sábado, 3 de agosto de 2013

PM inicia ocupação temporária de quatro comunidades na Baixada

 Cerca de 150 policiais militares começaram a ocupar quatro favelas de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A Polícia Militar já vinha fazendo, há 15 dias, ações diárias na região. Nessas duas semanas, 22 pessoas foram presas e encaminhadas para delegacias da região.
Segundo o comandante do Batalhão de Duque de Caxias, tenente-coronel Renulpho Brandão, o objetivo da operação é garantir o controle das comunidades Mangueirinha, Sapo, Santuário e Corte Oito.
- Nosso principal objetivo é acabar com a ostentação bélica da região, uma vez que o tráfico de drogas não termina do dia para a noite. Queremos devolver o local, que se encontra nas mãos do tráfico, à comunidade - disse o oficial.
As quatro favelas têm, juntamente com os bairros do entorno, cerca de 20 mil moradores. Além da ocupação policial, tendas com serviços públicos foram levadas à comunidade da Mangueirinha. Na manhã de hoje, moradores faziam fila para tirar carteira de trabalho, identidade e demais documentos. “Nosso objetivo não é só assegurar a região, como também trazer serviços de assistência à população carente dessas comunidades”, disse Brandão.
A comunidade Mangueirinha irá receber na segunda-feira, uma companhia destacada, com cerca de 130 policiais.
- Já discuti esse assunto com o prefeito Alexandre Cardoso. O projeto deve durar de seis a oito meses. Será construída uma sede permanente da companhia na comunidade.

6 comentários:

  1. Deu a louca no comandante: Anistia geral para má conduta de policiais militares
    Reprodução da capa do Extra

    Vou lhes contar o que está por trás dessa decisão inusitada do coronel Erir Ribeiro. O comandante da PM sabe que seria exonerado, provavelmente na próxima semana. Beltrame já tinha decidido sua saída, mas estava aguardando o fim da Jornada Mundial da Juventude e a definição do seu substituto. Diante disso, o coronel Erir deu uma rasteira em Beltrame para deixar o comando bem com a corporação, embora seja demagogia, porque sabe que isso será revogado.

    A anistia que inclui os abusos e a violência praticados nas manifestações só vai acirrar ainda mais os ânimos e gerar mais revolta da população. Com isso vai sair deixando Beltrame mal.

    Mas o mais impressionante é a primeira opção de Beltrame para comandar a PM. Eu caí para trás quando soube de fonte segura. O preferido de Beltrame é o coronel Robson Rodrigues, que comandou as UPPs, e pasmem, foi punido pelo comando da PM porque fazia parte do Batalhão da LIESA, como são chamados os policiais que prestam serviço à contravenção.

    Resumindo: Beltrame quer colocar no comando da PM um coronel que presta serviços à contravenção. É o fim da picada, mas não sei se vai convencer Cabral, que já anda em polvorosa com os protestos nas ruas, e sabe, que isso vai pegar muito mal.

    fonte..blog garotinho

    ResponderExcluir
  2. NO MORRO SÃO PEDRO DO OUTRO LADO DO ESCADAO TEM TRAFEGO TAMBEM, ELES FICAM LA NO MORRO SAO PEDRO TEM QUE DAR UMA OLHADA LA TAMBEM. POR FAVOR AQUI NO MORO SAO PEDRO TEM BANDIDO, TRAFICANTE E OS MORADORRES NAO AGUENTA.

    ResponderExcluir
  3. Júri condena 25 PMs de São Paulo a 624 anos de prisão por mortes no Carandiru!

    ESSES POLICIAIS MILITARES SÃO HERÓIS, DEVERIAM É SER CONDECORADOS.

    Quem defende bandido é bandido também!

    ResponderExcluir
  4. Para especialistas, a desmilitarização dos bombeiros - frequentemente associados a milícias - é uma necessidade urgente. Na opinião de todos os consultados pelo GLOBO, a rotina militar desvia o foco da atividade fim, além de comprometer a profissionalização e a autonomia. O jurista Hélio Bicudo, que nos anos 90 apresentou um projeto de desmilitarização da tropa quando era deputado federal, considera que a transformação de bombeiros em servidores civis é uma medida óbvia e necessária.

    ResponderExcluir
  5.  professor de sociologia e pesquisador da área de segurança pública da Universidade de Brasília (UnB), Antônio Flávio Testa, acha absolutamente dispensável o uso de armas por bombeiros.- Numa sociedade democrática, os bombeiros têm que seguir uma lógica profissional, com gestão autônoma e avaliação de desempenho. É muito importante para o país que se repense toda a estrutura da defesa civil. No Brasil, menos de mil municípios têm corpos de bombeiros. É uma das instituições mais carentes do país - afirma. - Além da questão salarial, há um outro lado que é o problema da identidade dos bombeiros.

    ResponderExcluir
  6. Isso serve para a PMERJ também, que seja rasgado o RDPM.

    ResponderExcluir