domingo, 29 de novembro de 2015

Cel. Duarte assume comando PMERJ em janeiro

Assumirá o Comando Geral da Corporação, a partir de 4 de Janeiro de 2016, o Coronel PM DUARTE 


Após um ano à frente da Polícia Militar, o Cel. Pinheiro Neto pediu para deixar o cargo. O pedido foi aceito pelo governador Luiz Fernando Pezão e pelo secretário de Segurança, José Mariano Beltrame. Ele será substituído, a partir de quatro de janeiro, pelo Cel. Edison Duarte dos Santos Júnior, que atualmente chefia a Coordenadoria Especial de Assuntos Olímpicos (CEAO), cargo que ocupa desde o início deste ano. 
O Cel. Edison Duarte tem 47 anos e faz parte da Polícia Militar há 25 deles. Ele possui experiência na organização da segurança de grandes eventos. Entre 2009 a 2013, coordenou a preparação e o planejamento da PM para os grandes eventos em especial para a Copa das Confederações FIFA e Jornada Mundial da Juventude, que aconteceram em 2013. No mesmo período, coordenou a gestão de relações institucionais da Polícia Militar com instituições de pesquisa, agências policiais e de segurança pública de outros países. É idealizador e gestor do convênio com o Governo do Panamá e a Polícia Nacional do Panamá, que possibilitou a internacionalização do modelo de Unidade de Polícia Pacificadoras (UPP) auxiliando no diagnóstico, na capacitação de policiais panamenhos e a implantação das duas primeiras Unidades Preventivas Comunitárias (UPC), modelo adaptado das UPP, no Panamá, em 2012 e 2013. 
O militar também possui experiência como observador e atuou em missões na República Dominicana (2003), Rio de Janeiro (2007), Haiti (2008), África do Sul (2009), Israel (2010), Panamá (2012/2013) e Londres 2012.

10 comentários:

  1. TUDO CONTINUARÁ NA MESMA FORMA, POIS ENQUANTO O CG NÃO FOR PELA TROPA, ELE CONTINUARÁ A SER MAIS UM FANTOCHE NAS MÃOS DO GOVERNADOR E DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA. NUNCA UM CG ESCOLHIDO PELO GOVERNO, BRIGARÁ PELO BEM ESTAR DA TÃO SOFRIDA TROPA. SERÁ MAIS UM A RECEBER SALÁRIO ALTÍSSIMO, PARA OPRIMIR UMA MULTIDÃO QUE CONTINUARÁ GANHANDO POUCO. INFELIZMENTE ESSA AINDA CONTINUARÁ SENDO A NOSSA REALIDADE!!!

    ResponderExcluir
  2. "PREJUÍZO PARA A POPULAÇÃO: POLÍCIA MILITAR TERÁ NOVO COMANDANTE GERAL


    Prezados leitores, ontem foi anunciado pela Secretaria de Segurança Pública que a PMERJ terá um novo Comandante Geral a partir do dia 4 de janeiro de 2016, o oitavo desde o início do governo (2007):

    - Coronel PM Ubiratan.

    - Coronel PM Pitta.

    - Coronel PM Mário Sérgio.

    - Coronel PM Costa Filho.

    - Coronel PM Luiz Castro.

    - Coronel PM Íbis.

    - Coronel PM Pinheiro Neto.

    O oitavo Comandante Geral será o Coronel PM Edison Duarte dos Santos Júnior.

    São nove anos de governo e oito Comandantes Gerais, quase um por ano.

    Isso nunca tinha acontecido na história da segurança pública brasileira e a razão é muito fácil de entender: a sequência de trocas é extremamente prejudicial para a Polícia Militar, para o cumprimento de suas missões constitucionais e, consequentemente, para a população.

    Ninguém pode negar que em todo mundo a base dos sistemas policiais são o policiamento ostensivo e a preservação da ordem público.

    Não importa qual seja o modelo de sistema policial adotado no país, as missões de maior relevância serão as duas citadas.

    No Brasil, as referidas missões são atribuições exclusivas da Polícia Militar.

    Leitores, analisem com base na importância das missões e na rotatividade no comando da PMERJ, assim ficará muito fácil compreender os motivos que fazem com que a segurança pública no Rio de Janeiro seja um caos completo e a violência esteja presente em todos os lugares.

    O poderio dos traficantes e dos milicianos, o fracasso das UPPs, tudo fica simples de interpretar.

    Salvo melhor juízo, temos um gravíssimo problema de péssima gestão na segurança pública fluminense, que não será resolvido com a troca de Comandantes Gerais da PMERJ."

    Comentário postado pelo Coronel PM Paulo Ricardo Paúl em seu blog.
    http://blogcoronelpaul.blogspot.com.br/2015/11/prejuizo-para-populacao-policia-militar.html

    ResponderExcluir
  3. A Polícia Militar precisa ser valorizada e fortalecida, pois POLICIAIS MILITARES DESMOTIVADOS significa SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA. Vale lembrar que o Rio de Janeiro sediará os Jogos Olímpicos de 2016, sendo o reconhecimento pecuniário indispensável, imprescindível para melhorar a qualidade do serviço policial-militar.

    Nas sociedades capitalistas é comum que o valor de um indivíduo seja aferido através do seu poder de compra, e isso tem muito a ver com seus rendimentos – a quantidade de dinheiro que ele consegue adquirir em determinado espaço de tempo. O salário do Policial Militar do Rio de Janeiro é incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas (previstas no inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988).

    Não é à toa que, falando de valorização dos policiais brasileiros, sempre se remete à questão salarial como um problema sério, pois além de garantir elementos essenciais para a sobrevivência, “ganhar bem” concede ao profissional um posicionamento social de relevância. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    A PMERJ pode reclamar bastante dos seus vencimentos, pois são inadequados para as funções exercidas. Os baixos salários desmotivam a tropa e criam desinteresse pela profissão. Um Soldado de Polícia Militar em início de carreira deveria receber vencimentos iniciais de R$ 8.612,50 (oito mil, seiscentos e doze reais e cinquenta centavos) mensais, para uma jornada de trabalho de até 144 horas mensais. A questão salarial impacta diretamente na autoestima dos Policiais e na valorização das Polícias.

    Os baixos salários fazem a PMERJ perder oficiais e praças. O idealismo vai esmorecendo, pois já não encontra-se mais comandantes com "C" maiúsculo, dignos de orgulho de seus comandados e os vencimentos não são suficientes para dar uma vida digna à família. A tropa da PMERJ está desmotivada, insatisfeita e tem VERGONHA DO SALÁRIO! Não há justificativa para os BAIXOS SALÁRIOS.

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." O Policial Militar precisa ser valorizado como herói! Em contrapartida, a Polícia Militar deveria acabar definitivamente com a Promoção de Praças por Tempo de Serviço! As Promoções devem ser conquistadas mediante aprovação em concursos internos para o CFC, o CFS e o CAS, bem como a conclusão de um Curso de Ensino Superior. Os Policiais Militares que já concluíram o 3º Grau deveriam receber um acréscimo no salário, como é feito na Guarda Municipal do Rio de Janeiro. Quem se qualificou tem que ser premiado. É a única forma de incentivar o estudo, a qualificação.

    ResponderExcluir
  4. Tropa sente falta de um líder

    Para ser um líder, você tem que fazer as pessoas quererem te seguir, e ninguém quer seguir alguém que não sabe onde está indo. Os chefes são líderes mais através do exemplo do que através do poder. Liderança é ação, e não posição. A liderança é a capacidade de conseguir que as pessoas façam o que não querem fazer e gostem de o fazer.

    Diferenças existentes entre chefes e líderes:
    Enquanto o chefe impõe, o líder conquista.
    Enquanto o chefe atrai puxa-sacos e interesseiros, o líder atrai seguidores voluntários.
    Enquanto o chefe é truculento, o líder surpreende pela paciência.
    Enquanto o chefe visa somente os números, o líder inspira aqueles que fazem os números parecerem pequenos.
    O chefe encerra o assunto. O líder argumenta com inteligência.
    O chefe segue a pauta da reunião. O líder é sensível para, se necessário, mudar o rumo do roteiro.
    O chefe empurra goela abaixo. O líder põe água na boca e sua ideia desce gostoso.
    O chefe não reconhece o valor de outros líderes. O líder é humilde pra aprender com quem provou seu valor com resultados.
    O chefe tem resultados limitados. O líder cresce sem limites em tudo que coloca suas mãos.

    ResponderExcluir
  5. CORONEL DUARTE, DESEJO-LHE BOA SORTE!!!

    ResponderExcluir
  6. GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

    Rio de Janeiro, 30 de novembro de 2015

    Núcleo de Imprensa




    Pagamento dos servidores de novembro é alterado

    As secretarias de Fazenda e de Planejamento e Gestão e o Rioprevidência informam que os pagamentos relativos a novembro dos servidores estaduais ativos e inativos do Poder Executivo serão feitos em duas etapas. Já o pagamento dos pensionistas não sofreu alteração. Os 90.688 pensionistas já receberam integralmente nas datas previstas no calendário, de 24 a 30 de novembro, de acordo com o número de inscrição.

    Os servidores inativos e ativos que ganham até R$ 2 mil líquidos mensais receberão o valor integral do pagamento nas datas previstas, ou seja, nestas terça-feira (1/12) e quarta-feira (2/12), respectivamente. Para aqueles que ganham acima deste valor, o Estado também depositará R$ 2 mil nessas datas e a diferença, até o próximo dia 9. O governador, o vice-governador e os secretários de Estado receberão a totalidade dos seus subsídios até o próximo dia 9/12. Do total dos servidores estaduais, 53% receberão integralmente seus vencimentos nas datas previstas anteriormente e os outros 47% receberão em duas etapas.

    Todas as pensões alimentícias serão pagas integralmente nesta terça-feira (1/12) no caso dos inativos, e, nesta quarta-feira (2/12), no caso dos ativos, independentemente do valor da pensão. As 12 entidades da administração indireta com pagamento previsto para hoje (30/11) já receberam seus salários integralmente. O mesmo acontecerá com os servidores do Detran, que terão seus vencimentos depositados nesta terça-feira (1/12), uma vez que o órgão tem receita própria.

    Por motivos operacionais, os pagamentos dos inativos podem não aparecer na conta nas primeiras horas desta terça-feira (1/12), mas os valores serão depositados ao longo do dia. Aqueles que optaram pela portabilidade deverão ter o pagamento creditado apenas depois do meio-dia.

    A folha de pagamento de novembro representa uma despesa total de R$ 1,9 bilhão, contemplando um total de 505.806 vínculos, sendo 248.419 ativos, 166.699 inativos e 90.688 pensionistas. O total de vínculos é superior ao de pessoas porque há servidores que têm mais de um vínculo com o Estado, principalmente servidores da Educação e da Saúde. Nesses casos, a divisão do pagamento será feita por vínculo.

    A nova data estabelecida para a folha de novembro é resultado da queda na arrecadação do Estado, assim como do agravamento da crise econômica do país. O Rio de Janeiro atravessa um momento de graves dificuldades financeiras, provocadas pela forte desaceleração da economia brasileira, a queda nos preços do petróleo e a diminuição da receita com royalties. Somente em outubro, a arrecadação do Estado registrou uma queda real de 16%. A arrecadação com royalties será R$ 6 bilhões menor, em 2015, do que o previsto no início deste ano.

    Várias providências foram tomadas para elevar a arrecadação do Estado, com a aprovação de 12 projetos de lei, em apenas nove meses, na Assembleia Legislativa. Essas leis permitiram a geração de R$ 12 bilhões em receitas extraordinárias em 2015.

    O Governo do Estado está canalizando todos os esforços na geração de novas receitas, com prioridade total para o pagamento dos servidores ativos e inativos.

    --
    Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro
    www.imprensa.rj.gov.br
    facebook.com/governodorio
    twitter.com/GovRJ
    instagram.com/govrj
    youtube.com/GovRJ
    --
    You received this message because you are subscribed to the Google Groups "Imprensa Geral" group.
    To unsubscribe from this group and stop receiving emails from it, send an email to imprensa.geral+unsubscribe@imprensagovrj.com.br.

    ResponderExcluir
  7. Estado do Rio vai parcelar salário e aposentadoria dos servidores


    As secretarias de Fazenda e de Planejamento e Gestão e o Rioprevidência informam que os pagamentos relativos a novembro dos servidores estaduais ativos e inativos do Poder Executivo serão feitos em duas etapas. Já o pagamento dos pensionistas não sofreu alteração. Os 90.688 pensionistas já receberam integralmente nas datas previstas no calendário, de 24 a 30 de novembro, de acordo com o número de inscrição.


    Os servidores inativos e ativos que ganham até R$ 2 mil líquidos mensais receberão o valor integral do pagamento nas datas previstas, ou seja, nestas terça-feira (1/12) e quarta-feira (2/12), respectivamente. Para aqueles que ganham acima deste valor, o Estado também depositará R$ 2 mil nessas datas e a diferença, até o próximo dia 9. O governador, o vice-governador e os secretários de Estado receberão a totalidade dos seus subsídios até o próximo dia 9/12. Do total dos servidores estaduais, 53% receberão integralmente seus vencimentos nas datas previstas anteriormente e os outros 47% receberão em duas etapas.


    Todas as pensões alimentícias serão pagas integralmente nesta terça-feira (1/12) no caso dos inativos, e, nesta quarta-feira (2/12), no caso dos ativos, independentemente do valor da pensão. As 12 entidades da administração indireta com pagamento previsto para hoje (30/11) já receberam seus salários integralmente. O mesmo acontecerá com os servidores do Detran, que terão seus vencimentos depositados nesta terça-feira (1/12), uma vez que o órgão tem receita própria.


    Por motivos operacionais, os pagamentos dos inativos podem não aparecer na conta nas primeiras horas desta terça-feira (1/12), mas os valores serão depositados ao longo do dia. Aqueles que optaram pela portabilidade deverão ter o pagamento creditado apenas depois do meio-dia.


    A folha de pagamento de novembro representa uma despesa total de R$ 1,9 bilhão, contemplando um total de 505.806 vínculos, sendo 248.419 ativos, 166.699 inativos e 90.688 pensionistas. O total de vínculos é superior ao de pessoas porque há servidores que têm mais de um vínculo com o Estado, principalmente servidores da Educação e da Saúde. Nesses casos, a divisão do pagamento será feita por vínculo.


    A nova data estabelecida para a folha de novembro é resultado da queda na arrecadação do Estado, assim como do agravamento da crise econômica do país. O Rio de Janeiro atravessa um momento de graves dificuldades financeiras, provocadas pela forte desaceleração da economia brasileira, a queda nos preços do petróleo e a diminuição da receita com royalties. Somente em outubro, a arrecadação do Estado registrou uma queda real de 16%. A arrecadação com royalties será R$ 6 bilhões menor, em 2015, do que o previsto no início deste ano.


    Várias providências foram tomadas para elevar a arrecadação do Estado, com a aprovação de 12 projetos de lei, em apenas nove meses, na Assembleia Legislativa. Essas leis permitiram a geração de R$ 12 bilhões em receitas extraordinárias em 2015.


    O Governo do Estado está canalizando todos os esforços na geração de novas receitas, com prioridade total para o pagamento dos servidores ativos e inativos.


    FONTE: GOVERNO RJ

    ResponderExcluir
  8. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK,e o salário????????????? pezão,pezão.......................

    ResponderExcluir
  9. Como eu queria que fosse o Coronel Salema.

    ResponderExcluir
  10. Nois PMS não somos unidos, somos uma Corporação corrupta q só olhamos para os nossos narizes, nunca seremos igual aos Bombeiros, se pudéssemos e fôssemos unidos sétimos mais bem remunerados e teríamos menos mortos nesta guerra hurbana.

    ResponderExcluir