quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Promotor diz que Amarildo foi morto por ser fonte de informação do tráfico

O promotor do Ministério Público, Homero Freitas, responsável pelo caso do desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo Souza, disse, nesta quarta-feira (2), que ainda está analisando o inquérito e que pretende oferecer denúncia a Justiça até a próxima sexta-feira (4). Para o promotor, Amarildo foi morto enquanto policiais tentavam obter com ele informações sobre o tráfico na Rocinha, na Zona Sul do Rio. O advogado da família de Amarildo, João Tancredo, negou envolvimento do ajudante de pedreiro com traficantes.
“A conclusão fica mais lógica no sentido de que Amarildo era uma fonte grande de informações. Amarildo não era um traficante, mas prestava serviços pequenos para o tráfico. Era churrasqueiro do tráfico. Tem provas testemunhais dizendo que, inclusive, ele já tomou conta do paiol de armas do tráfico. O Amarildo com certeza poderia informar para a polícia onde teriam drogas em depósito e armas em depósito. Então, na verdade, ele foi levado do centro de controle para o contêiner da UPP pra prestar esse tipo de informação e nunca mais foi visto”, afirmou.
Segundo Homero Freitas, o ponto alto das investigações foram as provas técnicas, que mostram contradição entre o resultado da perícia e o depoimento dos policiais militares. O promotor disse que a perícia feita a partir das imagens de uma câmera de segurança comprovam que Amarildo não deixou a sede da UPP pela escadaria que leva a parte baixa da comunidade.
“Todo mundo que tinha que descer pela escada desceu, passou pela câmera. Desce muita gente nessas imagens, mas Amarildo, naquele período, naquele dia, nem depois passou por aquela escada. Ele pode ter saído da UPP pelo caminho que fosse, mas pela escada ele não passou”, disse o promotor.

Inquérito conclui que Amarildo foi submetido a choques elétricos ( Jornal EXTRA )

Amarildo de Souza foi submetido a choques elétricos e asfixiado com saco plástico. Segundo investigação da Divisão de Homicídios, que levou ao indiciamento de dez policiais militares pela morte do ajudante de pedreiro, Amarildo era epilético e não resistiu à sessão de tortura que ocorreu num dos contêineres da UPP. Ainda segundo o inquérito, o major Edson Santos e seus comandados pretendiam arrancar dele informações sobre a localização de armas e traficantes da parte baixa da favela, onde ele vivia com a família. Pelo menos, outros três moradores da comunidade denunciaram que foram torturados dentro da mesma unidade por policiais.

9 comentários:

  1. Governo Sérgio Cabral desvaloriza os profissionais de Segurança Pública, pois ainda paga soldos inferiores ao salário mínimo vigente aos policiais militares com até 12 anos de serviços prestados (cabos e soldados), demonstrando com isso o seu descompromisso. O governador do Estado está perdendo uma excelente oportunidade de conquistar a tropa, pois está pagando salários indignos.

    ResponderExcluir
  2. se fizessem o serviço afeto a PM nada teria acontecido. enquanto querem investigar, a policia civil fica como a boazinha e nada faz, aliás, faz media com a população e com a midia, incriminando os PM sem provas concretas. onde estão o serviço reservado e corregedoria para levantar e esclarecer a verdade. agora para dar satisfações para a população joga-se tudo contra os PM.

    ResponderExcluir
  3. É sempre assim! Quem matou o crente com a bíblia? Quem matou Juan? quem matou a juíza Patrícia? quem matou Amarildo? E no final sempre a mesma resposta: PM

    Vão me desculpar, mas depois do vídeo abaixo, FLAGRANTE FORJADO nas manifestações fica até difícil de acreditar na polícia, no sentido quando dizem que foi ela que matou, muitos não estão duvidando mais. Chega ser patético e infantil a atuação da PM com um mundo de gente filmando, só para botar a culpa num inocente. Vejam o vídeo. Antes que briguem comigo, não generalizo.

    http://oglobo.globo.com/videos/t/o-globo-hd/v/policial-forja-flagrante-durante-protesto-no-centro-do-rio/2862943/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena que a voz de prisão dada por aquela professora (que foi chamada de advogada) não funcionou para o PINTO.

      Excluir
    2. É PMS, TINHA QUE SER DOIS OFICIAIS PARA SACANEAREM VOCÊS. UM MAJOR E UM TEN, NÃO GRAVEI SEUS NOMES MAS RAPIDINHO VÃO SABER. SE FOSSEM PRAÇAS JÁ ESTARIA PRESO. E COM ISSO O POVO VÃO CONTRA VOCÊS. POIS GENERALIZAM DEPOIS QUEREM QUE A POPULAÇÃO OS APOIEM. VAI VENDO

      Excluir
    3. É MAJOR, TINHA QUE SER VOCÊ DE NOVO. APESAR DO NOME "PINTO", TINHA QUE SER VACILÃO. SACANEANDO OS PMS SERÁ QUE SEU PRIMEIRO NOME, NÃO É "BOTELHO" TEN ANDRADE OS PRAÇAS, AGRADECEM A VOCÊS, POR NOS RIDICULARIZAR.

      Excluir
  4. Coronel Simões não explica compra de cobertura e fica desmoralizado no Corpo de Bombeiros
    Secretário da Defesa Civil e Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões
    Secretário da Defesa Civil e Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões


    Mesmo o nosso blog tendo oferecido espaço ao coronel Simões, secretário estadual da Defesa Civil, para explicar a compra de sua cobertura na Barra, ele não o fez. Os secretários de Cabral são assim, seguem o exemplo do chefe, acham que podem ignorar o povo e não dar explicações sobre nada. Sérgio Côrtes nunca explicou a cobertura comprada na Lagoa; Regis Fichtner nunca explicou a rede de farmácias adquirida depois que entrou para o governo; a própria Primeira-Dama não explica os contratos do seu escritório de advocacia com as empresas concessionárias do Estado. Ou seja, no governo Cabral vale a máxima: "o exemplo vem de cima", neste caso, o mau exemplo.


    Em tempo: É grande a pressão dos oficiais do Corpo de Bombeiros para que o coronel Simões seja afastado. Mas afastá-lo só por causa da cobertura seria uma hipocrisia de Cabral, afinal, o governador é o primeiro a não explicar como conseguiu comprar sem ter renda para tal, a mansão de Mangaratiba e o apartamento do Leblon. E perto de Sérgio Côrtes, Pezão, Braguinha, secretário de Obras e outros amigos do governador, integrantes da Gangue dos Guardanapos, o coronel Simões chega a parecer um santo.

    Não deixem de ver abaixo, as duas postagens sobre a compra da cobertura do coronel Sérgio Simões. blog do garotinho.

    ResponderExcluir
  5. Esse Major só faz merda, deveriam tirar esse cara das ruas e encosta-lo em algum canto, não vai fazer nenhuma falta a corporação, não precisa nem vir ao quartel pode ficar em casa recebendo sem trabalhar. Majosinho de bosta.

    ResponderExcluir
  6. É MAJOR, CABEÇA QUE NÃO PENSA O PINTO PADECE. FOI SÓ A GLOBO PEGAR NO PINTO QUE ELE FICOU MOLE, E OS CORONÉIS, ESTÃO MALHANDO ELE NOS TELE JORNAIS.

    ResponderExcluir