quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Comandante da PM pede ajuda à Defensoria Pública

O novo comandante-geral da Polícia Militar, coronel José Luiz Castro Menezes, reuniu-se hoje com o defensor geral Nilson Bruno Filho, na sede da Defensoria Pública, no Centro. O objetivo do encontro foi trocar experiência com uma instituição que atua em defesa do estado democrático de direito.
O coronel PM José Luiz Castro disse que a tropa deve atuar e agir dentro dos limites da legalidade durante as manifestações que ocorrem na cidade do Rio de Janeiro.
-- Queremos fazer um trabalho de inteligência e com parceria para que a Defensoria nos sinalize o que pode ser evitado, preservando os direitos e as garantias individuais, sem excessos -- explicou o comandante.
O defensor geral considerou a iniciativa do comandante da PM um ato a favor da sociedade democrática porque indica que a autoridade policial está com o propósito de acertar. Nilson Bruno Filho colocou a Defensoria Pública à disposição para colaborar com tudo que for bom para a sociedade do Rio de Janeiro.
Participaram também da reunião os chefes de gabinete da PM, coronel Waldyr Soares Filho; e da Defensoria Pública, Daniele Nogueira.

2 comentários:

  1. A Segurança Pública não é prioridade no Rio de Janeiro, pois o ESTADO não investe em seus profissionais. O Policial Militar do Rio de Janeiro não tem um salário digno! É preciso PRESERVAR o PODER AQUISITIVO do PM do Rio, reajustando os soldos da Corporação e evitando que fiquem abaixo do MÍNIMO! O salário do PM do Rio continuará sendo o pior do país?

    O Governo do Estado do Rio de Janeiro, com a segunda maior arrecadação de impostos do Brasil, poderia pagar muito melhor os Bombeiros e Policiais Militares. Segundo o DIEESE, o SALÁRIO MÍNIMO NECESSÁRIO referente ao mês de Abril de 2013 foi estimado em R$2.892,47 (dois mil, oitocentos e noventa e dois reais e quarenta e sete centavos). O referido piso tem o objetivo de atender ao artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, que visa suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS. O vencimento bruto do soldado PM/BM no RJ está R$815,22 abaixo do supracitado valor, é de apenas R$2.077,25 (dois mil e setenta e sete reais e vinte e cinco centavos).

    O Governo do Estado do Rio de Janeiro paga um SOLDO INFERIOR AO SALÁRIO MÍNIMO vigente (R$ 678,00) aos CABOS E SOLDADOS da PMERJ e do CBMERJ. Sérgio Cabral precisa conceder apenas 39,25% de reajuste salarial para a PMERJ e o CBMERJ para cumprir o ARTIGO 7º, INCISO IV, DA CARTA MAGNA. "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." O SD PM RG 100.000 EVERSON INCORPOROU no dia 06 de Agosto de 2013 e ganhará muito menos do que precisa, infelizmente! Espero que ele seja honesto e honre a farda que estiver vestindo, pois ganhar mal não é motivo para cometer desvios de conduta, ou seja, se envolver em atos que possam denegrir a imagem da corporação.

    Não ao salário de fome! Por um salário mínimo vital de R$ 2.892,47 para o soldado da PMERJ e do CBMERJ. A tropa quer apenas o básico!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o colega acima, a Segurança Pública nunca foi levada a sério pelos Governantes do Estado do Rio de Janeiro e nem pelo alto escalão das forças de segurança, principalmente pelos oficiais superiores da Polícia Militar. O salário da PMERJ é um dos mais baixos de todo o País, a escala da PMERJ é a pior entre todos os órgãos de Segurança do Estado, esses fatos nunca são colocados em cheque pelos comandantes gerais da Polícia Militar, interessante que nenhum órgão de proteção a trabalhadores indaguem isso ao Governo do Estado? Por quê a PMERJ não melhora nunca para seus policiais? Com relação a escala caberia apenas um ato administrativo Cmt Geral para melhorar um pouco a qualidade de vida dos PMS e por consequência uma melhora na qualidade do serviço prestado por esses PMS. Essa é a dica.

    ResponderExcluir