quinta-feira, 31 de outubro de 2013

VITÓRIA - Cabo é punido por não liberar veículo de mulher de coronel em abordagem no trânsito

FONTE: A GAZETA
A prática de abuso de autoridade por parte de oficiais de alta patente da Polícia Militar em blitze - como a que aconteceu com o tenente-coronel José Dirceu Pereira, acusado de intimidar policiais durante fiscalização da Lei Seca no dia 13 de outubro, na Reta da Penha, em Vitória, após sair de uma boate -, são frequentes, embora pouco divulgadas. A afirmação é da Associação de Cabos e Soldados, que denuncia: o abuso geralmente acaba em represálias aos praças que fizeram a abordagem no trânsito. A reportagem teve acesso a documentos oficiais da Polícia Militar de outro caso semelhante, registrado em janeiro deste ano, que comprova a denúncia: após parar a mulher de um coronel em uma blitz, um cabo foi transferido sem explicações para o interior do Estado.



De acordo com esses documentos, na ocasião o cabo, com 16 anos de trabalhos prestados ao Batalhão da Polícia Rodoviária (BPRv), ligado ao 10º Batalhão da Polícia Militar (BPM), localizado em Guarapari, abordou um veículo conduzido pela mulher de um coronel e constatou uma série de irregularidades. Ele autuou a mulher e, dias depois, foi transferido para o interior de Linhares, mesmo tendo residência e família em Vitória, sob alegação de que havia necessidade de serviço, o que não foi comprovado. 

Mulher de coronel dirigia com criança de três anos no colo

Ainda de acordo com os documentos, o cabo e um soldado foram até a localidade de Palmeiras, em Guarapari, para recolher um carro que estava abandonado há mais de 15 dias. No caminho, se depararam com um Fusca conduzido por uma mulher e fizeram a abordagem padrão. Ela não portava documentos do veículo e nem pessoal, transportava três crianças menores de idade soltas no carro - com uma de aproximadamente 3 anos em seu colo. A mulher e as crianças não usavam cinto de segurança, além do veículo não estar licenciado.

Durante a autuação, um senhor chegou no local de bermuda e camisa gola polo, como frisa o documento, em um carro oficial. O homem questionou o que estava acontecendo, e após ouvir a resposta do cabo, retornou ao veículo e pegou uma identidade militar e se apresentou ao policial como sendo o coronel Henrique Grecco.

O praça, relata o documento, se portou militarmente ao coronel, que em seguida buscou o celular no carro e ligou para para o tenente-coronel Walace Brandão, então comandante do Batalhão da Polícia Rodoviária (BPRv), solicitando que o veículo fosse liberado do local, ao qual havia sido acionado o guincho para recolhimento em pátio e os procedimentos administrativos.O documento relata que os militares do BPRv escutaram a conversa e entenderam que o tenente-coronel não teria liberado o veículo. Nesse momento, o coronel Henrique se dirigiu à sua esposa, a condutora do veículo, e determinou que ela retirasse o Fusca apreendido pelos militares daquele local. O cabo perguntou se esta seria uma determinação, e o mesmo afirmou que sim, e que poderia anotar as providências devidas que ele estava indo embora.

Tenente-coronel nega

Procurado pela reportagem, o então comandante do Batalhão de Trânsito, tenente-coronel Walace Brandão, não quis comentar o ocorrido para não atrapalhar as investigações do caso, que ainda está sendo apurado pela Corregedoria da Polícia Militar. Mas garantiu que não liberou a esposa do coronel Henrique Grecco, para não ferir a lei. “Não liberei. Garanto isso. Para não ferir a legislação. E sei que isso gerou uma série de consequências”, resumiu Walace Brandão.

Desdobramentos

Dias após o ocorrido, o coronel Henrique foi promovido ao Comando e Policiamento Ostensivo Especializado. O cabo, com 16 anos de Batalhão de Trânsito, foi transferido para o interior de Linhares, para o policiamento comum.

Procurado pela reportagem para falar sobre o caso, o presidente da Associação de Cabos e Soldados do Espírito Santo, Cabo Flávio Gava, confirmou a história e afirmou que as denúncias de abusos de poder por parte de altas patentes são frequentes.

A Polícia Militar foi procurada para se pronunciar sobre o caso, mas a assessoria de comunicação informou que a PM só vai se manifestar quando o inquérito for concluído.

Tiroteio mata criança e policial militar durante tentativa de libertar presos no Fórum de Bangu

Uma criança e um policial militar morreram durante um tiroteio iniciado dentro do fórum de Bangu, na Zona Oeste do Rio, no fim da tarde desta quinta-feira (31), após uma tentativa frustrada de libertar dois criminosos que prestavam depoimento no local. Outro PM e uma mulher foram baleados e estão hospitalizados.
O PM que morreu foi identificado como sargento Oliveira. A Divisão de Homicídios vai investigar as mortes. Até as 20h, não havia informações sobre o estado de saúde e identificação da mulher, baleada dentro de um ônibus que passava pelo local. Segundo o porta-voz da PM, Cláudio Costa, o policial ferido passava por cirurgia para retirada de bala na cabeça por volta das 20h30 e seu estado de saúde é gravíssimo.
Pelo menos quatro criminosos queriam libertar Alexandre Bandeira de Melo, o “Piolho”, de 40 anos, apontado como chefe do tráfico do Morro do Dezoito, e Vanderlan Ramos da Silva, o "Chocolate", 30 anos, também líder do tráfico, de favelas de Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Piolho foi preso em 2012 em Jacarepaguá, na Zona Oeste. Segundo a polícia, havia seis mandados de prisão pelos crimes de homicídio, tráfico, associação para o tráfico, roubo e formação de quadrilha.

 Alexandre Bandeira de Melo "Piolho" e  Vanderlan Ramos da Silva "Chocolate"


O juiz responsável pela comarca da 1ª Vara Criminal de Bangu, Alexandre Abrahão Dias, disse que a audiência na qual "Piolho" era testemunha havia muitos policiais, que não são obrigados a tirarem suas armas durante os depoimentos. Ao chegarem atirando para libertar o criminoso, eles foram surpreendidos e fugiram. Muitos tiros foram disparados durante a fuga dos bandidos, que não foram localizados até as 20h30. A polícia reforçou o patrulhamento por tempo indeterminado e faz varreduras na áera para tentar achar os criminosos.
Uma testemunha que não quis se identificar disse que estava no sinal, na esquina da Rua 12 de Fevereiro, onde fica o fórum. "Eu era o primeiro carro quando vi quatro homens fechando a rua com fuzis e pistolas. Eles falavam para as pessoas ficarem tranquilas. Aí avistaram a viatura no trânsito e começaram atirar. Na porta do fórum, tinha mais uns oito a dez homens todos de preto. Só um estava com o rosto descoberto. Eu me abaixei junto com a minha cunhada no carro e fiquei esperando eles pararem de atirar. Meu carro recebeu muito tiro e está todo estourado", contou.
De acordo com a PM, os criminosos estavam fortemente armados com fuzis, divididos em pelo menos dois carros. Policiais que patrulhavam o fórum enfrentaram os traficantes, que revidaram com tiros. O comércio foi fechado após o tiroteio.
O 14º BPM afirmou que não foi informado pelo TJ de que haveria o depoimento desse traficante, por isso o policiamento não foi reforçado.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Família reconhece corpo achado em rio como sendo de ex-jogador


Familiares do ex-jogador João Rodrigo Silva, de 35 anos, - decapitado na terça-feira (29), disseram ao G1, na manhã desta quarta-feira (30), que reconheceram parte do corpo achado nas margens do Rio Guandu, em Queimados, na Baixada Fluminense, como sendo do ex-jogador. Segundo o cunhado da vítima, que prefere não se identificar, o reconhecimento foi feito por uma marca de nascença que João Rodrigo tinha na barriga.
No entanto, de acordo com a Polícia Civil, Peritos do Instituto Médico Legal (IML) ainda vão confrontar o DNA do tronco encontrado no Rio com a cabeça de João, que foi deixada em uma mochila na porta de sua casa em Realengo, na Zona Oeste da cidade, na terça. O resultado do exame deve sair até o fim de novembro.

Ainda segundo a polícia, equipes encontraram os membros de um corpo também em Seropédica e vão encaminhar ao IML para confrontar o material genético com o tronco e a cabeça encontrados.
A mulher da vítima esteve no IML e confirmou que o corpo parece com o de João Rodrigo. Inicialmente, o corpo foi levado para o IML de Campo Grande, na Zona Oeste, mas depois foi encaminhado para o IML do Centro para facilitar as investigações.

Laudo de voz inocenta presos por corrupção

Laudo de exames de voz feitos pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) em áudios de 13 PMs do 15º BPM (Duque de Caxias), presos em dezembro na Operação Purificação, foi conclusivo apenas para um policial. Segundo o documento, o único confronto de voz que deu positivo foi do 2º sargento Paulo Sergio Fernandes Odilon. Segundo o documento, é ele quem fala com uma pessoa identificada como Nariz.
As outras 12 escutas analisadas, autorizadas pela Justiça, de acordo com os peritos, deram negativas, inconclusivas ou prejudicadas, essa última por ter pouca quantidade ou baixa qualidade de som. Ao todo, foram presos 65 PMs do 15º BPM, acusados de receber propinas para não coibir o tráfico em 13 favelas de Duque de Caxias. Desse total, 42 já foram expulsos e 10 serão excluídos.
Segundo as investigações da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança, eles recebiam R$ 2.500 de traficantes, por plantão, em cada comunidade, o que poderia render até R$ 32.500 por plantão. O comandante do 15º BPM, na época, tenente-coronel Claudio de Lucas Lima, foi exonerado. Hoje, às 10h, a Comissão de Segurança Pública da Alerj, fará audiência pública para discutir o caso.
“Este tema merece ser investigado com mais profundidade. A audiência busca averiguar se houve alguma injustiça contra esses policiais”, afirmou o deputado e presidente da comissão, Iranildo Campos (PSD).

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Chefe do tráfico do Complexo do Lins é preso na Vila Kennedy

Policiais da 6ª DP (Cidade Nova), com apoio do 14º BPM (Bangu) prenderam, nesta tarde, o traficante Cleverson de Souza Silva, de 36 anos, conhecido como Trek. Ele estava escondido numa casa na Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio. Cleverson era o principal fornecedor de drogas para o Complexo do Lins, na Zona Norte, e deixou a sua base de controle, no Morro do Amor, quando as comunidades foram ocupadas pela polícia pacificadora.
De acordo com os militares, a casa do traficante, na Rua Congo, foi cercada. Sem chance de fugir, o traficante se entregou. Com ele foram encontradas uma pistola calibre 9 milímetros e grande quantidade de drogas. A prisão de Cleverson é importante pois ele fazia parte do comando da facção criminosa que detinha o controle do Complexo do Lins, num grau hierárquico superior ao de Pezão (Luciano Martiniano da Silva), chefe do tráfico no Complexo do Alemão.
Segundo o delegado Antenor Lopes, titular da 6ª DP, contra Cleverson havia seis mandados de prisão por homicídio, tráfico e roubo.

Traficantes tentam subornar policiais e são presos

Policiais Militares do 21º BPM (Vilar dos Teles) prenderam três suspeitos de tráfico de drogas, durante um patrulhamento no bairro de Éden, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Um dos presos é conhecido como "feio", os outros dois são menores de idade. Segundo informações da polícia, eles vieram da comunidade da Pedreira, na Pavuna, e Favela da Linha em São João de Meriti.
Junto com os homens foram apreendidos uma pistola calibre 9mm, diversas munições e drogas. Os suspeitos ofereceram R$ dez mil para evitar serem presos, mas os agentes não aceitaram o suborno. A ocorrência foi registrada na 54ª DP (Belford Roxo).

Marido decapitado de PM é ex-jogador de futebol

Ex-jogador de futebol João Rodrigo foi decapitado

O homem que foi decapitado na madrugada desta terça-feira (29) em Realengo, na Zona Oeste do Rio, era ex-jogador de futebol, informou Bruno Santos, amigo da vítima. De acordo com ele, João Rodrigo Silva Santos, de 35 anos, não tinha inimigos e já jogou no Bangu, no Madureira, no Botafogo do Distrito Federal e em times da Suécia e Honduras.
"Era um homem bom, de família. Vivia para o futebol e até pouco tempo jogava. Ele chegou a jogar fora do país também. Assaltaram a loja dele faz pouco tempo. Meu amigo viu quando pegaram ele e me ligou. Um Astra preto com dois homens renderam ele. Ele não tinha inimigos”, contou Bruno, que acrescentou que a vítima teve o carro roubado, um I30, em frente a sua loja de produtos naturais, na Rua Piraquara, em Realengo.
Segundo o cunhado da vítima, que não quis se identificar, a esposa, que é policial militar e trabalha na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), passou a madrugada na expectativa da chegada do marido. A polícia informou que ele teve a cabeça deixada dentro da sua mochila, na porta da casa, Rua Laura Dias, número 19, por volta das 6h.
“Todo carro que passava ela ia ver. Por volta das 4h30 da manhã, ela escutou um barulho, abriu o portão e estava a mochila dele. Quando ela abriu, era a cabeça. Eu não quis ver, mas o pessoal que viu, falou que arrancaram os olhos e a língua. Testemunhas disseram que viram ele sendo abordado por homens que o levaram dentro do próprio carro. 

Tenente é condenado por cerveja no BEP


Assaltante atira granada contra PM, que fica levemente ferido.


Três homens foram presos na manhã desta terça-feira após assalto a uma casa lotérica na Avenida Gomes Freire, na Lapa, região central da cidade. Na fuga, os bandidos roubaram um carro, mas logo se depararam com uma viatura da PM. Eles tentaram fugir pela Avenida Mem de Sá, mas foram cercados ao entrar na Rua dos Inválidos. Um homem foi preso no carro e outros dois entraram em no prédio de número 138 para tentar despistar os PMs. Um bandido atirou uma granada contra um policial, que se feriu levemente por conta dos estilhaços do artefato. Com um dos assaltantes foi encontrado um revólver calibre 38. Um dos presos usava uniforme de uma escola pública. Segundo funcionários da lotérica, os bandidos roubaram todo o dinheiro dos caixas e ainda assaltaram cerca de 10 apostadores que estavam na fila. O caso será registrado na 5ª DP (Mem de Sá).

Cabeça de marido de PM da UPP é deixada em frente à casa da família


A cabeça de um homem, casado com uma policial lotada na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro da Mangueira, na Zona Norte, foi deixada na porta da casa da família, em Realengo, na Zona Oeste, na madrugada desta terça-feira. A vítima foi identificada como João Rodrigo Silva Santos, de 35 anos.
Agentes da Divisão de Homicídios (DH) realizaram perícia no local, na Rua Rosa Martins, esquina da Rua Laura Dias. A cabeça estava dentro de uma mochila e foi levada para o Instituto Médico Legal (IML).
De acordo com a PM, a casa onde a mochila foi deixada fica na esquina das ruas Rosa Martins com Laura Em nota, a corporação informou que a vítima, identificada como João Rodrigo dos Santos, 35 anos, foi rendida em seu comércio, próximo à comunidade Minha Deusa, em Realengo, e levado por criminosos dentro do próprio carro.
A mulher do comerciante disse ter ouvido um barulho na porta de casa, por volta das 6h, e viu jogada na calçada a mochila do marido, onde estava a cabeça. Horas antes, ela havia registrado queixa de desaparecimento.

Policiais militares são condenados quase dois anos após serem indiciados

Quase dois anos após a Operação Dezembro Negro ser deflagrada pela Delegacia de Homicídios, de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), em dezembro de 2011, 11 policiais que na época estavam lotados no 7º BPM (São Gonçalo) foram expulsos da corporação. Os militares foram condenados pelo juiz da 2ª Vara Criminal de São Pedro da Aldeia, por envolvimento com traficantes dos morros da Coruja, no bairro do Vila Lage, em São Gonçalo, e do Morro do Bumba, no Cubango, Niterói. 
Segundo as investigações, os PMs recebiam propina (o chamado “arrego”) dos traficantes para que não fizessem operação policial nas comunidades e assim o tráfico pudesse atuar com tranquilidade. A quantia arrecadada pelos policiais girava em torno de R$ 20 mil por semana. Os 11 foram condenados por tráfico e associação para o tráfico. Durante o processo, escutas telefônicas autorizadas pela Justiça, teriam flagrado - segundo a Justiça - quando os PMs Adão Debona Pereira, Carlos Almeida Teixeira, Marcelo Sena da Silva, Giovane da Silva Ferreira, Marcelo da Fonseca da Silva, Anderson Gama Trindade, Alexandre Calixto Bastos Pereira, Leandro Alves Coelho, Roberto Dias Toledo, Leonardo de Aguiar Muzer Rezende e Junior Cezar de Medeiros, negociavam o “arrego” com traficantes.
Ainda durante as investigações, o comandante da unidade na época, tenente-coronel Djalma Beltrami chegou a ser preso, mas foi liberado por falta de provas. Com isso, o processo onde ele aparece como réu foi separado dos outros, que envolvem sargentos, cabos e soldados. 

Escrivã dá tapa na cara e aponta arma para PM

A escrivã Aline Rocha discutiu com um PM com uma arma na mão. Além de apontar a arma para ele, ela deu um tapa na cara do policial. As imagens foram captadas por meio de um celular.
Aparentemente embriagada, a escrivã desafiou policiais militares que a abordaram para atender a uma denúncia durante a madrugada num posto de combustíveis da zona sul de São Paulo.

sábado, 26 de outubro de 2013

Coronel da PM é espancado por 'black blocs' em protesto

O coronel da Polícia Militar de São Paulo Reynaldo Simões Rossi, comandante da região central da capital, foi espancado na noite de ontem por um grupo de cerca de dez manifestantes mascarados, adeptos à tática "black bloc". O policial, integrante da cúpula da PM, teve a clavícula quebrada e sofreu cortes no rosto e na cabeça. Ele foi levado para o Hospital das Clínicas, onde permanecia em observação até a conclusão desta edição. Até o início da madrugada, a polícia tentava identificar os agressores. A agressão ocorreu na entrada terminal de ônibus Parque D. Pedro, o maior da capital, durante um protesto organizado pelo MPL (Movimento Passe Livre) que reuniu cerca de 3.000 pessoas na região central, segundo a PM. O comandante foi atacado logo depois de parte dos manifestantes iniciar a depredação do terminal. Caixas eletrônicos e catracas que dão acesso ao local foram quebrados. Um ônibus foi parcialmente incendiado. Em meio ao tumulto, um grupo de mascarados cercou o comandante e passou a agredi-lo com socos e pontapés. Ele foi derrubado, mas conseguiu se levantar. Neste momento, um dos mascarados golpeou o policial na cabeça usando uma placa de ferro. O coronel foi socorrido por um policial disfarçado, que afastou os agressores com uma arma em punho. Amparado por colegas, ele seguiu andando até um carro da PM, que o levou para o Hospital Clínicas. No banco de trás, fez um apelo aos gritos a um subordinado que ficou no local. "Segura a tropa, não deixa a tropa perder a cabeça". A arma e o rádio de comunicação dele desapareceram. 

INTERLOCUTOR 
Responsável pelo policiamento do centro, ele acompanhava a manifestação a alguns metros de distância. Ontem, a operação estava a cargo do tenente-coronel Wagner Rodrigues. Rossi é um oficial conhecido na corporação como "operacional". Gosta de comandar seus homens na rua e não apenas de sua sala, comportamento incomum entre oficiais de sua patente. Parte de sua carreira foi construída em unidades de elite da polícia, como o Choque e COE (operações especiais). É tido como bom negociador em situações de reféns. Nos protestos deste ano, muitas vezes sentou-se no chão para dialogar com o organizadores de protestos. 

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Policiais resgatam empresário sequestrado em Anchieta

Policiais do 41º BPM (Irajá) resgataram um empresário que havia sido sequestrado e levado para a comunidade da Via Light, em Anchieta, na Zona Norte do Rio, nesta sexta-feira (25). O empresário iria ser executado, segundo informações da assessoria de imprensa da Polícia Militar. Os policiais teriam chegado minutos antes da execução impedindo a ação dos criminosos.Ainda de acordo com a PM, no local foi preso um homem com uma pistola calibre 45 e um fuzil calibre 7.62. Por volta das 19h, a ocorrência estava sendo conduzida para a 22ª DP.

Policial é baleado em confronto com bandidos no Complexo da Maré

O policial militar do 22º BPM (Maré) Dário Gomes de Souza foi baleado durante operação na Favela do Timbau, no Complexo da Maré, na Zona Norte, nesta sexta-feira. Ainda não há informações sobre o estado de saúde do PM. Ele é a segunda vítima do confronto envolvendo bandidos e militares na região da Maré nesta sexta.
Suspeito de pertencer ao tráfico de drogas, Rodrigo Roque de Souza foi baleado na Favela Baixa do Sapateiro. O ferido foi levado para o Hospital Federal de Bonsucesso. Não há informação sobre seu estado de saúde.

Capitão da PM baleado na Taquara está internado em estado grave, diz polícia

O capitão da Polícia Militar baleado por bandidos na madrugada desta sexta-feira, na Avenida dos Mananciais, na Taquara, em Jacarepaguá, na Zona Oeste, está internado em estado grave. Segundo nota da PM, o oficial, lotado no 20º BPM (Mesquita), chegava em casa quando foi abordado por bandidos em uma moto.
Mesmo baleado, ele conseguiu ferir dois marginais, que foram socorridos pelos comparsas e conseguiram fugir. O PM foi socorrido por uma ambulância e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijujca, também na Zona Oeste, onde foi operado.
Após o crime, PMs do batalhão fizeram uma operação no Morro da Covanca, em Jacarepaguá. Um homem baleado foi preso. Ele é suspeito de participar da ação. Outro homem que se apresentou como tio dele acabou detido. O policiamento está reforçado na região.
A ocorrência foi registrada na 32ª DP (Taquara).

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

MP investiga se sargento transformou batalhão da PM em motel

O Ministério Público investiga se um policial militar transformou sua sala no 7ª BPM (São Gonçalo) em motel. A denúncia chegou ao MP por uma mulher que manteve contato com o homem pela internet e já chegou à Promotoria junto à Auditoria de Justiça Militar. A íntegra do diálogo via skype em que o homem se apresenta como sargento, afirma que trabalha no batalhão de São Gonçalo e convida a mulher para um encontro íntimo em seu local de trabalho. “É bem discreto, você não vai se arrepender”, diz.
Na conversa, que aconteceu no último dia 10, o policial afirma que está cumprindo um plantão de 24 horas no batalhão, mas não teria problema em receber uma “visita”. “Tem uma entrada independente, tranquila. Estou querendo um encontro hoje”, afirma. A mulher pergunta: “Você faz isso sempre?”. Ele responde: “Adoro fazer isso”.
A mulher encontrou o perfil do suposto sargento no site de encontros “Sexo com Café”. O nome que ele usa, junto com sua namorada para marcar encontros com outras mulheres é “Casal Itasex”. O policial ainda afirma que, quando os encontros são marcados no batalhão, sua namorada ouve tudo pelo telefone da sala: “Quando vem alguém, ela pede para eu ligar e fica ouvindo nossos gemidos”.
Ao final do diálogo, a mulher recusa o convite do PM. Uma semana depois, a denúncia chegou ao MP.

Novos regulamentos disciplinares para policiais e bombeiros militares

Transgressões de militares
Comissão especial da Alerj debateu as punições das transgressões previstas no regulamento disciplinar do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. Os parlamentares querem a reformulação do documento. O regulamento dos bombeiros contém 129 itens e, o da PM, 125. Para os militares, o regulamento não tem mais aplicabilidade, já que o documento data de 1980 e entra em contradição com a Constituição de 88. Eles pedem a classificação das transgressões em leve, média e grave. O grupo também critica a proibição de os militares participarem de manifestação popular.


Contêiner no Morro dos Telégrafos foi alvo de tiros

Na madrugada de ontem, três criminosos atiraram pelo menos 10 vezes contra o contêiner da Unidade de Polícia Pacificadora no Morro dos Telégrafos, na Zona Norte. Apenas um PM estava dentro da base na hora, mas ele não se feriu. Os militares contaram que costumam passar as noites do lado de fora, na calçada em frente, por considerarem a posição estratégia para o caso de haver ataques. A comunidade é patrulhada pela equipe da UPP da Mangueira.
"Já ficamos fora da base por precaução. Um tiro perfurou o contêiner, a bala foi parar lá dentro", relatou um policial, que pediu para não ser identificado.
Os PMs chegaram a revidar ao ataque, que aconteceu por volta das 2h, mas não conseguiram prender os suspeitos, porque, segundo eles, a prioridade era ver se o colega que dormia no contêiner estava ferido. A UPP da Mangueira foi inaugurada em 2011, e este foi o primeiro atentado contra a base do Telégrafo, que ainda não foi pintada ou adesivada com as cores da Polícia Militar.
No morro, o clima era de tensão, e o patrulhamento estava reforçado ontem de manhã. Moradores relataram que bondes de bandidos em motos circulam à noite pela favela. Os próprios PMs não se sentem seguros. "O clima é de tranquilidade, mas uma tranquilidade aparente", desabafou um policial militar.

Advogado da família de Amarildo pede prisão do secretário de Planejamento

O advogado da família de Amarildo de Souza, 43, que desapareceu no dia 14 de julho durante uma operação policial na favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, pediu prisão do secretário de Planejamento do Estado, Sérgio Ruy Barbosa, na tarde desta quarta-feira (26). Segundo ele, o Estado não pagou a pensão de um salário mínimo nem tratamento psicológico para a família do pedreiro.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Homem é morto a tiros ao tentar assaltar coronel da PM em Niterói

Um homem o morreu durante tentativa de assalto ao coronel da PM Fernando Príncipe Martins na noite da última segunda-feira, em Niterói, na Região Metropolitana. De acordo com PMs do 12º BPM (Niterói), o oficial estava acompanhado de uma desembargadora quando foi abordado por dois homens em uma motocicleta em Camboinhas, bairro nobre da Região Oceânica do município.
Príncipe reagiu e atirou em um suspeito, que morreu no local. Com ele a PM encontrou uma pistola calibre 9 mm, drogas, um radiotransmissor e um celular. O outro homem, que pilotava a moto, conseguiu escapar.

Repórter de TV americana mostra tráfico nas favelas do Rio

O repórter Dan Harris, do programa "Nightline", da TV americana ABC News, fez uma série de reportagens sobre o tráfico de drogas em favelas do Rio, que mostram a livre circulação de crianças em bocas de fumo e uma tenda com venda de drogas em papelotes de várias cores, de acordo com o produto. Numa das histórias, o repórter Dan Harris entrevistou o chefe do tráfico de uma favela, armado e cheio de joias de ouro, que disparou: -- E se eu decidir te matar ou te sequestrar agora? Quem tá podendo? Eu ou você? -- indagou o bandido.

VEJA OS NOMES DOS POLICIAIS E CRIMES PELOS QUAIS VÃO RESPONDER NO CASO AMARILDO


REPRODUÇÃO BLOG DO SOLDADO
Major Edson Raimundo dos Santos – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha / Fraude processual (2x) Tenente Luiz Felipe de Medeiros – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha / Fraude processual (2x) Soldado Marlon Campos Reis – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha / Fraude processual Soldado Douglas Roberto Vital Machado, vulgo "Cara de macaco" – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha / Fraude processual Sargento Jairo da Conceição Ribas – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha Soldado Anderson Cesar Soares Maia – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha Soldado Fábio Brasil da Rocha da Graça – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha Soldado Jorge Luiz Gonçalves Coelho – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha Soldado Victor Vinicius Pereira da Silva – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha Soldado Wellington Tavares da Silva – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha Sargento Reinaldo Gonçalves dos Santos – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha Sargento Lourival Moreira da Silva – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha Soldado Wagner Soares do Nascimento – Tortura / Ocultação de cadáver / Formação de quadrilha Soldado Rachel de Souza Peixoto – Tortura / Ocultação de cadáver Soldado Thaís Rodrigues Gusmão – Tortura / Ocultação de cadáver Soldado Felipe Maia Queiroz Moura – Tortura / Ocultação de cadáver Soldado Dejan Marcos de Andrade Ricardo – Tortura / Ocultação de cadáver Sargento Rodrigo Molina Pereira – Tortura (por omissão) Soldado Bruno dos Santos Rosa – Tortura (por omissão) Soldado João Magno de Souza – Tortura (por omissão) Soldado Jonatan de Oliveira Moreira – Tortura (por omissão) Soldado Márcio Fernandes De Lemos Ribeiro – Tortura (por omissão) Soldado Rafael Bayma Mandarino – Tortura (por omissão) Soldado Sidney Fernando de Oliveira Macário – Tortura (por omissão) Soldado Vanessa Coimbra Cavalcanti – Tortura (por omissão)

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Policial Civil é morto a tiros dentro de ônibus na Avenida Brasil

A Polícia Civil divulgou, nesta terça-feira, imagens dos suspeitos de assaltar um ônibus na Avenida Brasil, altura de Bonsucesso, na noite de segunda-feira. Na ocasião, o inspetor Ramires Hering foi morto por um deles com três tiros ao reagir. Segundo os agentes, um homem de camisa polo entra no veículo e, pouco depois, outro suspeito de camisa rosa sobe no coletivo. O policial chegou a ser encaminhado para o Hospital Geral de Bonsucesso mas não resistiu aos ferimentos e morreu.


Deputados começam a rever a punição disciplinar de PMs

A Comissão Especial da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), que estuda propostas para os novos regulamentos disciplinares da PM e do Corpo de Bombeiros, se reúne amanhã para discutir a lista de transgressões disciplinares aplicada aos policiais e bombeiros do Rio. Presidida pelo deputado Flávio Bolsonaro (PP), a comissão tem o objetivo de remover transgressões disciplinares consideradas abusivas e, com isso, melhorar a vida dos agentes, que sofrem todo tipo de sanções, muitas vezes absolutamente ineficazes no controle da tropa. Afinal, com a barba feita e o coturno limpo, policiais podem cometer as maiores atrocidades na rua.

Dos três itens debatidos na primeira reunião, semana passada, dois foram consenso: o que livra PMs reformados de sanções disciplinares, com base na Súmula 56 do STF; e o segundo, que trata da manutenção dos proventos de militares inativos excluídos da corporação.
Para o deputado Bolsonaro, “é preciso adequar os regulamentos à Constituição Federal e manter a hierarquia e a disciplina nas instituições militares, de maneira a que superioridade hierárquica não se confunda com tratar os subordinados como cidadãos de segunda categoria."
Os deputados Wagner Montes (PSD) e Iranildo Campos (PSD) compõem a comissão, cujos trabalhos estão sendo acompanhados por várias entidades de classe ligadas a policiais e a bombeiros.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

4 POLICIAIS MILITARES BALEADOS

Policial militar é baleado na cabeça quando saía de casa para trabalhar

Um policial militar foi baleado na cabeça quando saía de casa, na Rua Alcides Rêgo, próximo a base aérea de Santa Cruz, Zona Oeste do Rio, na madrugada desta segunda-feira. De acordo com policiais do 27ºBPM (Santa Cruz), dois homens teriam efetuado disparos contra o militar Alexandre Dias Barbosa, de 45 anos, lotado no 40ºBPM (Campo Grande). Ainda de acordo com a PM, o militar estava saindo de casa com a mulher para ir trabalhar quando foi atingido. Alexandre está internado no Hospital Pedro II, em Santa Cruz e segundo a PM, seu estado de saúde é grave.

 Policial é baleado ao sair de lan house no Centro de Seropédica

Um policial militar foi baleado na cabeça quando saía de casa, na Rua Alcides Rêgo, próximo a base aérea de Santa Cruz, Zona Oeste do Rio, na madrugada desta segunda-feira. De acordo com policiais do 27ºBPM (Santa Cruz), dois homens teriam efetuado disparos contra o militar Alexandre Dias Barbosa, de 45 anos, lotado no 40ºBPM (Campo Grande). Ainda de acordo com a PM, o militar estava saindo de casa com a mulher para ir trabalhar quando foi atingido. Alexandre está internado no Hospital Pedro II, em Santa Cruz e segundo a PM, seu estado de saúde é grave.

DOIS SARGENTOS DO 14º BPM BALEADOS
Mais dois PMs baleados. Lotados no 14ºBPM, os sargentos Vinícius e Nascimento foram atingidos durante incursão na Favela Curral das Éguas, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Albert Schweitzer.

sábado, 19 de outubro de 2013

Três PMs de UPP são baleados em duas comunidades

Jornal O Dia
Três soldados de duas UPPs -- São Carlos e Complexo do Alemão -- foram feridos na madrugada deste sábado. Um soldado da UPP do São Carlos foi baleado no braço durante patrulhamento na localidade Paralelas, no Morro da Mineira, no Catumbi. O soldado foi levado para o Hospital da Polícia Militar para ser submetido a cirurgia. De acordo com a PM, havia uma festa em uma casa e um homem disparou contra o policial. 
Na comunidade Nova Brasília, um sargento e um soldado da UPP do Complexo do Alemão foram feridos em confronto com bandidos. O sargento foi ferido no tornozelo. Ele foi levado para o Hospital da Polícia Militar para ser submetido a cirurgia. O soldado foi ferido de raspão na mão esquerda. Nenhum deles corre risco de morrer.
Em nota, a assessoria da PM enfatizou que as sedes das UPPs não foram atacadas e que os casos estão sendo investigados.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

PCC prepara ataques até na Copa e PM entra em alerta

SÃO PAULO - O Primeiro Comando da Capital (PCC) prepara novos ataques caso a cúpula seja transferida para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) da Penitenciária de Presidente Bernardes, no interior de São Paulo. Diante das novas ameaças do bando, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Benedito Roberto Meira, pôs a corporação em estado de alerta.
As ameaças da facção se estendem a 2014, quando os bandidos prometem uma “Copa do Mundo do terror” e ataques nas eleições. Os planos dos criminosos foram interceptados em telefonemas recentes flagrados pela inteligência da polícia. Os bandidos afirmam que vão fazer uma greve branca nos presídios se a liderança do PCC for transferida para o RDD. Também dizem que, em caso de reação do governo paulista à greve, criminosos nas ruas vão atacar.
“Passei uma mensagem aos meus homens para que eles redobrem a atenção no atendimento das ocorrências, quando estacionam os carros e no caminho para casa”, afirmou Meira. Em 2012, depois de a facção ordenar ataques a policiais, 106 PMs foram assassinados.
As novas ordens do crime surgiram depois de a defesa de criminosos como Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, o chefão do PCC, ter acesso aos detalhes da megainvestigação realizada por três anos contra o crime organizado. Grande parte do mapeamento das ações do PCC foi feito com a colaboração de Pms.
As orientações saíram por meio de telefonemas dados pelos líderes que estão na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no oeste paulista. “O clima é muito tenso na região. Eles estão transmitindo as ordens pelos celulares porque querem que a gente saiba”, afirmou um dos 23 promotores dos Grupos de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaecos) do Estado que assinaram a denúncia contra os 175 acusados de pertencem à organização criminosa.
A inteligência policial verificou também que o bando tomou precauções para o caso de toda a cúpula ser isolada no RDD de Presidente Bernardes. Marcola e os demais integrantes da Sintonia Final Geral escolheram substitutos que devem assumir os negócios da organização criminosa. Tudo isso para que o tráfico de drogas não seja prejudicado.
Durante a greve branca, os líderes do PCC querem impedir a inclusão de novos detentos na cadeia. Pretendem se recusar a serem fechados nas celas, ficando livres nos pátios. Também paralisariam o trabalho nas prisões onde existem oficiais. Em caso de intervenção do Grupo de Intervenção Rápida (GIR), da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) ou da Tropa de Choque, os detentos da facção pretendem começar atentados nas ruas. De acordo com a inteligência policial, funcionários dos presídios também foram informados por presidiários sobre as supostas intenções da facção. O conteúdo dessas novas escutas não faz parte da denúncia apresentada pelos promotores.
Pressão
As ameaças do crime organizado contra o Estado surgem no momento em que o Poder Judiciário analisa dois recursos apresentados pelo Ministério Público Estadual (MPE) contra as decisões de juízes que negaram a transferência da cúpula da facção para o RDD e a decretação da prisão de todos os 175 acusados - 16 deles tiveram a denúncia rejeitada.
Na semana passada, um dos promotores do caso relatou no Gabinete de Gestão Integrada (GGI), no Comando Militar do Sudeste, do Exército, a ameaça feita pelo PCC para os eventos de 2014. A expansão das atividades da facção criaria novos riscos. “A facção sabe que teremos muitos turistas aqui durante a Copa”, afirmou o promotor. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Governador pune PM que evitou assalto

Policial de São Paulo que atirou em bandido que tentou roubar moto foi punido

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Secretária Nacional de Direitos Humanos, Maria do Rosário se comove ao ver vídeo de assaltante sendo baleado

FONTE: CORREIO DE CORUMBÁ


A Secretária Nacional de Direitos Humanos, Maria do Rosário, declarou essa manhã que ficou "comovida" ao assistir vídeo que virou viral na internet, que mostra um policial alvejando um assaltante, logo após este último tentar roubar a moto de um cidadão.

Segundo Maria do Rosário, "O pior não é nem o ato em si, a violência gratuita praticada pelo policial. O que é mais chocante é a reação das pessoas, habituadas à cultura da violência, acabam reproduzindo o discurso elitista, reacionário, neo-liberal e fascista de que bandido bom é bandido morto."

Ela explica também que "o conceito de 'bandido' adotado pelo senso comum é um engodo. Tem que ser levado em consideração o fato de que essas pessoas, que não tiveram oportunidade de estudar, trabalhar e receber salários dignos, adquiri bens, são, na verdade, vítimas da sociedade. Por isso acabam enveredando para esse chamado 'mundo do crime'".

Maria do Rosário informou que já encaminhou ofício ao Youtube para que o vídeo seja retirado do ar e, caso não obtenha resposta, vai mover ação civil contra o site.

"É uma aberração que as pessoas continuem compartilhando esse tipo de conteúdo nas redes sociais" disse a Ministra. "É necessário compreender que quando uma pessoa dessas, vítima do capitalismo selvagem, atira em alguém, fomos nós que lhes demos a arma e a municiamos."

O "assaltante" sobreviveu aos disparos e passa bem. A Secretaria de Direitos Humanos se prontificou a prestar todo auxílio necessário à sua família.

PM do Rio terá de aprender a levar desaforo para casa

“As provocações são armadilhas. Durante os protestos, os PMs são insultados, ofendidos. Na semana passada, um manifestante cuspiu em um policial. Não podemos cair nesse jogo. Nosso policial terá treinamento para ter tolerância”, resume o coronel Wagner Villares Oliveira, escolhido para comandar a nova unidade.

Criado mais na base do sufoco do que por planejamento, o recém-formado Batalhão de Grandes Eventos da Polícia Militar do Rio ocupa, no Estácio, o local que já pertenceu ao 1º BPM. Tudo é novo para os 400 militares recrutados para compor a nova tropa – escolhidos  principalmente pelo perfil psicológico –, como é novidade para o Brasil o fato de, a qualquer momento, eclodir em frente a um prédio público ou numa avenida de movimento um bloco de manifestantes, muitos deles mascarados. Os PMs estão, no momento, dedicados a uma lição inusitada: aprender a “levar desaforo para casa”, aceitar provocações e, principalmente, não reagir de forma impulsiva às intimidações que, como se vê, são inevitáveis em uma manifestação de rua, com ânimos exaltados.REVISTA VEJA:  continue lendo aqui

Viatura do Batalhão de Choque capota na avenida Brasil

Uma viatura do Batalhão de Choque da Polícia Militar capotou na manhã desta quarta-feira (16) na avenida Brasil, na altura da Vila do João, no sentido zona oeste do Rio de Janeiro. Dois policiais ficaram feridos.
O trânsito ficou congestionado na pista lateral. Houve vazamento de óleo no asfalto e os bombeiros tiveram que espalhar serragem. A viatura foi rebocada e a via foi liberada por volta das 9h20.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Policial Militar reformado reage a assalto e é morto

A vítima foi atingida por cinco tiros enquanto fazia a escolta de um carro que transportava aparelhos eletrônicos. De acordo com a Polícia Militar, o sargento reformado foi morto em uma tentativa de assalto.

Grupo invade site da PM

Anonymous postou vídeo na página da corporação acusando policiais de truculência

O Dia
Rio - O grupo Anonymous invadiu, na noite desta segunda-feira, o site da Polícia Militar. Ao entrar na página da corporação, um vídeo de pouco mais de 2 minutos aparece na tela, mostrando cenas de confronto entre PMs e manifestantes na Cinelândia, próximo à Câmara Municipal. As imagens contém legendas que acusam os policiais de agir com truculência durante os atos na cidade.
Os hackers pedem ainda apoio ao protesto dos professores, marcado para esta terça-feira às 17h, na Candelária. A assessoria da corporação ainda não se pronunciou sobre a invasão. Até o momento, o vídeo continua no site.

domingo, 13 de outubro de 2013

Vítima filma assalto e flagra PM atirando em ladrão em São Paulo

O proprietário de uma moto, que tinha uma câmera acoplada no capacete, flagrou o momento no qual ele foi vítima de uma tentativa de roubo, neste sábado, na Zona Leste de São Paulo. A ação acabou mal para o assaltante, que foi visto por um policial militar e foi baleado. Um outro comparsa do bandido conseguiu fugir. 

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Sargento da UPP da Providência é atingido por tiro no rosto

Um sargento da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Providência foi baleado, na manhã desta sexta-feira, na Rua Cunha Barbosa, na Gamboa, Zona Portuária. Atingido com um tiro no rosto, o policial foi encaminhado ao Hospital Central da Polícia Militar (HCPM). Segundo a assessoria de imprensa da PM, ele não corre risco de morte.
Por volta das 9h dessa manhã, policiais da UPP da Providência avistaram um veículo circulando em atitude suspeita. Ao abordar o veículo, foram surpreendidos com dois homens armados, que desceram do carro atirando contra os agentes. O sargento foi atingido no rosto e socorrido pelos policiais.
Os dois homens não identificados fugiram. Policiais fazem buscas pela comunidade para encontrar os criminosos e pedem a colaboração da população local que podem dar informações por meio do Disque UPP (21) 2334-7599.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

PM que posou com cassetete quebrado tem dados vazados

Anonymous vaza dados de PM que posou com cassetete quebrado em foto 


O grupo de hackers Anonymous vazou, na tarde desta quarta-feira, dados pessoais do policial militar Tiago, que postou foto com um cassetete quebrado em seu perfil no facebook, com a frase "Foi mal fessor." Além do nome completo do PM, os hackers informam seu CPF, data de nascimento, telefones e listam dois endereços residenciais. O grupo também estima o possível rendimento do policial e divulga um cheque sem fundo que ele teria passado no ano passado. O grupo postou: “Para toda ação, existe uma reação igual ou contrária, portanto ‘Foi mal coxinha’, seus dados foram expostos.”
Na postagem da semana passada, o PM se identificava como “Tiago Tiroteio.” Ele teria sido um dos policiais em serviço durante a votação do plano de cargos e salários dos professores da rede municipal, na Câmara dos Vereadores, que terminou em quebra-quebra na terça-feira da semana passada.
Na ocasião, a PM informou em nota que o soldado, de 30 anos, está há cinco na corporação e pertence ao Batalhão de Choque. Em depoimento nesta sexta-feira passada, na corregedoria, ele teria argumentado em sua defesa que não fez a postagem ofensiva. Um inquérito policial-militar foi aberto para apurar se o acusado foi responsável pela postagem.
A PM informa também que os dados do PM foram descobertos em vazamento de informações do dia 14 de setembro. No dia, a PM registrou ocorrência na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática da Polícia Civil. As investigações ainda estão em andamento.

WAGNER MONTES FORA DO BALANÇO GERAL DAS 12H

BERENICE SEARA - JORNAL EXTRA
 

Wagner Montes e o prato que se come frio
► Parece que os bispos da TV Record ficaram magoadíssimos com a rejeição de Wagner Montes ao PRB.
► Menos de uma semana após desistir de entrar no partido da Igreja Universal do Reino de Deus, o deputado-apresentador perdeu o comando de um dos principais sucessos da emissora — a segunda edição do "Balanço Geral", que vai ao ar às 12h. 

► O moço apresentará, a partir de hoje, o programa exibido entre as 6h30m e às 7h30m, de segunda a sexta.
► Além de dar adeus à atenção dos telespectadores que almoçavam assistindo às escrachaaa-aadas do moço, o "Balanço Geral" da manhã é bem mais curto — tem lh30m a menos.
Na esportiva
► Wagner, que ficou no PSD, soube ontem que se afastaria do programa que transformou num sucesso.
► O nobre renovou seu contrato com a emissora em setembro deste ano e, se quiser cancelar o acordo, terá que desembolsar a pequena fortuna de R$ 5 milhões. O moço negou que tenha havido retaliação e disse aprovar as mudanças.

ALERJ INSTALA COMISSÃO PARA DISCUTIR REGULAMENTO DISCIPLINAR DA PM

SITE ALERJ

A Comissão Especial criada na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) para discutir novos regulamentos disciplinares para a Polícia Militar (PM) e o Corpo de Bombeiros, instalada na manhã desta quarta-feira (09/10) e presidida pelo deputado Flávio Bolsonaro (PP), terá como ponto principal ouvir entidades de classe e associações ligadas às duas corporações, para discutir o tema. Logo na primeira reunião, que será realizada no dia 17 de outubro, às 11h, será debatida a aplicabilidade do regulamento atual aos policiais reformados e militares da reserva. “Vamos tratar de paradigmas que precisam ser quebrados na PM. Inclusive alguns já estão consagrados na jurisprudência, mas não na legislação correcional dos militares estaduais. É o caso da não aplicabilidade dos regulamentos disciplinares aos reformados, que podem perder o direito da aposentadoria em função de um desvio disciplinar ou de um crime”, explicou Bolsonaro. O presidente da Alerj, deputado Paulo Melo (PMDB), esteve presente na reunião e afirmou seu apoio à comissão, dizendo que irá levar ao governador Sérgio Cabral as sugestões que forem estabelecidas. Além disso, o deputado ressaltou a importância de se debater o tema na Casa, que “tem a função de ser mediadora de conflitos”. “A conduta do policial deve servir como exemplo na conduta ética, no comportamento do dia a dia”, disse Melo. A comissão tem como vice-presidente o deputado Wagner Montes (PSD) e como relator o deputado Iranildo Campos (PSD), além dos deputados Coronel Jairo (PSC) e Bernardo Rossi (PMDB) como membros e do deputado Altineu Cortes (PR), como suplente.

Dupla é presa suspeita de se passar por policiais civis

terça-feira, 8 de outubro de 2013

FAÇA PARTE DESSA MUDANÇA !


Polícia indicia estudante que disse ter sofrido ameaças contra protestos

Na porta da delegacia após prestar queixa, Rodrigo mostrou sua blusa rasgada no sequestro-relâmpago
O delegado Fabio Barucke, titular da 18ª DP (Praça da Bandeira), indiciou, nesta terça-feira, o estudante e militante do PSOL Rodrigo Antônio D' Oliveira Graça, de 19 anos, pelo crime de denunciação caluniosa. Em 25 de julho deste ano, o estudante procurou a delegacia para registrar que tinha sido vítima de um sequestro. Em depoimento na época, ele contou que foi levado por quatro homens que estavam num Renault Sandero de cor branca quando passava a pé pela Rua Afonso Pena, na Tijuca.
O inquérito foi relatado nesta terça-feira ao Ministério Público. O crime de denunciação caluniosa prevê pena de dois a oito anos de detenção.
Rodrigo afirmou que ficou 40 minutos em poder do grupo. Ele contara com detalhes a suposta ameaça: “Você que é o Rodrigo, né? Manifestante e militante do PSOL, você tem que acabar com esse negócio de ir a manifestações, você e toda a sua corja. Você vai servir de exemplo para esses caras que estão aí”, referindo-se, de acordo com o estudante, aos outros manifestantes do PSOL.
O militante também esteve na delegacia, no dia 24 de julho, para denunciar um crime de ameaça, já que, segundo ele, no dia anterior, havia recebido ligações ameaçadores no telefone de casa e no celular, de um homem que ordenava que ele parasse de participar dos protestos.
Para iniciar as investigações, o delegado recolheu câmeras de segurança dos locais onde Rodrigo disse ter sido sequestrado e depois liberado. Em nenhuma das imagens, no entanto, aparece Rodrigo ou a suposta ação do grupo.
Segundo o delegado Barucke, investigadores também refizeram o trajeto em busca de testemunhas e não encontraram. As imagens, dos horários descritos por Rodrigo, foram solicitadas pela Polícia Civil à CET-Rio, na tentativa de identificar os criminosos.
O delegado também solicitou à Justiça a quebra de sigilo telefônico para obter os registros das chamadas de ameaças. Porém, em depoimento, o estudante reconheceu como sendo de amigos e parentes todos os números que aparecem na conta.


O coronel da Globo

REVISTA VEJA

domingo, 6 de outubro de 2013

MANIFESTANTE SE MASTURBA PARA PROVOCAR A POLÍCIA

Aconteceu durante greve de professores na Câmara de Vereadores do Rio.
 

Policial militar é morto com tiro no peito em UPP da Cidade de Deus

Sd Brazuna  lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus morreu após ser atingido por um tiro no peito, na noite deste domingo.
De acordo com a Polícia Militar, ele estava trabalhando na Avenida Miguel Salazar Mendes de Moraes, em Jacarepaguá, quando foi baleado. A área onde ocorreu o crime é próxima a vários apartamentos, mas não há informações de testemunhas.
O soldado foi socorrido para a Unidade de Pronto-Atendimento da própria comunidade, em estado gravíssimo. Contudo, ele não resistiu aos ferimentos e morreu, conforme a polícia.

Advogada diz que comando da PM não cumpre a Lei da Anistia

A advogada Daniela Corrêa Grégio Leite denunciou neste final de semana que o comando da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro ainda não está cumprindo a Lei Estadual da Anistia. Por isso, alguns agentes que foram expulsos na greve de fevereiro de 2012 ainda não conseguiram ser reintegrados à corporação.
Segundo Daniela, os policiais que ela conseguiu reintegrar à PMERJ foram por decisão judicial e não pelo decreto da anistia. Ele explicou que apenas o Corpo de Bombeiros vem acatando o decreto e reintegrando seus militares que foram expulsos durante a paralisação da categoria.
- Quase todos os policiais militares expulsos por causa da greve conseguiram ser reintegrados por decisão judicial. Conheço dois policiais que continuam excluídos, mas não são clientes meus. A PM está se mantendo em silêncio depois que a anistia foi publicada, e simplesmente não se manifestou quanto a esta questão, o que é um absurdo e uma injustiça - disse a advogada.
Daniele, que é especialista em processos disciplinares na esfera militar, disse que a presidente Dilma Rousseff (PT) concedeu anistia (perdão a eventuais punições aplicadas) a policias e bombeiros. Segundo ela, a anistia foi concedida por meio da Lei 12.843/13.
Na época, governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), também concedeu a anistia a PMs e bombeiros do estado após o decreto da Lei estadual nº 6.499\13. Ainda de acordo com ela, o Corpo de Bombeiros, em ato próprio, reintegrou seus militares expulsos em ato publicado no boletim nº 156, de 26 de agosto deste ano.
A advogada relembrou que alguns dos líderes do movimento chegaram a ficar presos no presídio Bangu I durante o movimento grevista, mesmos sendo militares com direito a prisão especial. Muitos deles - que reivindicavam melhores salários e condições de trabalho - foram submetidos a processo disciplinar e, ao final, foram expulsos das duas corporações.
A advogada de alguns policiais que foram expulsos conseguiu a reintegração de seus clientes. Após a liminar concedida pelo Juiz Flávio Pimentel, da 1ª Vara Cível de Volta Redonda, o precedente foi aberto e outros policiais conseguiram também decisões judiciais favoráveis.
- Após muita luta na Justiça e graças à intervenção de parlamentares, foi concedida pela presidente Dilma a anistia a policiais e bombeiros. O governador Sérgio Cabral trilhou o mesmo caminho e concedeu também anistia administrativa. A PM ainda não se manifestou sobre esse decreto e, por isso, alguns policiais continuam excluídos - lamentou Daniela.
Na tarde de sábado, o DIÁRIO DO VALE entrou em contado com a Coordenadoria de Comunicação Social do PM, no Rio, e foi informado que a assessoria de imprensa não dá expediente no fim de semana.


SERVIR E PROTEGER ...MESMO SEM RECEBER!


sábado, 5 de outubro de 2013

Policiais são presos sob acusação de torturar e matar Amarildo na Rocinha



O importante agora é manter a integridade da UPP Rocinha', diz secretário de Segurança 

O secretário de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, afirmou nesta sexta-feira (4) que "o importante agora é manter a integridade da UPP da Rocinha, que tem a aprovação da grande maioria dos moradores".
A declaração foi dada, em nota, pouco depois da prisão de dez policiais militares acusados de torturar e matar o pedreiro Amarildo de Souza, 43, morador da comunidade. A vítima depareceu no dia 14 de julho.
"O caso está nas mãos da Justiça, que definirá se os policiais são culpados ou inocentes. Quanto ao crime, houve empenho da Secretaria de Segurança, através da Divisão de Homicídios da Polícia Civil, que deu prioridade ao caso. Administrativamente, a PM tomará as providências que sempre toma, lembrando que constitucionalmente essas pessoas têm direito a ampla defesa, tanto administrativa quanto criminalmente", afirmou o secretário.
Os dez PMs denunciados à Justiça se apresentaram na noite desta sexta-feira (4) no quartel-general da corporação, na rua Evaristo da Veiga, no centro da capital fluminense. A informação é do advogado Marcos Espínola, que defende quatro acusados.
Entre os presos está o major Edson Santos, ex-comandante da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) Rocinha. Os demais são: Luiz Felipe de Medeiros, Jairo Ribas, Douglas Machado, Marlon Reis, Jorge Luiz Coelho, Victor Pereira da Silva, Anderson Maia, Wellington Tavares da Silva e Fábio Rocha.
Segundo Espínola, os PMs se apresentaram de forma espontânea depois que a Justiça decretou a prisão preventiva dos dez policiais, na tarde desta sexta. A decisão é do juízo da 35ª Vara Criminal da Capital. Ainda de acordo com o advogado, eles devem ser transferidos ainda hoje para o BEP (Batalhão Especial Prisional).



quinta-feira, 3 de outubro de 2013

AMARILDO: OPERAÇÃO "MÃE DINAH"

As polícias têm o hábito de dar nomes às suas investigações. Aqui no Rio de Janeiro, essa investigação sobre o caso Amarildo poderia muito bem chamar-se investigação “Mãe Dinah”, tamanho o uso exagerado da bola de cristal.

Ex-comandante para 2014

FONTE: VEJA
O ex-comandante da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Erir Ribeiro, recém-demitido por José Mariano Beltrame, filiou-se ao PSL ontem. Será candidato a deputado estadual ou federal em 2014.
Erir bateu de frente com Beltrame ao propor a anistia de policiais militares punidos administrativamente.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Promotor diz que Amarildo foi morto por ser fonte de informação do tráfico

O promotor do Ministério Público, Homero Freitas, responsável pelo caso do desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo Souza, disse, nesta quarta-feira (2), que ainda está analisando o inquérito e que pretende oferecer denúncia a Justiça até a próxima sexta-feira (4). Para o promotor, Amarildo foi morto enquanto policiais tentavam obter com ele informações sobre o tráfico na Rocinha, na Zona Sul do Rio. O advogado da família de Amarildo, João Tancredo, negou envolvimento do ajudante de pedreiro com traficantes.
“A conclusão fica mais lógica no sentido de que Amarildo era uma fonte grande de informações. Amarildo não era um traficante, mas prestava serviços pequenos para o tráfico. Era churrasqueiro do tráfico. Tem provas testemunhais dizendo que, inclusive, ele já tomou conta do paiol de armas do tráfico. O Amarildo com certeza poderia informar para a polícia onde teriam drogas em depósito e armas em depósito. Então, na verdade, ele foi levado do centro de controle para o contêiner da UPP pra prestar esse tipo de informação e nunca mais foi visto”, afirmou.
Segundo Homero Freitas, o ponto alto das investigações foram as provas técnicas, que mostram contradição entre o resultado da perícia e o depoimento dos policiais militares. O promotor disse que a perícia feita a partir das imagens de uma câmera de segurança comprovam que Amarildo não deixou a sede da UPP pela escadaria que leva a parte baixa da comunidade.
“Todo mundo que tinha que descer pela escada desceu, passou pela câmera. Desce muita gente nessas imagens, mas Amarildo, naquele período, naquele dia, nem depois passou por aquela escada. Ele pode ter saído da UPP pelo caminho que fosse, mas pela escada ele não passou”, disse o promotor.

Inquérito conclui que Amarildo foi submetido a choques elétricos ( Jornal EXTRA )

Amarildo de Souza foi submetido a choques elétricos e asfixiado com saco plástico. Segundo investigação da Divisão de Homicídios, que levou ao indiciamento de dez policiais militares pela morte do ajudante de pedreiro, Amarildo era epilético e não resistiu à sessão de tortura que ocorreu num dos contêineres da UPP. Ainda segundo o inquérito, o major Edson Santos e seus comandados pretendiam arrancar dele informações sobre a localização de armas e traficantes da parte baixa da favela, onde ele vivia com a família. Pelo menos, outros três moradores da comunidade denunciaram que foram torturados dentro da mesma unidade por policiais.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Caso Amarildo: Major e outros 9 PMs são indiciados

O inquérito da Divisão de Homicídios da polícia fluminense, enviado nesta terça-feira ao Ministério Público do Rio de Janeiro, indicia dez policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, incluindo o major Edson Santos, pelo desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza. 
Todos foram indiciados pelos crimes de tortura seguida de morte e ocultação de cadáver. Os policiais negam envolvimento no sumiço e dizem que liberaram Amarildo, no mesmo dia 14 de julho, depois de constatar que não havia qualquer mandado de prisão contra ele.  ​

PM é baleado em assalto e polícia faz incursão em favela, na Zona Oeste

Policiais do 14ºBPM (Bangu) fizeram uma incursão na Favela do 77, em Padre Miguel, na manhã desta terça-feira, depois que um policial foi baleado e teve seu carro roubado numa rua próxima à comunidade. Segundo os PMs, o sargento Magester, lotado no 4º BPM (São Cristóvão), foi abordado por bandidos e teve seu carro roubado na Rua Murundu. Ele está fora de perigo.
Dentro da favela, foi preso um menor de idade, de 17 anos, conhecido como JJ. Ele seria gerente da venda de drogas na favela. Junto com ele, foram encontrados aproximadamente 3 mil envelopes de drogas, sendo 1.256 de cocaína. Depois de indagado pelos policiais, JJ informou onde estava guardado o carro roubado, que foi recuperado.

PM encontra depósito de drogas em terreno da Clínca da Família, na Comunidade do Rola

Policiais Militares do Grupamento de Ações Táticas (GAT) e do Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) do 27º BPM (Santa Cruz) encontraram, na noite de segunda-feira (30), grande quantidade de drogas enterrada em um buraco no terreno da Clínica da Família, na Favela do Rola, na zona norte do Rio.
Em nota, a assessoria de imprensa da corporação informou que foram apreendidos 166 cápsulas de cocaína, duas bases carregadoras de rádio transmissor, baterias para rádio transmissor, um rádio transmissor, 24 munições calibre 7,62 x 39 mm, um carregador de fuzil, cerca de 850 papelotes de crack e vasto material para produção da droga.
Na mesma operação, a polícia também prendeu um marginal conhecido como "Canelão". A ocorrência foi encaminhada a 35ª DP.

Preso traficante mais procurado de São Gonçalo

 Após informações da Central Disque-Denúncia, um homem foi preso em um sítio no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio de Janeiro, na noite de segunda-feira (30). Ele é acusado de chefiar o tráfico de drogas no Complexo da Alma, em São Gonçalo, na Região Metropolitana.
De acordo com os militares, Levi da Cruz Rebello, conhecido como Levi da Alma, estava foragido e era apontado como um dos traficantes mais procurados de São Gonçalo. O criminoso tem duas passagens pela polícia e quatro mandados de prisão: dois por homicídio epor tráfico de drogas.
Segundo informações do Disque-Denúncia, que oferecia recompensa no valor de R$ 2 mil por informações que levassem a captura do traficante, a movimentação financeira da venda de drogas no Morro da Alma, rende cerca de R$ 20 mil.
Ainda de acordo com policiais do 31º BPM, Levi foi encaminhado para 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes), onde o caso foi registrado.

Improviso na PM

FOLHA DIRIGIDA – RJ 
A intenção do comando da Polícia Militar fluminense de reforçar o policiamento ostensivo com cerca de 2 mil policiais, a partir do próximo ano, é ótima notícia para a sociedade, ainda acuada pelo crime, O procedimento escolhido para isso é que está errado.
A corporação proporá ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, a substituição de policiais que trabalham internamente por temporários, ainda por cima selecionados sem concurso. Segundo o projeto, a escolha será por meio de "um concurso leve, de títulos", portanto, sem transparência.
Para piorar o quadro, entre os policiais que se pretende tirar dos serviços internos estão 348 auxiliares de enfermagem e odontológicos - além de técnicos de enfermagem e mecânicos setor também altamente desfalcado, pois seu último concurso ocorreu em 1998. Promessa de realizar outro foi feita no início do primeiro mandato do governador Sérgio Cabral, mas ainda não foi cumprida,
A PM alega que *um concurso específico para a Saúde vai demorar um ano", demonstrando falta de planejamento, pois houve tempo mais do que suficiente para selecionar e formar os novos servidores. Outra desculpa é que, 30 anos depois, o funcionário permanente vai para a reserva remunerada, como se isso não fosse rotina em todo o funcionalismo.
O governo estadual evita contratar estatutários, em várias áreas, sob falsas alegações. Isso ocorre, principalmente, na Educação e na Saúde, sem resultados positivos. Agora, planeja-se avanço contra a estabilidade também na segurança pública, ampliando-se a política do improviso e da precariedade.
Atividades permanentes, como os serviços internos da PM, têm de ser exercidas por servidores estáveis e, portanto, concursados. Se a PM tem pressa em reforçar o policiamento nas ruas, o que é louvável, que trate de agilizar as nomeações das concursadas à espera de convocação e a abertura da nova seleção. Além, claro, que exigir o retorno dos policiais a serviço de órgãos e pessoas, promessa sempre renovada, mas nunca cumprida.
O secretário Beltrame não pode endossar a proposta do comando da PM,
2294