terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Reunião da Comissão de DH discute condições de trabalho de PMs e bombeiros

Nesta segunda-feira, 22 de dezembro, a Comissão de Defesa da Liberdade de Imprensa e Direitos Humanos da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) realizou uma reunião extraordinária, com a presença bombeiros e policiais militares do Rio de Janeiro, para discutir as condições de trabalho dos policiais. A iniciativa da Comissão foi a de promover uma “ponte” entre a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e os agentes. O encontro, coordenado pelo jornalista Daniel Mazola, presidente da Comissão de Direitos Humanos da ABI, contou com a participação do diretor do Departamento Nacional de Direitos Humanos Bruno Renato Nascimento Teixeira, do deputado estadual eleito pelo Rio de Janeiro cabo Daciolo, do diretor administrativo da ABI Orpheu dos Santos Salles, além de oficiais e coronéis do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. 
Entre a pauta de reivindicações, esteve a redução da escala de trabalho, considerada excessiva pelos agentes, e mais condições de segurança para os policiais militares que atuam nas ruas.
Fonte: ABI


Escalas, pedidos de reforma, distâncias absurdas do lar, lotações perigosas, sem falar da política de gratificações. O Ouvidor dos Direitos Humanos da Presidência da República Dr. Bruno Renato anota os problemas e buscará as soluções.

O Diretor do Departamento de Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (centro), Bruno Renato Nascimento Teixeira conversando e ouvindo os depoimentos dos policiais da UPP Nova Brasília, no Complexo do Alemão. O Ouvidor de Direitos Humanos da Presidência da República, Dr Bruno Renato, pôde sair do Complexo do Alemão com depoimentos reais sobre a escala de serviço, a questão da saúde da Corporação e as lutas por licenças, reformas por invalidez, além de outros direitos e demandas, treinamentos inadequados e áreas de lotação (a centenas de quilômetros da sua residência, ou na sua própria comunidade). Leia a reportagem toda na TRIBUNA DA IMPRENSA

13 comentários:

  1. O Governo do Estado do Rio de Janeiro usa e abusa do Policial Militar. O PM do Rio arrisca a vida quase de graça! O salário dos Soldados PM está tão baixo que chega a ser um desrespeito às suas famílias. Falta muito para o PM do Rio ter um salário digno! Os PMs do Rio enfrentam o perigo para proteger a sociedade, mas as suas famílias passam necessidades. O salário líquido de um Soldado da PMERJ é insuficiente para suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS dos Policiais Militares, previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988 (moradia, alimentação, educação, saúde,
    lazer, vestuário, higiene e transporte), de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o que é inaceitável. O Governo do Estado tem que atender pelo menos o que está previsto na Carta Magna! O descumprimento do referido preceito constitucional demonstra descaso do Governador do Rio com os Profissionais de Segurança Pública. Vale lembrar que Gratificação não é salário!

    O Salário Mínimo Necessário divulgado pelo D.I.E.E.S.E. em Maio de 2014 foi estimado em R$ 3.079,31 (três mil e setenta e nove reais e trinta e um centavos).

    "Como uma sociedade vai garantir a paz, a segurança pública e a justiça criminal com policiais envolvidos em jornadas estressantes e perigosas em ambientes com armas de guerra e poder financeiro corruptor, sem poder conviver com a famílias os momentos de folga e lazer, necessários à sua saúde mental, boas condições técnicas e acertadas decisões de inopino? A saúde emocional, psíquica, física e financeira dos policiais brasileiros deveria ser prioridade na atenção dos poderes governantes e da sociedade, já que são estes homens e mulheres que fazem a primeira linha de defesa contra o crime e contra a violência na garantia de direitos." (BENGOCHEA)

    OS POLICIAIS MILITARES PRECISAM RECEBER UM SALÁRIO COMPATÍVEL COM A RESPONSABILIDADE E A IMPORTÂNCIA DAS FUNÇÕES QUE EXERCEM. SÓ ASSIM OS GOVERNOS ESTADUAIS OFERECERÃO QUALIDADE NOS SERVIÇOS PRESTADOS. A SEGURANÇA PÚBLICA É UM SERVIÇO ESSENCIAL! A POLÍCIA MILITAR DO ESTADO RIO DE JANEIRO PRECISA LUTAR PELA VALORIZAÇÃO DE SUA TROPA, NÃO PODE PERMITIR QUE O SOLDO DO SOLDADO FIQUE ABAIXO DO SALÁRIO MÍNIMO VIGENTE.

    Com os reajustes concedidos em Brasília, ao final de 2016 um Soldado da PMDF receberá R$ 7.190,98, e esse valor não inclui nenhum anuênio. É um absurdo a diferença de salário de dois órgãos públicos que fazem os mesmos serviços (PMERJ e PMDF)! Em respeito ao que determina a nossa Carta Magna, promulgada em 1988, um Soldado da PMERJ não deveria ganhar menos de R$ 7.190,98. Esse deveria ser o piso da categoria em todo o país! As famílias dos Policiais Militares do RJ estão passando necessidades, o que é inaceitável, pois eles prestam um serviço público essencial.

    O salário do Policial Militar do Estado do Rio de Janeiro é uma ofensa à Constituição Federal de 1988, uma verdadeira afronta ao Inciso IV do Artigo 7° da nossa Carta Magna, lembrando que GRATIFICAÇÃO NÃO É SALÁRIO!! Os soldos de Cabos e Soldados da PMERJ estão abaixo do salário mínimo, o que é inadmissível!

    ResponderExcluir
  2. ------------------------------POLIÇADA PAREM DE RECLAMAR E SE JUNTEM COM BOMBEIROS PARA LUTAR PELOS SEUS DIREITOS VAMOS LAGAR A FLOUCHURA SEUS PARASITAS OSTENTADORES VAMOS DE SER SOMBRAS CAREGADO PELOS BOMBAS CHEGA DE SER ESCRAVOS DO GOVERNADOR VIVENO DE GRATIFICAÇOES DE MISERIAS PARTICIPE MAIS DAS REUNIAO DO SOSBOMBEIRO X SOSPMERJ....CHEGA DE DE ENVERGONHAR SUAS FAMILIA SEUS COVARDE PARA FAZER MERDA NA FOLGA E DE SERVIÇO SAO BOM ....PARA LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS SAO CAGOES E VASO DE BANHEIROS .....FICAM COM MEDINHOS DE CORONEIS E DA P2 ..E DO GOVERNO....ACORDAM POLIÇADAS.....JUNTOSSOMOSFORTESPMERJ XXXXCBMERJ.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O PM NÃO TEM A FOLGA QUE TEM OS BMs, EU QUERO VER SE TIVESSEM O TEMPO DISPONÍVEL DO PM, SE IRIAM TER ESSA DISPOSIÇÃO TODA, É UMA CAMBADA DE HIPÓCRITAS, QUE FICAM FALANDO MAL DO PM, MAS TEM INVEJA, POIS INDEPENDENTE DE TUDO ISSO NÓS NÃO NOS VENDEMOS A POLÍTICOS SAFADOS PARA AUCANÇARMOS NOSSO OBJETIVOS.

      Excluir
  3. Escala de 24h x 72h na PMERJ já!

    ResponderExcluir
  4. Pagar bem é fundamental para que tenhamos, na área de segurança pública, profissionais qualificados.

    Nos concursos da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), poderiam ser exigidos o Bacharelado em Ciências Jurídicas (Direito) para o CFO (Curso de Formação de Oficiais) e qualquer diploma de Curso Superior para o CFSd (Curso de Formação de Soldados).

    O piso salarial da categoria (Militares Estaduais) deveria ser de, no mínimo, R$ 6.000,00 (seis mil reais) mensais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PORTA ÚNICA! ENTRA SOLDADO E SAI CORONEL!!! CHEGA DE MAMATA DE ESFO, ONDE O BEBÊ QUE NÃO SABE NADA MANDA NO VOVÔ QUE SABE TUDO.

      Excluir
    2. Concordo plenamente contigo! Os competentes chegarão ao Oficialato com a experiência que os atuais Oficiais PM não têm. Não há porque alguém ingressar na PMERJ para exercer cargos de Comando sem antes adquirir experiência na base da pirâmide, exercendo as funções de Soldado, Cabo, Sargento e Subtenente.

      Excluir
  5. O número de policiais mortos no Brasil é alarmante: uma afronta!

    https://www.youtube.com/watch?v=Hy2SnL5RUcY

    A PRESIDENTE DILMA ROUSSEF ESTÁ DO LADO DE QUEM???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E AINDA PERGUNTA? É SÓ OLHAR O PASSADO DELA.

      Excluir
    2. DA POLÍCIA É QUE NÃO É.

      Excluir
  6. Mudanças necessárias e urgentes:

    * REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL PARA 14 ANOS, COMO É NO PARAGUAI;
    * ALGUNS BENEFÍCIOS, COMO SAÍDA TEMPORÁRIA E LIBERDADE CONDICIONAL, PRECISAM SER EXTINTOS DO CODIGO PENAL BRASILEIRO.

    A impunidade incentiva o criminoso a praticar novamente os mesmos crimes (é a chamada REINCIDÊNCIA).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FALOU TUDO. O NEGÓCIO NÃO É FEITO PARA FUNCIONAR.

      Excluir
  7. Grande Daciolo, líder das manifestações contra o governo do estado conseguindo as antecipações dos aumentos, a redução do interstício para a PM e BM, o auxílio transporte e gratificação para os bombeiros

    ResponderExcluir