terça-feira, 21 de abril de 2015

MP vai entrar com ação contra juíza que liberou menores infratores no Rio


O Ministério Público do Rio de Janeiro critica a decisão do desembargador Siro Darlan, chefe da coordenadoria das Varas da Infância e da Juventude e da juíza Cristiana Cordeiro, que decidiram reavaliar as medidas socioeducativas de menores infratores, recém liberados dos institutos onde estavam internados. Segundo o Ministério Público, os mutirões de reavaliação das medidas, iniciados no mês passado, estão trazendo de volta às ruas adolescentes e jovens adultos que cometeram crimes graves. O MP informou que vai entrar com uma ação contra a juíza que decidiu libertar os menores ou reduzir a permanência deles nas instituições.
De acordo com o MP, o Tribunal de Justiça deveria obrigar o estado a conseguir mais vagas para os menores. Os procuradores afirmam  que os mutirões têm o objetivo apenas de esvaziar os institutos educacionais. Segundo os procuradores, em menos de um mês, dezenas de jovens que cometeram crimes graves tiveram as medidas socioeducativas extintas ou reduzidas a liberdade assistida.
" Liberar adolescentes que  não estão socializados isso traz um risco enorme para a sociedade e para o adolescente. Essa liberação tem que ser feita com cuidado levando em consideração o estágio de ressocialização do adolescente, não pode ser de forma impensada ou indiscriminada", disse procuradora de Justiça, Flávia Ferré.
Procuradores da infância e juventude estão estudando casos de menores infratores que foram liberados recentemente. Eles relataram o exemplo de um adolescente que estuprou a bisavó, em 2012, foi internado, e em janeiro deste ano foi acusado de abusar sexualmente de um colega. Ele ganhou liberdade assistida em abril, porque a equipe técnica da instituição avaliou que nas duas situações o adolescentes teve um surto por causa do abuso de drogas.
A magistrada Cristiana Cordeiro disse que é crime deixar adolescentes internados indevidamente e em situação desumana. A juíza afirmou  também que as decisões estão pautadas por relatórios de profissionais que ficam dentro das unidades socioeducativas analisando a situação de cada adolescente.
Com amparo da lei
O desembargador Siro Darlan, também afirma que as decisões de liberar menores infratores tem o amparo da lei. Ele disse que se o Ministério Público não concorda com as decisões, deve recorrer pelos canais legais. "A juíza está fazendo tudo de acordo com a lei. O MP pode se resignar através dos processos legais. Existem recursos para as decisões da juíza e compete ao Ministério Público ou a defesa se estiverem insatisfeitos usarem dos metodos legais", afirmou. Siro Darlan disse ainda que apóia as decisões da juíza Cristiana Cordeiro e que os mutirões vão continuar.

7 comentários:

  1. Basicamente essa dupla patética liberou da jaula vários lobos prontos pra atacar e matar a população de bem.
    Chega a ser engraçado a desculpa de super lotação, quando na verdade a maioria desses vermes dos DIREITOS HUMANOS E PT não entendem que prisão aqui no Brasil não vai reeducar nenhum marginal, prisão aqui serve para PUNIR. Então não importa se tem 100 marginais numa cela que cabia 10, eles precisam de tal PUNIÇÃO.

    A POPULAÇÃO PRECISA DAR UM BASTA NESSA POLITICAGEM E PODRIDÃO DOS PODERES ESTATAIS BRASILEIROS QUE PASSAM A MÃO NA CABEÇA DOS DELINQUENTES !

    CHEGA DA POPULAÇÃO APOIAR ESSES VAGABUNDOS !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ESSES MAUS ELEMENTOS, DEVERIAM CUMPRIR AS PENAS, RELATIVAS AOS ATOS DESSES QUE FOREM SOLTOS POR DECISÕES TOMADAS POR ELES, POIS JÁ QUE PASSAM A MÃO NA CABEÇA DESSES MARGINAIS, NADA MAIS JUSTO, QUE PAGUEM POR ELES.

      Excluir
  2. Morando em condomínios de luxo e com segurança fornecida pelo estado é mole ser bom. Olhar o meliante de longe e dizer que é vitima da sociedade é pura imbecilidade. Quem fala essas bobagens pensa que é de Marte, não consegue entender que é ele próprio um membro "opressor" da sociedade. Se é um membro da sociedade então é uma vitima da "vitima da sociedade", não esta protegido.

    ResponderExcluir
  3. "Quem poupa o lobo sacrifica a ovelha". Vemos lobos com Diplomas e Togas,rufiões,meretrizes e pederastas travestidos de cordeiros, protegendo predadores e indivíduos desprovidos de caráter. Protegem as suas imagens que refletidas vieram a tomar forma no mundo real. Pobre da vitima das vitimas, que não tem ouvidos a ouvi-las quando clamam por justiça; pois o injusto torna-se o certo e certo torna-se o injusto.

    ResponderExcluir
  4. Esse senhor já está passando dos limites na sua repugnância contra os órgãos de segurança e sua boa vontade para com sementes do mal, chega a dar nojo desse infeliz

    ResponderExcluir
  5. Oh Siro Darlan! O senhor é um ótimo juiz (desembargador).

    É o desejo de vários servidores públicos (analistas e técnicos judiciários) que o senhor seja o presidente do Tribunal de Justiça, mas às vezes eu penso que o senhor é muito garantista em sua decisões.

    MP meu respeito. Dentro da lei, processe e represente quem mereça!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. É por isso que temem uma intervenção militar, pois se houvesse, esses defensores de bandidos seriam os primeiros a serem presos, é um absurdo o que esse Ciro Darlan faz, defende com unhas e dentes esses menores assassinos, deveria pagar a conta deles para com a sociedade, é muito fácil defender alguém que não lhe traz nenhum perigo, mas leva morte aos outros.

    ResponderExcluir