quarta-feira, 5 de agosto de 2015

MP denuncia ex-oficial de Comando de Operações da PM


O Ministério Público (MP) do Rio ofereceu denúncia nesta terça-feira (4) contra o ex-comandante do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira, pelo crime de lavagem de dinheiro.

Após denúncia do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP, agentes da Subsecretaria de Inteligência (SSINTE) da Secretaria de Estado de Segurança e da Corregedoria da Policia Militar cumpriram 10 mandados de busca e apreensão em sete endereçõs do Rio, na "Operação Profilaxia".

Mãe e irmã denunciadas
Além de Fontenelle, preso na Operação Amigos S.A, foram denunciados também o ex-subcomandante do 14º BPM (Bangu), major Carlos Alexandre de Jesus Lucas; o ex-chefe da P2 do 14º BPM, capitão Walter Colchone Netto; o ex-coordenador operacional do 14º BPM, major Edson Alexandre Pinto de Góes; e as advogadas Maria Mércia Fontenelle de Oliveira e Maria Paula Fontenelle de Oliveira, respectivamente mãe e irmã do coronel Fontenelle.

De acordo com a denúncia, o coronel Fontenelle é o real proprietário de dois apartamentos registrados em nomes de terceiros e de uma casa em área nobre de Búzios, na Região dos Lagos. O primeiro apartamento, localizado no Grajaú, foi registrado no nome da irmã, Maria Paula, com 200 metros quadrados, avaliado em R$ 995 mil; o segundo, uma cobertura em Jacarepaguá, registrado nos nomes da mãe, do major Lucas e do capitão Colchone, no valor de R$ 750 mil, tem 300 metros quadrados.  As escrituras dos dois apartamentos foram feitas na mesma data, à época em que os oficiais atuavam no 14° BPM.  Além dos dois imóveis, Fontenelle também adquiriu no mesmo período um veículo Toyota Corolla.

No curso das investigações, R$ 287,6 mil em espécie foram apreendidos na residência do major Edson. O dinheiro estava acondicionado em sacos plásticos, em maços de R$ 5 mil, e escondido no interior de um armário. Também foram encontrados 400 euros, joias em ouro e um bilhete manuscrito, que demonstrava uma divisão de quantias em dinheiro entre coronel Alexandre, major Edson e capitão Colchone.

Ainda segundo a denúncia, Fontenelle incorreu no crime de lavagem de dinheiro três vezes e pode pegar pena de reclusão entre três e dez anos, por cada incidência, mais multa.

Também foram encaminhadas cópias dos autos para a Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva, para que se apure crime de improbidade administrativa por incompatibilidade patrimonial.

PMs soltos
A Operação Amigos S.A. foi deflagrada no dia 15 de setembro de 2014. Foram denunciados pelo crime de associação criminosa armada 26 policiais militares do 14° BPM, dentre eles, seis oficiais que integraram o Estado-Maior do batalhão. Um mototaxista que fazia parte do esquema de arrecadação de propina também foi preso. A quadrilha exigia pagamento de propina de comerciantes, mototaxistas, motoristas e cooperativas de vans, além de empresas transportadoras de cargas na área do batalhão. O processo tramita na 1ª Vara Criminal de Bangu.

Em dezembro, após 42 policiais serem presos entre setembro e outubro, 20 deles foram soltos, beneficiados por um habeas corpus. Fontenelle foi um dos beneficiados, juntamente com o ex-comandante do o 17ª BPM (Ilha do Governador), Dayzer Corpas Maciel.

13 comentários:

  1. Seria importante o Secretário de Estado de Segurança, senhor José Mariano Benincá Beltrame, e o Comandante-Geral da PMERJ, coronel Alberto Pinheiro Neto, se pronunciarem sobre essa gravíssima denúncia do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro contra OFICIAIS SUPERIORES da Corporação pelo crime de lavagem de dinheiro! CORRUPÇÃO NO OFICIALATO É MUITO MAIS GRAVE E REQUER PUNIÇÕES EXEMPLARES!

    ResponderExcluir
  2. Agora é com o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. CORRUPÇÃO NO OFICIALATO É MUITO GRAVE! Todos os Oficiais envolvidos devem ser punidos com rigor, sendo demitidos "ex-offício", sem direito a qualquer remuneração ou indenização e declarados INDIGNOS DO OFICIALATO OU COM ELE INCOMPATÍVEIS, bem como condenados à PERDA DO POSTO E DA PATENTE! A PMERJ não pode abafar, não pode ser corporativista num momento como esse, não pode admitir em seus quadros criminosos de tamanha audácia!

    ResponderExcluir
  3. V E R G O N H A ! ! !

    V E R G O N H A ! ! !

    V E R G O N H A ! ! !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto o Coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira, o Major Carlos Alexandre de Jesus Lucas, o Major Edson Alexandre Pinto de Góes e o Capitão Walter Colchone Netto (3 Oficiais Superiores e 1 Intermediário) foram denunciados pelo Ministério Público na terça-feira passada (4 de agosto de 2015) pelos crimes de lavagem de dinheiro e improbidade administrativa por incompatibilidade patrimonial, DENEGRINDO A IMAGEM DA CORPORAÇÃO, o Subtenente Rezende Lima, da Polícia Rodoviária Estadual (PMERJ), recusou suborno de R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) defendendo sua honra e dever!

      Excluir
  4. Falta cair o Secretario Beltrame, o Governador Pezão e ex-Gonernador Cabral (STJ).

    ResponderExcluir
  5. É O ESTADO-MAIOR DA PMERJ DANDO MAL EXEMPLO À TROPA.

    O TENENTE-CORONEL ALEXANDRE FONTENELLE RIBEIRO DE OLIVEIRA DENEGRIU A IMAGEM DA CORPORAÇÃO!

    ResponderExcluir
  6. Valor do dólar: R$ 3,55
    Salário Mínimo brasileiro: R$ 788,00 ou US$ 221,00 dólares

    O Dólar só vai cair quando a Dilma sair da Presidência da República.
    A alta do dólar são os investidores pulando fora do Brasil.
    Esse é o Brasil que ninguém acredita, é o Brasil do PT!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A agência de classificação de risco Moody's informou no dia 11/08/2015 que rebaixou a nota de crédito brasileira de Baa2 para Baa3.

      O governo federal continua achando que consegue resolver o problema econômico e a crise política somente com falácia e argumentações pobres e toscas que não refletem a realidade, mostrando uma falsa realidade numa tentativa desesperada de esconder a real situação para a população. Ao invés de agir onde tem que ser corrigido os problemas, ficam cada vez mais inertes sem mostrar e buscar soluções concretas para tirar o Brasil do buraco que eles mesmos criaram! Desde de 2003 que medidas demagogas e populistas comprometeram o Erário, aditivado pelo plano corrupto de manter-se no poder! FORA "PT"!

      Excluir
  7. O problema é que a Polícia Militar só pune Praças e Oficiais Subalternos! Oficiais Superiores cometem CRIMES e não são punidos pela Corporação!

    ResponderExcluir
  8. Quem é coronel, major ou capitão dificilmente vai para a rua!

    ResponderExcluir
  9. Minha PMERJ não é subornável.

    'Rei da Baixada' tenta subornar Subtenente da PMERJ com R$ 2 milhões para não ser preso.
    Ipojucan de Andrade, o 3º homem na hierarquia do tráfico, foi preso em Araruama, no RJ.
    Parabéns ao Subtenente Rezende Lima!

    http://rvchudo.blogspot.com.br/2015/08/minha-pmerj-nao-e-subornavel.html

    ResponderExcluir
  10. PMERJ - ENTRADA ÚNICA NA CORPORAÇÃO

    IDEIA DO COMANDO SEGUE O MODELO AMERICANO, QUE É MAIS EFICIENTE!
    A carreira fica mais atrativa e a Polícia aproveitará seus melhores quadros. O concurso para oficial da PM deve ser aberto somente para praças, ou seja, só para quem já ingressou na carreira como soldado.

    ResponderExcluir