domingo, 16 de agosto de 2015

POLICIAL MILITAR DESAPARECE EM NOVA IGUAÇU


O cabo Mauro Jorge da Silva Cecílio, de 34 anos, do 16º BPM (Olaria), desapareceu na última terça-feira, à noite, após deixar o CIEP Moacyr Jose Pereira Gerk, onde trabalhava no Ambaí, em Nova Iguaçu. Na ocasião, ele prestava serviço pelo Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis). O carro do PM, um Renault Clio 2006, também não foi encontrado. 
O caso está registrado na Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), na Cidade da Polícia, entretanto a investigação vai caber à Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). 
A mulher do PM, Pamela Silva, que também é policial lotada no 16º BPM, disse que a última vez que entrou em contato com ele foi na madrugada de terça-feira. — Foi um dia normal, ele estava na nossa casa, em Belford Roxo e saiu às 15h para ir para lá. Largou 23h e meia-noite me ligou para dizer que já estava voltando. Depois, vendo que ele não chegava, comecei a ligar: chamava e não atendia até quarta-feira. Na quinta, já dava como desligado — disse.

21 comentários:

  1. A valorização dos profissionais de segurança pública é essencial!

    Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna. Os Policiais Militares do Rio de Janeiro morrem por um vencimento inferior ao Salário Mínimo Necessário!

    O Salário Mínimo Necessário foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em R$ 3.377,62 (três mil, trezentos e setenta e sete reais e sessenta e dois centavos) no mês de Maio de 2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo").

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    O adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública foi aprovado!

    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade. Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total. Acrescido dos 30% de Adicional de Periculosidade (R$ 1.013,28), o valor do Piso Salarial da categoria deveria ser fixado em R$ 4.390,90 (quatro mil, trezentos e noventa reais e noventa centavos). O menor vencimento deve ser igual ou superior ao referido valor.

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem trabalha se arriscando em prol da coletividade precisa ser reconhecido e valorizado com um bom salário.

      O dinheiro é um instrumento de troca, é a forma material do princípio de que os homens que querem negociar uns com os outros precisam trocar um valor por outro. O dinheiro é a energia dos homens que produzem, só se torna possível por intermédio deles. Quem aceita dinheiro como pagamento por seu esforço só o faz por saber que será trocado pelo produto do esforço de outrem. A sua carteira afirma a esperança de que em algum lugar no mundo ao seu redor existam homens que não traem aquele princípio moral que é a origem do dinheiro.

      Excluir
    2. Diante do exposto no comentário das 12:28 horas do dia 17 de agosto de 2015, fica evidente a necessidade de garantir um salário inicial no valor de R$ 5.000,00 (Cinco mil reais) aos Soldados das Polícias Militares do Brasil.

      Excluir
    3. As Unidades Federativas do Brasil, com exceção do Distrito Federal, precisam pagar melhores salários ("salários dignos") aos Policiais Militares e exigir mais no recrutamento e na formação ("exigências maiores de recrutamento e formação").

      Excluir
  2. "Quando o Estado abandona seus servidores, deixando-os à mercê do outro lado, é porque, muito provavelmente, o Estado está do outro lado."

    Giovanni Falcone, Juiz italiano especializado em processos contra a máfia siciliana Cosa Nostra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DIGNIDADE JÁ!

      Excluir
    2. Vemos com preocupação o fato de que a PMERJ privilegia a promoção por antiguidade, e não por mérito (merecimento). Um Policial Militar ficar parado esperando para receber uma promoção não é interessante para a sociedade, pois o referido profissional não se qualificará e ficará despreparado para as funções que exercerá quando ascender à graduação seguinte. A promoção de praças por tempo de serviço deveria acabar!

      Excluir
  3. De soldado a subtenente: confira as formas de evolução dentro da PMESP

    A carreira dentro da Policia Militar de Estado de São Paulo (PM-SP) possui diversas oportunidades para a evolução. Com uma hierarquia de corporações que semelhante a das Forças Aramadas, a PM possui dois quadros de carreiras, a dos oficiais e a dos praças, do qual fazem parte os soldados. Ao ingressar como servidor da Polícia Militar, o primeiro cargo ocupado é como soldado, que é o cargo mais baixo na hierarquia, sendo necessário concurso público para o ingresso. O servidor passa pelo curso Superior de Técnico de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública, que tem duração de um ano, após a formação no curso ele passa a ser considerado soldado da PM de 2ª classe.

    O profissional permanece nesta função durante dois anos, período equivalente ao estágio probatório, e então é promovido à carreira de soldado da PM de 1ª classe, além de receber um aumento salarial.Com a realização de concurso interno, o servidor poderá chegar ao cargo de cabo, com um novo aumento salarial e também de atribuições.

    Em seguida, mediante outro concurso interno, o cabo poderá se tornar 3ª sargento, no entanto, para ser habilitado é necessário realizar um novo curso de formação, desta vez na Escola Superior de Sargentos (ESSGT). O cargo de 3ª sargento tem a competência de auxiliar os tenentes.

    A evolução para os cargos de 2º sargento, 1ª sargento e subtenente segue os requisitos de tempo de carreira e merecimento. Além disso, na promoção do cargo de 2ª sargento para 1º sargento o servidor passa pelo Curso de Aperfeiçoamento de Sargento (CAS) que tem duração de três meses.

    Além da remuneração, os Praças da Policia Militar recebem R$ 543,26 a título de Adicional de Insalubridade, previsto na Lei Complementar nº 432, de 18/12/1985, alterada pela Lei Complementar nº 1.179, de 26/06/2012. A JORNADA DE TRABALHO É DE 40 HORAS SEMANAIS. TODOS OS SOLDOS ESTÃO ACIMA DE R$ 1.091,56, OU SEJA, BEM ACIMA DO SALÁRIO MÍNIMO VIGENTE!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Polícia Militar de São Paulo faz o certo, só promove mediante concurso interno. A Promoção de Praças por Tempo de Serviço deveria acabar no Rio de Janeiro!

      Excluir
    2. Em São Paulo, há a MERITOCRACIA NA POLÍCIA MILITAR.

      Vemos com preocupação o fato de que a PMERJ privilegia a promoção por antiguidade, e não por mérito (merecimento). Um Policial Militar ficar parado esperando para receber uma promoção não é interessante para a sociedade, pois o referido profissional não se qualificará e ficará despreparado para as funções que exercerá quando ascender à graduação seguinte.

      No Rio de Janeiro, a promoção de praças por tempo de serviço deveria acabar!

      Excluir
    3. O governo de São Paulo está no caminho certo ao adotar a meritocracia na segurança pública.

      Excluir
  4. ESCALA DE SERVIÇO

    Queremos o cumprimento do Art. 6º da Lei Estadual 6.162/12 (RJ), de 9 de fevereiro de 2012.

    "Art. 6º: Fica o Poder Executivo autorizado a instituir por Decreto sistema de Banco de Horas Adicionais de Trabalho para policiais civis e militares, bombeiros militares e agentes penitenciários, mediante contraprestação pecuniária adicional pelas horas a mais trabalhadas."

    O Decreto Estadual nº. 43.538 (RJ), de 03 de abril de 2012, que versa sobre a jornada de trabalho para os Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro, tendo clara redação, sendo então a jornada de trabalho de 144 horas mensais para Policiais Militares da atividade fim (serviço de rua) e 40 horas semanais para os Policiais Militares da atividade meio (serviço de expediente), conforme O Art. 3º, §§ 1º e 2º do supracitado Decreto;
    "§ 1º - Quando o policial civil, policial militar, bombeiro militar ou agente penitenciário estiver trabalhando sob regime de escala, só serão considerados turnos adicionais àqueles que, tomando-se em conta o mês com duração de 30 (trinta) dias, excederem a 144 (cento e quarenta e quatro) horas mensais efetivas de turnos regulares.
    § 2º - Quando o policial civil, policial militar, bombeiro militar ou agente penitenciário estiver trabalhando sob regime de expediente, só serão considerados turnos adicionais àqueles que excederem a 40 (quarenta) horas semanais efetivas de expedientes regulares." .

    Solicitamos o cumprimento das escalas de 12x48 e 24x72 para a atividade fim (serviço de rua) e 40 horas semanais para a atividade meio (serviço interno).

    As escalas 12x48 e 24x72 estão previstas no Bol da PM n.º 027 - 08 Fev 12, páginas 82 e 83;
    "1 – 1º, 2º, 3º e 4º COMANDOS DE POLICIAMENTO DA ÁREA.
    Rádio patrulhas, cabinas e interdições – Escala 12x48 (doze horas de serviço por
    quarenta e oito horas de folga);
    Grupo de Ações Táticas – GAT, Auto Patrulha de Trânsito – APTran, Postos de
    Policiamento – PP, Postos de Policiamento Comunitário – PPC, Destacamento de
    Policiamento Ostensivo – DPO, Guarda do Quartel, Oficial de Dia, Adjunto ao Oficial
    de Dia e Quartilheiro – Escala 24x72 (vinte e quatro horas de serviço por setenta e duas horas de folga) tendo a garantia de 06 horas de descanso durante o serviço;
    Policiamento Ostensivo de Trânsito – POTran e Policiamento Ostensivo Geral à Pé –
    POG à Pé – Escala 4x2 (quatro serviços de 07 horas por 02 dias de folga);
    Auto Patrulha de Trânsito – APTran (nos locais onde o comando da unidade entenda
    não haver necessidade deste serviço por 24 horas) e Patrulhamento Motorizado Especial
    – PAMESP – Escala 10x38 (dez horas de serviço por 38 horas de folga).
    2 – 5º, 6º e 7º COMANDO DE POLICIAMENTO DA ÁREA.
    As escalas deverão seguir o mesmo padrão da carga horária acima especificada,
    podendo, de acordo com a distância do local de serviço haver um aumento proporcional
    das horas de serviço e folga.
    Exemplo de Escala de Destacamento de Policiamento Ostensivo no interior – 48x144.
    3 – UNIDADES POLICIAIS ESPECIAIS.
    As unidades policiais especiais deverão utilizar uma das escalas acima elencadas, tais
    como:
    12x48 – 24x72 – 4x2 – 10x38"

    A injustiça que se faz a um é uma ameaça que se faz a todos.

    Barão de Montesquieu

    ResponderExcluir
  5. No Brasil, os valores estão invertidos. Quando se faz necessário a intervenção policial, na vida de algum cidadão que cometeu um crime, foi porque todos os outros órgãos responsáveis diretamente pela sua formação, falharam na sua missão.


    Estados Unidos da América, país onde um bom policial é aplaudido por milhares de pessoas.

    O vice-presidente dos EUA e o prefeito de Nova York, bem como milhares de pessoas, foram ao funeral de um policial covardemente assassinado. Alguém imagina isso ocorrendo no Brasil? Aqui nesse país além das condições paradoxais que o policial é submetido para o exercício do trabalho, alguns ainda defendem a infausta ideia da desmilitarização da polícia. Ao morrer, é mais fácil um bandido ser venerado que um Policial Militar.

    Pois bem, virá um idiota retrucando: "Ah, mas existem policiais corruptos". Claro, assim como há jornalistas, políticos, padeiros, motoristas de táxi e por aí vai. A nuança é que apenas o policial é criticado e perseguido. Nem vou entrar na minúcia que só existe corrupto porque há corruptor. As pessoas falam que a PM é corrupta, mas votam na Dilma. Façam-me o favor. Os EUA estão de parabéns pelo comportamento! É como dizia Dostoiévski: "A verdadeira verdade é sempre inverossímil".

    ResponderExcluir
  6. CUT PODE ESTAR ESTOCANDO ARMAS

    Brasília - Depois que o presidente da CUT, Vagner Freitas, ameaçou “pegar em armas” para impedir a deposição da Dilma da presidência, a Polícia Federal precisa urgentemente vasculhar a sede da entidade para saber se Freitas já tem realmente o arsenal à disposição dos seus filiados e militantes do PT. O presidente da CUT, na verdade, pensa como o Lula que também já se mostrou adepto da luta armada quando, numa manifestação na ABI, ameaçou acionar seu exército vermelho (os guerreiros vermelhos do Stédile, do MST) para garantir o mandado da sua companheira.

    Estocar armas para Vagner Freitas não é um problema, pelo menos financeiro. Gigolôs do dinheiro público, as centrais sindicais – a do Freitas incluída – embolsaram do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) no ano passado, 180 milhões de reais. Isso mesmo 180 milhões de reais!, resultado de uma manobra criada por Lula quando presidente para silenciar seus dirigentes e os sindicatos pelegos aliados que deixaram de defender a categoria para se juntar incondicionalmente ao PT na defesa desse governo corrupto.

    As centrais sindicais unidas podem criar um verdadeiro exército com alto poder de fogo e sair às ruas como já fazem os bolivarianos que se armaram até os dentes no exercito criado pelo ex-ditador Hugo Chávez. Aliás, em novembro de 2014, entrou clandestinamente no território brasileiro o ministro venezuelano Elias Jaua para assinar acordos com o MST e a CUT para “fortalecer a revolução socialista do Brasil”, como ele mesmo informou nos atos dos convênios.

    Quando diz que pode reagir a bala às manifestações populares, Freitas não está usando nenhum sentido figurado às suas palavras, como tentaram amenizar alguns para botar panos quentes na irracionalidade delinquente do presidente da CUT. É assim que pensa a escória sindical que quer ver o circo pegar fogo. Se a expressão de “pegar em armas” que usou era de desabafo deve ser punido pela bazófia. Afinal de contas, a central que preside agrupa milhares de sindicatos no Brasil e ele comete crime grave ao insuflar os filiados à luta armada.

    Enquanto milhares de trabalhadores estão desempregados, Vagner Freitas não tem do que se queixar. A sua central e algumas outras que compõem o staff dos pelegos lulistas embolsaram nos últimos sete anos 1 bilhão de reais. Só entre janeiro e abril deste ano, foram irrigados para os cofres dessas entidades de classe 166 milhões de reais, como informou CH aqui no Diário do Poder. É assim, mantendo regularmente pagamentos milionários, que a república sindical se mantém ao lado do governo, desprezando a categoria a quem deveria proteger num caso de crise econômica como essa.

    ResponderExcluir
  7. A Central Única dos Trabalhadores é o braço financeiro dos petistas. Lá não existe auditoria e o dinheiro é distribuído ao bel-prazer do seu presidente. A entidade financia encontros, viagens, manifestações, TVs, rádio e a mídia chapa-branca (os blogueiros oficiais) convocada para apoiar esse governo de aloprados e denegrir a imagem dos que pensam diferente deles. Como o dinheiro é do FAT, o Ministério Público deveria abrir investigação para apurar como ele está sendo usado e para que fins é destinado. A julgar pelas declarações do presidente da CUT, diante da Dilma, numa solenidade, a grana pode estar servindo para armar seus militantes e manter um grande arsenal à disposição da central.

    Os primeiros indícios de que a CUT pode estar se preparando para um conflito armado, como alardeia seu presidente, podem aparecer já nas investigações que a Polícia Federal está fazendo sobre as bombas jogadas na porta do prédio do Instituto Lula. Os policiais não descartam a hipótese de que militantes petistas estariam por trás do atentado. Se isso de fato for comprovado, os ensinamentos dos bolivarianos começam a ser postos em prática no Brasil. Para evitar que atos como esses aterrorizem a população, a Polícia Federal deveria intimar o presidente da CUT para esclarecimentos e o Ministério Público promover uma devassa nas contas da central.

    Nenhuma organização criminosa resiste a uma intervenção em suas finanças, como mostram investigações policiais recentes.

    JORGE OLIVEIRA

    Diario do Poder

    ResponderExcluir
  8. Os corruPTos do governo petralha estão APAVORADOS.

    Os clePTomaníacos do Partido dos Trabalhadores sugaram todos os recursos públicos e privados. Agora querem impedir de forma truculenta a prática da democracia!

    Muitos “erros” foram cometidos por todos nós brasileiros e o pior deles foi ter acreditado nas mentiras da "presidenta". Ela permitiu a quebra do Brasil, mentiu e foi eleita em bases falsas, iludiu o eleitorado e perdeu a legitimidade! Ela tem que admitir os erros, tem que confessar o estelionato e renunciar! É o único “diálogo” admissível e a única coisa decente que ela e o PT ainda podem fazer pelo Brasil!

    “Temos [INFELIZMENTE!] uma presidenta eleita, empossada e no exercício [INDEVIDO!] do mandato”. Gleisi Hoffmann (PT)

    Poupem o Brasil, tomem vergonha na cara e saiam pela porta dos fundos da história, o quanto antes!

    ResponderExcluir
  9. POLÍTICOS BRASILEIROS são sugadores do sangue e suor dos trabalhadores!

    "Notem que nos ‘’EUA’’ Estados Unidos da América, não existe esta lei de imunidade.

    A população culta conhece seus direitos; e sabe que segundo a constituição, todo cidadão deve ter os mesmos direitos perante a lei e a justiça!

    Não podemos reconhecer como nossos representantes, quem desrespeita a constituição, as leis que criaram, aprovaram; e delas deveriam ser os guardiões."

    João Cirino Gomes

    ResponderExcluir
  10. Já apareceu, vivinho da Silva!

    ResponderExcluir
  11. O Cabo PM Mauro Jorge da Silva Cecílio, de 34 anos, lotado no 16º BPM (Olaria), foi localizado nesta terça-feira em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM foi encontrado por equipes do serviço reservado de seu batalhão e do 3º Comando de Policiamento de Área (CPA) e ficará preso administrativamente por 72 horas no 16º BPM. Ele ficou desaparecido durante uma semana e terá que prestar esclarecimentos sobre o caso. Fonte: http://riocrime.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Câmara aprova em segundo turno redução da maioridade penal

    Com 320 votos a favor, Câmara aprova redução da maioridade penal em segundo turno.

    O plenário da Câmara dos Deputados aprovou em segundo turno a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos na noite desta quarta-feira (19).

    A PEC foi aprovada com 320 votos a favor, 152 contra e uma abstenção. Na votação em primeiro turno foram 323 votos a favor e 155 contra a redução da maioridade. O texto segue para o Senado.

    De acordo com o texto aprovado em primeiro turno, a maioridade será reduzida nos casos de crimes hediondos – como estupro e latrocínio – e também para homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte.

    Pela emenda aprovada, os jovens de 16 e 17 anos deverão cumprir a pena em estabelecimento separado dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e dos maiores de 18 anos.

    A sessão demorou para começar porque os deputados contrários à proposta tentaram não marcar presença para adiar a votação por falta de quórum qualificado. Na mesma linha de obstrução, os deputados contra a proposta pediram a retirada da matéria da pauta, negada pela plenária.

    A votação teve início às 20h25 e, após uma hora, líderes de partidos contrários à aprovação da PEC, como Alessandro Molon (PT-RJ) e Jandira Feghali (PCdoB - RJ), pediam a Eduardo Cunha o encerramento da votação. O presidente, no entanto, garantiu que a votação seria encerrada apenas após o cumprimento do quórum necessário (308 votos).

    ResponderExcluir
  13. Dia conturbado para Cunha

    Contrária à vontade do governo, a votação do segundo turno da PEC da maioridade penal acontece às vésperas da denúncia do procurador-geral da República Rodrigo Janot contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e e o ex-presidente e senador Fernando Collor (PTB-AL) por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.

    Deputados contrários a Cunha preparam um manifesto para pedir o afastamento dele da presidência da Casa assim que a PGR enviar o pedido de investigação ao Supremo. No entanto, o presidente da Câmara afirmou que não se afastará do cargo. "Não farei afastamento de nenhuma natureza. Voou continuar exatamente no exercício para o qual fui eleito pela maioria da Casa. Estou absolutamente tranquilo e sereno em relação a isso", disse.

    Governo é contrário à PEC

    Em nota divulgada nesta noite pelo Ministério da Justiça, o ministro José Eduardo Cardozo reiterou sua posição contrária à PEC e destacou que a medida não vai diminuir a criminalidade. "A redução da maioridade penal é para nós algo insustentável. Caso isso seja aprovado nós teremos um erro jurídico, um erro do ponto de vista dos estudos científicos e um colapso no sistema prisional. Estaremos gerando mais violência e ferindo a nossa Constituição. Não podemos ser favoráveis a uma medida que trará enorme dano à segurança pública de todos os brasileiros", afirma o ministro.

    O governo alega que a medida impacta negativamente as contas da União, podendo gerar um gasto anual de R$ 2,3 bilhões porque será necessário ampliar as unidades prisionais para manter aproximadamente 40 mil adolescentes presos por ano.

    Em lugar da redução da maioridade penal, o Palácio do Planalto defende alteração no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e aumento do período de internação do menor. O projeto que altera o ECA foi aprovado no Senado em julho deste ano.

    É evidente que a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos é necessária!

    ResponderExcluir