terça-feira, 3 de setembro de 2013

Policiais militares dormem no chão em alojamento

Um alojamento que abriga policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Rio, responsáveis por controlar a recente onda de manifestações na cidade, não tem instalações adequadas para atender a todos nos plantões.
Vídeo feito por um policial militar no alojamento dos praças (aqueles que não são oficiais), ao qual a Folha teve acesso, mostra policiais dormindo no chão, em colchonetes que trazem de casa, já que não há camas.
Os policiais do Batalhão de Choque trabalham em esquema de plantão, 24 horas de prontidão e 72 horas de folga.
E a escala fica sujeita a alterações em razão das manifestações. O regime na Copa das Confederações foi de 24 horas de trabalho por 24 horas de descanso.
Além das manifestações, os policiais militares do Choque atuam também em operações de combate ao tráfico de drogas em favelas. O batalhão vem sendo alvo de reclamações por causa de supostos excessos para controlar manifestantes.
Nos últimos dias, dois policiais foram afastados por terem agredido uma jovem em um ato contrário ao governo de Sérgio Cabral (PMDB).
COLCHONETES
Na sede do batalhão, no centro da cidade, há três alojamentos para os policiais, um deles para os oficiais.
O vídeo mostra o maior dos três, com cerca de 500 metros quadrados. O local é ocupado diariamente por um efetivo de 40 a 50 homens. Não há nem sequer uma cama. Quando há manifestações na cidade, o efetivo chega a 100 homens no dormitório.
Os PMs se apresentam de manhã e ficam no quartel até a hora do protesto, geralmente no início da noite.
Apesar da qualidade baixa do vídeo, é possível observar pelo menos 13 colchonetes no chão de salas repletas de armários. Um policial de farda cinza e coturno dorme de bruços em um dos leitos improvisados. O brasão do Choque aparece pintado na parede.
O lugar é sujo, com ratos e baratas, o que faz com que muitos policiais prefiram dormir dentro dos carros da PM em vez de deitar no chão.
De acordo com o policial, em um segundo alojamento, que comporta por volta de 30 homens, há somente dez camas. Um quarto alojamento foi transformado em sala de treinamento de lutas.
De acordo com um policial ouvido pela Folha, quando há convocação extra de policiais, o banheiro, por exemplo, fica sujo em menos de três horas. Existe uma equipe de limpeza, mas que não dá conta da demanda.
O batalhão possui atualmente em torno de 1.200 policiais, entre homens da área operacional, instrutores e funcionários administrativos.
OUTRO LADO
O comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Rio, tenente-coronel Márcio Rocha, informou à Folha que está "realizando, em caráter de urgência, um diagnóstico real da situação" dos alojamentos da corporação.
A partir do diagnóstico, uma proposta de reforma das instalações que abrigam os policiais deverá ser levada ao comandante-geral da Polícia Militar, coronel Luiz Castro Menezes.
O comandante do Batalhão de Choque foi informado pela reportagem, por meio da assessoria de imprensa da corporação, sobre as denúncias a respeito das condições do alojamento.
Em resposta, Rocha, que assumiu o comando do batalhão há uma semana, afirmou que em conversa com policiais da unidade ouviu deles que "realmente há uma carência importante no que se refere às instalações no Regimento Caetano de Farias [sede do Choque], principalmente nos alojamentos".
O tenente-coronel da Polícia Militar informou ainda que o quartel, que é tombado desde 2004, completou 100 anos neste mês e " historicamente convive com este tipo de problema".

13 comentários:

  1. A LOGICA E SIMPLES:FARINHA POUCA MEU PIRAO PRIMEIRO.APOSTO QUE TAL SITUAÇÃO NAO SE REPETE NO ALOJAMENTO DOS OFICIAIS.SE O BATALHÃO E O CAOS,COM SE EXPLICA O FATO DE O COMANDO GERAL SER TRANSFERIDO PARA O LOCAL?COM A PALAVRA,O SR. CMT GERAL...

    ResponderExcluir
  2. Na Polícia Militar do Rio de Janeiro, o número de pedidos de baixa cresceu muito!

    Salários baixos, pouca perspectiva e más condições de trabalho estão entre os motivos para o abandono da carreira policial-militar. Falta de interesse pela profissão é comum em todo o país. O que leva o Militar Estadual a tomar esta atitude é de cunho estritamente financeiro, tendo em vista a CRISE SALARIAL que assola a Corporação e a FALTA DE PERSPECTIVA PROFISSIONAL. Para onde vai o dinheiro público? "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER."

    A Segurança Pública não é prioridade no Rio de Janeiro, pois o ESTADO não investe em seus profissionais. O Policial Militar do Rio de Janeiro não tem um salário digno! É preciso PRESERVAR O PODER AQUISITIVO do PM do Rio, REAJUSTANDO significativamente os SOLDOS da Corporação. O Governo do Estado do Rio de Janeiro, com a segunda maior arrecadação de impostos do Brasil, poderia pagar muito melhor os Bombeiros e Policiais Militares.

    O vencimento bruto do soldado PM/BM no RJ é de apenas R$ 2.077,25 (dois mil e setenta e sete reais e vinte e cinco centavos). O valor está R$ 815,22 abaixo do SALÁRIO MÍNIMO NECESSÁRIO, que foi estimado pelo DIEESE em R$ 2.892,47 (dois mil, oitocentos e noventa e dois reais e quarenta e sete centavos) e visa suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988. Sérgio Cabral precisa conceder somente 39,25% de reajuste salarial para cumprir o referido dispositivo constitucional.

    PEC 300/2008 - Não ao salário de fome!

    QUANTO DEVERIA GANHAR POR MÊS UM PRAÇA DA PMERJ OU DO CBMERJ:

    SUBTENENTE ----------------------------- R$ 12.876,39
    PRIMEIRO-SARGENTO ---------------- R$ 11.203,84
    SEGUNDO-SARGENTO ----------------- R$ 9.531,28
    TERCEIRO-SARGENTO ----------------- R$ 7.858,72
    CABO ------------------------------------------ R$ 6.186,16
    SOLDADO ------------------------------------ R$ 4.513,61

    OBS: OS SUPRACITADOS VALORES SÃO PAGOS AOS INTEGRANTES DA PMDF E DO CBMDF.

    Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população fluminense (Bombeiros e Policiais Militares)? É preciso oferecer o MÍNIMO DE DIGNIDADE aos integrantes da PMERJ e do CBMERJ. O Rio de Janeiro é a principal cidade do país, a POLÍCIA FLUMINENSE não pode ter uma remuneração tão baixa!

    ResponderExcluir
  3. Rio - Um caso de violência sexual abalou esta sexta-feira a Academia de Polícia Dom João VI, da Polícia Militar, em Sulacap. Dois cadetes foram acusados de atacar, durante a madrugada, uma recruta. Embriagados, os alunos teriam invadido o alojamento da policial feminina, por volta das 4h. A dupla foi presa em flagrante e pode ser expulsa da unidade.
    Os dois alunos chegaram à academia, com outros dois estudantes, que decidiram não participar da ação. No quarto da jovem, eles tentaram beijá-la e agarrá-la à força. Foram autuados por atentado violento ao pudor e constrangimento com ameaça, crimes previstos no Código Penal Militar. As penas variam de um a seis anos de prisão.
    Em nota oficial, a PM informou ainda que os cadetes serão submetidos a Conselho Escolar de Disciplina. A mobilização em torno do caso começou ainda pela manhã. O comandante-geral, Luiz Castro, determinou apuração rigorosa e até o fechamento da escola para a preservação de provas. Agentes da Corregedoria da PM também foram para o local. Os envolvidos prestaram depoimento, na noite desta sexta-feira, na 2ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM). Depois eles foram levados para o Batalhão de Choque (BPChoque), no Centro, onde ficarão presos.
    A vítima também foi ouvida pelos investigadores. Ela foi submetida ainda a exame de corpo de delito no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Os cadetes estavam fazendo curso de preparação para oficial, com duração de três anos. Já a recruta está estudando para se tornar soldado da PM, em prazo máximo de oito meses.
    Os alunos tinham autorização para deixar a unidade. A rotina na academia é considerada rigorosa. São proibidos, por exemplo, mascar chicletes e até assoviar. Os estudantes são recolhidos às 21h e, a partir das 22h, é considerado horário de silêncio.
    Foto: OBRIGADO PESSOAL A FORÇA DAS REDES SOCIAIS É TUDO! JUNTOS , TODOS SOMOS MAIS FORTES! A RESPOSTA VEIO ! LEIAMMMMMMMMMMMMMMMM! » Comandante quer rigor em apuração sobre cadetes suspeitos de abuso 31/08/2013 10:36:26 - Atualizada às 31/08/2013 10:39:21 Comandante quer rigor em apuração sobre cadetes suspeitos de abuso Futuros oficiais da PM teriam tentado agarrar e beijar recruta. Dupla foi presa em flagrante e pode ser expulsa da unidade Adriana Cruz Rio - Um caso de violência sexual abalou esta sexta-feira a Academia de Polícia Dom João VI, da Polícia Militar, em Sulacap. Dois cadetes foram acusados de atacar, durante a madrugada, uma recruta. Embriagados, os alunos teriam invadido o alojamento da policial feminina, por volta das 4h. A dupla foi presa em flagrante e pode ser expulsa da unidade. Os dois alunos chegaram à academia, com outros dois estudantes, que decidiram não participar da ação. No quarto da jovem, eles tentaram beijá-la e agarrá-la à força. Foram autuados por atentado violento ao pudor e constrangimento com ameaça, crimes previstos no Código Penal Militar. As penas variam de um a seis anos de prisão. Em nota oficial, a PM informou ainda que os cadetes serão submetidos a Conselho Escolar de Disciplina. A mobilização em torno do caso começou ainda pela manhã. O comandante-geral, Luiz Castro, determinou apuração rigorosa e até o fechamento da escola para a preservação de provas. Agentes da Corregedoria da PM também foram para o local. Os envolvidos prestaram depoimento, na noite desta sexta-feira, na 2ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM). Depois eles foram levados para o Batalhão de Choque (BPChoque), no Centro, onde ficarão presos. A vítima também foi ouvida pelos investigadores. Ela foi submetida ainda a exame de corpo de delito no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Os cadetes estavam fazendo curso de preparação para oficial, com duração de três anos. Já a recruta está estudando para se tornar soldado da PM, em prazo máximo de oito meses. Os alunos tinham autorização para deixar a unidade. A rotina na academia é considerada rigorosa. São proibidos, por exemplo, mascar chicletes e até assoviar. Os estudantes são recolhidos às 21h e, a partir das 22h, é considerado horário de silêncio.

    ResponderExcluir
  4. eles ganham mais $2000 reais pra isso. nós pm normais dormimos assim em nossos batalhão e não recebemos gratificação nenhuma.

    ResponderExcluir
  5. Companheiro anônimo, vc está equivocado, primeiramente vc deveria se identificar e não se comportar como um marginal sem personalidade ocultando a sua identidade... Em relação ao seu comentário saiba que os ppmm do BpChq, não ganham R$ 2.000,00 de gratificação, mas deveriam ganhar o dobro, pois são policiais levados ao extremo com inúmeras missões, missões essas que muitas das vezes quem dá causa é a omissão dos batalhões convencionais... Agora se vc acha que é injusto lhe digo, banca pelo menos um dos cursos do BpChq e venha fazer o que nós fazemos, no meio do caminho vc vai desistir...

    ResponderExcluir
  6. pMS DO CHOQUE GANHAM 1 MIL REAIS MEU AMIGO QUE FALOU QUE É 2 MIL DE GRATIFICAÇÃO , SEM DESARRANCHO, E AINDA TEM DESCONTO DESSES MIL REAIS DO IMPOSTO DE RENDA, FORA O RISCO E O TRABALHO BASEADO QUE O NOVO CORONEL DO CHOQUE ESTÁ BOTANDO A TROPA EM SUAS SEGURANÇAS PARTICULARES COMO EM BOTAFOGO SHOPPING, E OUTROS LUGARES , A TROPA E SUGADA POR CAUSA DESSA GRATIFICAÇÃO NÃO RECEBE OS 350 OU SEJA GANHA MENOS QUE UM PM DE UPP , PARA SE ARRISCAR MAIS EM OPERAÇÕES DIVERSAS E SENDO COMANDADOS PELO CEL LOUCO QUE VEIO DO 6 BPM PARA ACABAR COM O CHOQUE , TUDO VENDIDO E ELE ENCHENDO O BOLSO DE DINHEIRO USANDO A TROPA COMO BUCHAS , EM SUAS SEGURANÇAS E MANDANDO PMS VIR NA SEGUNDA FOLGA SEM ADICIONAR AO RAS ... CEL FÁBIO DO BOPE A TROPA ESTÁ SENTINDO SAUDADES , PRECISAMOS DE UM CORONEL COMANDANTE DE VERDADE E NÃO FANTOCHE DITADOR..... ASS. CB JOÃO ADMINISTRAÇÃO GTM ,RG 83810 .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ASSINAR ESSE COMENTÁRIO COM O NOME E RG DE OUTRO COMPANHEIRO É COVARDIA!!!

      Excluir
  7. EU ELES NAO ADERIRAM A GREVE VAO SE FUDER SEUS MERDAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem aderiu a greve? Justificar a sua covardia com a não adesão de policiais de outras unidades é muito fácil. Na Pmerj nunca haverá greve. Acorde pra vida! Saiba reivindicar sem esse papo de greve. Você se estiver em um bom serviço no seu BTL, vai aderir a alguma greve? Se tiver boa escala? Vai abrir mão da prata do "fecho". Seja homem! Use a sua folga e manifeste-se então. Você depende de outra unidade pra isso?

      Excluir
  8. Art. 5o
    Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
    O artigo 5º trata dos direitos e deveres individuais e coletivos que são objeto dos incisos I aoLXXVIII e parágrafos. Estes são, em suma, os princípios fundamentais hoje genericamente denominados Direitos Humanos.O Caput do artigo 5º garante o princípio da isonomia, assegurando aos brasileiros (natos e naturalizados) e aos estrangeiros residentes no país os direitos nele elencados (há autores que afirmam que os turistas também têm os direitos do artigo 5º, e o caput desse artigo estaria com falha de construção; há também quem diga que a Constituição quis dizer isso mesmo, e os turistas seriam protegidos por tratados internacionais [{§3º} Leonardo Martins]. O princípio da isonomia é um princípio jurídico informador de toda a ordem constitucional. A igualdade pode ser formal ou material. Fala-se em
    igualdade formal
    [perante a lei] quando todos são tratados da mesma maneira (igualdade perante a lei), e em
    igualdade material
    [real; na lei] quando os mais fracos recebem um tratamento especial no intuito de se aproximar aos mais fortes.
    O termo igualdade pode ser interpretado de duas formas: 1. a primeira no sentido de dar aos cidadãos as mesmas regras (“todos são iguais perante à Lei”) –sentido de “Igualdade Formal”; 2. o segundo no sentido de conceder a cada cidadão a devida norma, prezando por suas diferenças e igualdades (Conceito Aristotélico de justiça ) – sendo este no sentido de “Igualdade Material”.
    “A legislação não pode diferenciar de forma arbitrária os indivíduos, para tanto considera-se três finalidades fundamentais:

    - A limitação do legislador - O legislador está obrigado no exercício de sua função legislativa a respeitar o principio da igualdade não podendo por meio de leis diferenciar abusivamente e até mesmo arbitrariamente as pessoas;

    - Limitação ao intérprete - Diz respeito principalmente à autoridade pública. Podemos citar como exemplo a limitação ao poder judiciário quando tribunais diferentes ao aplicar a mesma lei a fatos idênticos dão diversas interpretações aos casos concretos, neste caso caberá recurso especial para o STJ garantir o principio da igualdade;

    - Limitação aos particulares - Os particulares em suas relações devem respeitar o princípio da igualdade, impedindo que façam discriminações abusivas,para tanto poderão responder pelos seus atos, como por exemplo: responder por danos morais ou constrangimento ilegal, etc”.São
    características
    dos direitos fundamentais:a) historicidade: tiveram origem no Cristianismo;b) universalidade: são destinados a todos os seres humanos;c) limitabilidade: não são absolutos. Dois direitos fundamentais podem se chocar, hipótese em que o exercício de um implicará a invasão do âmbito de proteção de outro. Nesse caso, exige-se um regime de cedência recíproca;d) concorrência: podem ser “acumulados” (um mesmo titular pode ter diversos direitos);e) irrenunciabilidade: os indivíduos não podem dispor desses direitos;f) inalienabilidade;g) imprescritibilidade: não há perda pelo não-exercício;
    Direito Constitucional: Artigo 5º

    ResponderExcluir
  9. A democracia apresenta diversos aspectos que podem ser abordados. É um tema de alta complexidade e periculosidade, envolvendo vários ramos da ciência política, bem como do direito.

    Em relação as formas de Democracia têm-se a democracia direta (a qual, na verdade é de impossível existência), a democracia representativa (pode ser feita por partidos políticos), e semidireta (com intervenção dos governados em algumas deliberações dos governantes).

    Ainda, diante do trabalho exposto apresenta-se o histórico a democracia, e os seus significados descritivo e prescritivo. SD 92092 JACQUELINE.

    ResponderExcluir
  10. ATENÇÃO POLICIAIS MILITARES - APOSENTADORIA AOS 25 ANOS DE SERVIÇO.

    Escrito por L. Penteado

    O Poder Judiciário reconhece que o Policial Militar, os Bombeiros Militares e a Polí­cia Civil, tem direito a aposentadoria especial por periculosidade. Por tanto todos os policias conquistaram o direito de se aposentarem com proventos integrais aos 25 anos de serviços prestados a Policia Militar. Este é o novo entendimento do Supremo Tribunal Federal. Tais entendimentos foram emitidos em sede Mandado de Injunção. Nota do Redator: Mandado de Injunção é uma ação movida quando não existe uma Lei que trate de algum Direito Constitucional, pela morosidade de ser criada uma Lei com referência ao Artigo 40 § 4º da Constituição Federal de 1988, como o Governo não fez nada para editar Lei que regulamentasse tal direito. Desta forma os desembargadores reconheceram que a atividade é de fato de alta periculosidade e por isso, determinaram que a Lei aplicável ao regime geral de Previdência (Lei 8.213) seja agora aplicável ao Policial Militar em face da demora do Legislador. Com isso, os tribunais demonstraram a nova visão no sentido de que cabe ao Judiciário Legislar positivamente, em face da demora do Poder Legislativo considerando o interesse público. O bom de tudo isto é que o Poder Judiciário reconheceu que tais decisões se aplicam a todas as demais carreiras Policiais (Civil ou Militar). Nota do Redator: Tal aposentadoria deve ser deixado bem claro que não é compulsória deve ser requerida na via administrativa ao Comandante imediatamente superior. Esperamos agora que as Instituições viabilizem o mais rápido possí­vel a concretização de tais direitos, de forma que os Policiais Militares possam ter os seus direitos de aposentadoria e festejem esta nova conquista. Nota do Redator: Quando averbado tempo de serviço para aposentadoria só valerá, após 20 anos na Corporação. Essa aposentadoria precoce aos 25 anos não dará a ele o direito ao posto imediato. Em outras palavras ele poderá requerer a aposentadoria aos 25 anos, mas não terá direito ao posto imediato porque é regra expressa, só para quem tem 30 anos prestados (no mí­nimo 20 anos de Policia e 10 anos fora). Também para conseguir tal aposentadoria" aos 25 anos de serviço, este perí­odo deverá ser integralmente prestada a Policia, por conta da insalubridade/periculosidade. Acho também ao requerer tal aposentadoria perderá o 6º quinquênio, pois este corresponde a 30 anos de serviço e não 25 anos. Só espero que não venha por parte do Governo alguma coisa para inviabilizar tal conquista. Nota Final do Redator: Com referência a Policial feminino permanece os 25 anos de serviço.

    ResponderExcluir