quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Torcida do Fla entrega flores à polícia em homenagem a sargento assassinado

 Antes da bola rolar na noite da última quarta-feira, no Maracanã, representantes de quatro torcidas organizadas do Flamengo entraram em campo e entregaram um buquê de flores a um policial. O gesto simbólico, inicialmente analisado como um gesto representando um acordo de paz, foi, na verdade, uma homenagem a um ex-membro da corporação do Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios), assassinado na última segunda-feira.
"Não foi nenhum tipo de acordo de paz. As flores foram uma homenagem ao Sargento Roberto, do Gepe, que faleceu nesta semana. Ele tinha um ótimo relacionamento não somente com a torcida do Flamengo, mas como com a de todos os outros clubes. Era uma pessoa querida, foi assassinado na porta de casa nesta semana. O enterro dele foi na terça-feira e houve uma grande homenagem das quatro torcidas", revelou Marcos Frazão, diretor geral da torcida Raça Rubro-Negra.
 Com um bom relacionamento com as torcidas dos clubes cariocas, Roberto da Cruz Silva era querido por torcedores dos quatro clubes grandes do Rio. Assassinado na porta de casa na última segunda-feira, o militar foi enterrado na terça, onde também recebeu diversas homenagens das organizadas.
Na última quarta-feira, a torcida Força Jovem do Vasco também se manifestou pelo falecimento do sargento e divulgou uma nota oficial lamentando o ocorrido.

Lotado no Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE), o sargento Roberto da Cruz Silva morreu após ser baleado durante assalto na porta de casa, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

4 comentários:

  1. http://www.youtube.com/watch?v=bXrp2Hxg_3Y

    Na Polícia Militar do Rio de Janeiro, o número de pedidos de baixa cresceu muito.

    Salários baixos, pouca perspectiva e más condições de trabalho estão entre os motivos para o abandono da carreira policial-militar. Falta de interesse pela profissão é comum em todo o país. O que leva o Militar Estadual a tomar esta atitude é de cunho estritamente financeiro, tendo em vista a CRISE SALARIAL que assola a Corporação e a FALTA DE PERSPECTIVA PROFISSIONAL. Para onde vai o dinheiro público? "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER."

    A Segurança Pública não é prioridade no Rio de Janeiro, pois o ESTADO não investe em seus profissionais. O Policial Militar do Rio de Janeiro não tem um salário digno! É preciso PRESERVAR O PODER AQUISITIVO do PM do Rio, REAJUSTANDO significativamente os SOLDOS da Corporação. O Governo do Estado do Rio de Janeiro, com a segunda maior arrecadação de impostos do Brasil, poderia pagar muito melhor os Bombeiros e Policiais Militares.

    O vencimento bruto do soldado PM/BM no RJ é de apenas R$ 2.077,25 (dois mil e setenta e sete reais e vinte e cinco centavos). O valor está R$ 815,22 abaixo do SALÁRIO MÍNIMO NECESSÁRIO, que foi estimado pelo DIEESE em R$ 2.892,47 (dois mil, oitocentos e noventa e dois reais e quarenta e sete centavos) e visa suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988. Sérgio Cabral precisa conceder somente 39,25% de reajuste salarial para cumprir o referido dispositivo constitucional.

    PEC 300/2008 - Não ao salário de fome!

    QUANTO DEVERIA GANHAR POR MÊS UM PRAÇA DA PMERJ OU DO CBMERJ:

    SUBTENENTE ----------------------------- R$ 12.876,39
    PRIMEIRO-SARGENTO ---------------- R$ 11.203,84
    SEGUNDO-SARGENTO ----------------- R$ 9.531,28
    TERCEIRO-SARGENTO ----------------- R$ 7.858,72
    CABO ------------------------------------------ R$ 6.186,16
    SOLDADO ------------------------------------ R$ 4.513,61

    OBS: OS SUPRACITADOS VALORES SÃO PAGOS AOS INTEGRANTES DA PMDF E DO CBMDF.

    Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população fluminense (Bombeiros e Policiais Militares)? É preciso oferecer o MÍNIMO DE DIGNIDADE aos integrantes da PMERJ e do CBMERJ. O Rio de Janeiro é a principal cidade do país, o CORPO DE BOMBEIROS e a POLÍCIA MILITAR FLUMINENSE não podem ter remunerações tão baixas!

    http://www.youtube.com/watch?v=bXrp2Hxg_3Y

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O salário inicial do Policial Civil do Distrito Federal é de R$ 7.890,05 (sete mil, oitocentos e noventa reais e cinco centavos).

      O Estado do Rio de Janeiro precisa valorizar os seus Policiais Militares.

      Pagar apenas R$ 2.077,25 (dois mil e setenta e sete reais e vinte e cinco centavos) ao soldado PM é um ato de DESRESPEITO!

      Excluir
    2. Estou muito desanimado! UM AUMENTO É MAIS DO QUE NECESSÁRIO, É FUNDAMENTAL!!!

      Excluir
  2. ESPÍRITO SANTO: Realinhamento salarial:
    Aconteceu na manhã desta quinta-feira (05/09), reunião das Entidades de Classe da PM e BM (ASSES, ACS e ABMES), com a presença das seguintes autoridades: Secretário de Gestão e Recursos Humanos (SEGER), Dr. Aminthas Loureiro Júnior, Subsecretário da SEGER, Dr. Charles Dias de Almeida, Secretário de Segurança (SESP), Dr. André de Albuquerque Garcia, Comandante Geral da PMES, Cel PM Edmilson dos Santos, Comandante Geral do CBMES, Cel BM Edmilton Ribeiro Aguiar Junior, além dos membros do grupo de estudos criado pelo governo para o realinhamento salarial: Cel PM Guedes, Ten Cel PM Basset e Ten Cel BM Samuel, com a finalidade de informar às Entidades de Classes sobre o andamento dos estudos referentes à proposta de realinhamento salarial encaminhada pelas Entidades.

    Na oportunidade, a SEGER informou que os estudos já estão concluídos e que atendem a todos os militares estaduais da ativa, reserva e pensionistas, proposta esta já apresentada e analisada pelos Comandantes das corporações, faltando apenas aprovação final no Comitê Gestor, que é formado por 07 (sete) Secretários de Estado, com reunião prevista para o próximo dia 12 de setembro de 2013, sendo este o motivo da não apresentação em definitivo da nova tabela.

    No decorrer da reunião, os representantes de classe indagaram ao SEGER se existe a intenção do Governo em enviar a Assembleia Legislativa do ES, projetos de forma fracionada, ou seja, primeiro o projeto dos oficiais e depois o projeto dos praças, sendo respondido pelo Secretário que o Governo enviará um único Projeto de Lei.

    A proposta final será apresentada às Entidades de Classe logo após a reunião do Comitê Gestor prevista para o dia 12 de setembro de 2013, onde conheceremos o conteúdo da proposta e então a levaremos ao conhecimento dos nossos associados.

    ResponderExcluir