domingo, 29 de setembro de 2013

Advogada que esfaqueou mãe e pulou de prédio já havia ameaçado taxista e agredido policial

A advogada de 40 anos que teria esfaqueado a mãe e depois se jogado do sétimo andar de um prédio na rua Pio Correa, no Humaitá, zona sul do Rio de Janeiro, na noite de sexta-feira (27), já havia sido suspeita de ameaçar um taxista com uma navalha, em agosto de 2011.
Levada à delegacia na ocasião, Liliane Andrade tentou agredir um policial com um soco. O agente que desarmou a advogada acabou sofrendo um corte na mão.
A mãe de Liliane, identificada como Norma Andrade, de 75 anos, foi levada para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, em estado grave. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, na manhã desta sábado (28) Norma estava estável, mas inspirava cuidados. Ela aguardava uma transferência para o hospital particular Pró-Cardíaco, em Botafogo, também na zona sul.
O caso foi registrado na Delegacia do Leblon (14ª DP).

Vídeo de 2011 mostra advogada agredindo policial no Rio


13 comentários:

  1. completamente alucinada .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela já deveria estar presa ou internada num manicômio desde 2011, por ter agredido gratuitamente um Policial.

      Excluir
  2. Esfaqueia mãe, pula de prédio, ameaça taxista e agride policial, nota-se que não é uma pessoa saudável mentalmente, coitada. Algo terrível ocorreu posteriori, pois antes, uma pessoa louca é impossível passar no exame da OAB.

    ResponderExcluir
  3. Governo Sérgio Cabral desvaloriza os profissionais de Segurança Pública, pois ainda paga soldos inferiores ao salário mínimo vigente aos policiais militares com até 12 anos de serviços prestados (cabos e soldados), demonstrando com isso o seu descompromisso. O governador do Estado está perdendo uma excelente oportunidade de conquistar a tropa, pois está pagando salários indignos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Soube que ele foi aplaudido de pé por PCs uns dias atrás.

      Excluir
    2. É verdade, pois na ocasião "prometeu" rever a questão salarial da PCRJ e estudar um aumento para eles, que alegam - de forma justa - salários defasados.
      E a PMERJ, não está com salários defasados?
      O pior salário do Brazil. Salário de fome.

      Excluir
  4. Em qualquer profissão tem aqueles e aquelas que pisam na bola, não precisa ter registro ou ser da OAB pra fazer essa defecada toda.Basta achar que tendo um diploma de advogado, estará acima da lei e de todos.

    ResponderExcluir
  5. Não sei como familiares da Rebeca, a menina de nove anos estuprada e morta na favela da Rocinha, não acusaram policiais da UPP. A imprensa, como de costume, não deixou a PMERJ de lado nas manchetes sobre o caso. Insistem em dizer a todo momento que a menina foi achada morta a cerca de cem metro da unidade de polícia pacificadora da comunidade. Mesmo a PM não tendo nada a ver com o fato, esta afirmação atrela de alguma maneira o fato à presença da polícia militar. causa uma má impressão. Entendem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, se você fizesse direito entenderia o lado da globo, por incrível que pareça.

      Excluir
    2. Amigo, se você fizesse direito entenderia o lado da globo, por incrível que pareça.

      Excluir
  6. PROVAS PROFISSIONAIS CBMERJ...militares estão sendo escalados aleatoriamente e não voluntários para as provas profissionais.....SR. SIMÕES....têm bombeiro escalado que não quer participar.....bombeiro que trabalha na folga (bico) para complementar a renda, bombeiro que cuida da casa e das crianças na folga enquanto a esposa trabalha.....bombeiro que foi escalado que não gosta e nem têm aptidão para competição (embora sejam bons profissionais).....O bombeiro vai ter que perder folga para treinar e ainda participar de uma coisa contra a sua vontade......SENHORES TENHAM BOM SENSO.....DEIXEM QUEM É VOLUNTÁRIO PARTICIPAR DAS PROVAS PROFISSIONAIS....NÃO OBRIGUEM O BOMBEIRO A FAZER O QUE NÃO PODE OU NÃO QUER....

    ResponderExcluir
  7. E qual é o lado da globo ?E eu sei sem ser ad evogado, e uma parte do povo brasileiro também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na matéria de responsabilidade civil (em direito), há doutrinadores e jurisprudência que afirmam que se um crime tiver sido perto de alguma autoridade policial, o Estado pode ser responsabilizado. Por isso eu entendi o que a imprensa (globo) está dando ênfase que a menina foi morta próxima a UPP, entendeu?

      Excluir