% de reajuste salarial para a PMERJ e o CBMERJ para cumprir o ARTIGO 7º, INCISO IV, DA CARTA MAGNA. "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." O SD PM RG 100.000 EVERSON INCORPOROU no dia 06 de Agosto de 2013 e ganhará muito menos do que precisa, infelizmente! Espero que ele seja honesto e honre a farda que estiver vestindo, pois ganhar mal não é motivo para cometer desvios de conduta, ou seja, se envolver em atos que possam denegrir a imagem da corporação.

    Não ao salário de fome! Por um salário mínimo vital de R$ 2.892,47 para o soldado da PMERJ e do CBMERJ. A tropa quer apenas o básico!

    ResponderExcluir