sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Pacientes de hospital da PM enfrentam fila de madrugada para ser atendidos

Além da falta de segurança denunciada na edição de segunda-feira do DIA , nos hospitais da Polícia Militar no Rio e em Niterói também há carência de componentes básicos para o atendimento à saúde dos pacientes policiais e seus parentes. Na unidade do Estácio, três elevadores não funcionavam semana passada, falta água em banheiros, roupa de cama, médicos e enfermeiros, segundo PMs e funcionários. “Tive que trazer lençóis de casa”, comentou a acompanhante de um policial internado na enfermaria. Em Niterói, é necessário ficar na fila durante a madrugada para conseguir senha. De acordo com pacientes, a máquina de Raio-X está com problema e também não existe aparelho para tomografia computadorizada. “O hospital está sucateado em Niterói. Mandam a gente para o Rio. Mas lá só é possível fazer determinados exames depois de um ou dois meses tentando”, disse uma paciente. 

Pacientes fazem fila de madrugada na unidade de Niterói para conseguir senha de atendimento às 6h 
Por rede social sem restrição de acesso, o policial Fábio Nogueira deu uma sugestão: “Plano de Saúde para a tropa já!” Ele diz que vai tentar tirar o desconto hospitalar do contracheque (os policiais são descontados em folha para ter direito ao hospital). “A última vez que fui, fiquei duas horas esperando. Quando procurei a médica, ela estava numa rodinha conversando e rindo”, escreveu. 
O presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, Vanderlei Ribeiro, conta que os oficiais têm tratamento diferente. “Vê se você encontra algum coronel nas filas, tendo que esperar semanas para fazer exames... Eles ligam e passam na frente de todo mundo. Prejudica o atendimento dos outros. Todo mundo sabe e ninguém faz nada. Estamos esperando que em janeiro o novo comando coloque a casa em ordem”, disse. 
Também pelas redes sociais, uma policial identificada como Adriana Alves desabafou: “O que esperar desse hospital? Estou com uma fratura grave no braço desde abril devido a um acidente de carro quando ia assumir o serviço. Fizeram uma cirurgia horrorosa e meu braço ficou todo torto, a fratura está pior do que antes”. 
Em outubro, O DIA ( LEIA )denunciou fraude em compras hospitalares e esquema de corrupção no setor de Saúde da corporação, principalmente no que tange aos hospitais de Niterói e do Estácio. O rombo seria de mais de R$ 16 milhões, incluindo compra de 75 mil litros de ácido peracético — usado para esterilizar material cirúrgico —, que nunca foram entregues, como revelou o blog ‘Justiça e Cidadania’. Quatro coronéis que estavam à frente das unidades e da Diretoria Geral de Saúde foram afastados. 

"Dei meu sangue à toa pela PMERJ. Abandonado depois de 20 anos"
Há 19 anos na Polícia Militar, o sargento Dário Alberto de Melo Etchart, lotado no 24ºBPM é um dos muitos exemplos do mau atendimento. Com suspeita de inflamação do nervo ciático e hérnia de disco, ele conseguiu internação no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, no dia 11 de dezembro. No entanto, contou que aguardou por 48 horas pelo atendimento médico. Desesperado, saiu do quarto e foi para a parte de baixo do hospital à espera de alguém que se sensibilizasse com o seu caso.
       Sargento Dário deitou em um banco do hospital para tentar socorro

Sargento Dário deitou em um banco do hospital para tentar socorro Foto: arquivo pessoal “O que adiantou ser um dos mais condecorados policiais, se na hora da doença me tratam como um cachorro? Tô sozinho nessa luta, morrendo de dor há um mês”, desabafou. Morador de Seropédica, com muitas dores e dificuldade para dirigir, ele não conseguiu sequer que fosse autorizado que um carro da corporação o conduzisse ao HCPM, no Estácio. “Dei meu sangue à toa pela PMERJ. Tô com dor e deprimido. Me sentindo abandonado depois de 20 anos de puro combate”, relatou. Agora ele aguarda a consulta com o neurocirurgião, que foi marcada apenas para janeiro.

12 comentários:

  1. Vamos todos suspender o fuspom já

    ResponderExcluir
  2. o ideal seria todos eu disse TODOS os ppmm retirassem esse monstruoso desconto do fuspom de seus contra cheques só assim para ACABAR de vez com a FARRA da cachorrada no dinheiro do próprio policial de caordo com o ocorrido nos dois hospitas . quem sabe assim o atendimento não voltaria ao normal,portanto, CONCLAMO A TODOS OS PPMM RETIREM COM U R G E N C I A O DESCONTO DO FUSPOM DE SEUS CONTRA CHEQUES - POR FAVOR!

    ResponderExcluir
  3. Serve de exemplo pra esses puxa sacos de oficial que tem por ai,quando ficar dodói vamos ver se eles vão pagar medico e exame particular com o dinheiro que vocês aplicam nas mãos deles

    ResponderExcluir
  4. Vou fazer requerimento solicitando o cancelamento do FUNDO DE SAÚDE (vou tirar do meu contracheque),

    ResponderExcluir
  5. Tenho um amigo internado no 7º andar do HCPM e está um caso de calamidade, Falta tudo todo tipo de material, álcool gel, enfermeiras, técnicos, médicos, as roupas sujas e infectadas ficam horas as vezes dias jogadas no corredor. Os médicos depois do almoço simplesmente SOMEM, DESAPARECEM e ninguém faz nada o diretor é omisso, o sub-diretor idem. ALÔ MINISTÉRIO PÚBLICO DEEM DIREITOS HUMANOS PARA ESSES POLICIAIS INTERNADOS QUE SOFREM COM TOTAL DESCASO DOS GESTORES DA PM.

    ResponderExcluir
  6. Tomem VERGONHA NA CARA, e cancelem este desconto,este FUNDO DE SAÚDE não passa de um CAIXA 2 DO ESTADO e de OFICIAIS BANDIDOS,já cancelei o meu faz tempo,fiz um plano da UNIMED num convênio,pasmem,em parceria da UNIMED,com próprio Governo do Estado,e sou muito bem atendido,pago o plano de saúde com 40% de desconto,além da UNIMED existem outras operadoras de planos de saúde com o referido desconto,a Empresa é a ALIANÇA ADMINISTRADORA DE PLANOS DE SAÚDE.
    O FUNDO DE SAÚDE da PMERJ foi declarado INCONSTITUCIONAL pelo TJ/RJ,mesmo se alguém retirar o desconto e não fizer um plano de saúde,o HCPM tem que atender o policial,se não o fizer,só ir no Oficial de dia do HCPM ,informar o ocorrido e se deslocar até a Delegacia Policial da área,registrar como OMISSÃO DE SOCORRO,ABUSO DE AUTORIDADE,e ainda configura crime de PREVARICAÇÃO .

    ResponderExcluir
  7. O material foi desviado pelos crápulas estrelados, que terão como punição a reforma administrativa ,sem devolução daquilo que foi desviado. Só teremos solução se o MP colocar as mãos nessas apurações.

    ResponderExcluir
  8. Mais uma vez HCPM vão tirar os policiais de suas funções do hospital e serão empregado em serviços extras em outros batalhões sendo q tem setor do hospital fechado por falta de efetivo como pode isso gente por favor ajude pois não aguento mais trabalho escravo.

    ResponderExcluir
  9. EM JANEIRO EU VOU CANCELAR O FUNDO DE SAÚDE,COM R$119,30 EU REFORÇO O PLANO DE SAÚDE DA MINHA ESPOSA....OFICIAIS BANDIDOS

    ResponderExcluir
  10. Fico triste em ver como a PMERJ trata sua TROPA...conheço animais que são tratados melhor que os policiais.Uma profissão tão nobre entretanto com tão pouco respaldo seja do Governo ou do CMT GERAL.Serà que um dia vai melhora?

    ResponderExcluir
  11. Sinto muito em informar, mas o policial desta matéria veio a falecer.De quem será a culpa agora ?

    ResponderExcluir
  12. ESTE COLEGA ACABOU DE FALECER NUM ACIDENTE DE CARRO EM ITAGUAÍ...

    ResponderExcluir