quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

PM isenta oficial preso por acusação de envolvimento com o tráfico

Corregedoria da corporação não vê indícios de crime. Ex-comandante do quartel da Ilha responde por roubo e extorsão

Preso e réu em processo por roubo qualificado e extorsão mediante sequestro na Justiça, onde é acusado de envolvimento com o tráfico de drogas, o tenente-coronel Dayzer Corpas Maciel, ex-comandante do 17º BPM (Ilha do Governador), teve arquivado o Inquérito Policial Militar (IPM) conduzido pela Corregedoria da corporação — o órgão investigava o envolvimento dele e de subordinados com traficantes e milicianos do bairro. Dayzer Corpas negou acusações.
A decisão de arquivar o processo administrativo, porém, poderá ser revista, segundo informou em nota a PM, pois as conclusões do IPM serão remetidas ao Ministério Público (MP), que poderá contestá-las. Corpas e mais 15 subordinados respondem na Justiça Militar após serem denunciados pelo MP tendo como base a Operação Ave de Rapina, da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP. Eles foram presos em outubro e, há uma semana, a juíza do caso, Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, negou a revogação da prisão preventiva aos militares, conforme pedia a defesa deles. Na argumentação, a magistrada escreveu que: ‘...a prematura soltura dos réus, perpetradores de delitos gravíssimos, oferece sério risco à instrução processual’. 
De acordo com as investigações, os PMs participaram do sequestro de traficantes na Ilha do Governador em março, um ano depois em que o IPM arquivado agora foi instaurado. Corpas também foi acusado de improbidade administrativa, por comprar material de construção para reformas no batalhão da Ilha em loja de familiares. No momento da prisão, há dois meses, Corpas foi pego em casa com R$ 14 mil, além de joias e notas fiscais das compras suspeitas. No IPM, Corpas rechaçou as acusações. Em defesa do arquivamento, a corporação informou que os fatos que o ensejaram o IPM são diversos do que foi investigado pelo MP e pela Inteligência da Secretaria de Segurança.

10 comentários:

  1. Se é um praça hein, estaria condenado a morte mesmo não sendo permitida em tempo de paz.

    ResponderExcluir
  2. Por isso a policia nao anda pra frente. Comandante ladrao inocentado oficiais assassinos no cfap onde mataram o recruta inocentados. Coronel principe vai responder apenas um drd pq um fuzil dele foi parar na mao de traficantes e ninguem sabia. Tire vc as conclusões creio que esta tal de comissao da verdade esta certa A PM TEM QUE ACABAR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que tem que acabar é o oficialato, ninguém em sua sanidade normal dá credito algum a essa palhaçada de comissão da verdade, está mais para comissão da mentira e da cachorrada...

      Excluir
  3. Kkkkkkkkkkk
    Alguma novidade ?

    ResponderExcluir
  4. A PMERJ É DELES ! ! !11 de dezembro de 2014 09:48

    ENQUANTO AS "INVESTIGAÇÕES" CONTINUAREM SENDO REALIZADAS PELOS PRÓPRIOS OFICIAIS DA PMERJ, AS CONCLUSÕES SERÃO SEMPRE DESSE TIPO, OU SEJA, OS OFICIAIS "INVESTIGADOS" SERÃO SEMPRE JUSTIFICADOS AO FIM DOS PROCEDIMENTOS.
    NÃO ADIANTA, POIS O CORPORATIVISMO ENTRE AS ESTRELAS EXCEDE TODA E QUALQUER LINHA DE HONESTIDADE, DE VERGONHA, E AINDA ACABAM COMPACTUANDO E ESTIMULANDO A IMPUNIDADE PARA O COMETIMENTO DE DIVERSOS TIPOS DE CRIME.
    ESSA É A NOSSA PMERJ!

    ResponderExcluir
  5. A COMISSÃO DA VERDADE JÁ ESTÁ ELABORADA E POR MENOS DE 10 ANOS ESTA PM VAI PARA O RALO...

    ResponderExcluir
  6. Se a justiça não alcança esses homens, então só a vingança divina resolverá.

    ResponderExcluir
  7. Alguém esperava algo diferente? o pior é ter que entrar aqui e ler supostos "sub" pedindo que a promoção por tempo coisa que eles mesmos tiraram proveito acabe, ou reclamando que os sgt do concurso não deveriam ir a sub, parem com essa porra, enquanto vocês praças brigam entre si os ofc fazem vocês de capacho literalmente limpam o chão com vocês, parem de fazer questão de merda de "condição" e comecem a brigar por melhorias para todos, deixem de ser idiotas, se melhorar pra um melhora para todo mundo...
    Ass: um ofc qualquer...

    ResponderExcluir
  8. Que inocência, publicar um parecer aonde a própria cúpula da PMERJ e suspeita de se favorecer também com esquema de propina

    ResponderExcluir
  9. Esse é o corporativismo entre vermes!

    ResponderExcluir