quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Cinquenta policiais de UPPs estão em tratamento psicológico, diz PM

Assim como os dois policiais militares acusados de matar o menino Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos, no Complexo do Alemão, outros 50 PMs lotados em Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) fazem tratamento psicológico. Marcus Vinícius Nogueira Bevitori e Rafael de Freitas Monteiro Rodrigues, lotados na UPP do Alemão, estão afastados das ruas, mas, segundo o comando da PM, nem todos foram suspensos do patrulhamento, "porque o caso não requer impossibilidade de exercer as funções profissionais". Atualmente, 9.543 policiais militares trabalham em UPPs no estado.


Os PMs envolvidos na morte de Eduardo seguem realizando serviços administrativos na UPP desde o dia do crime, em 2 de abril deste ano. Na terça-feira, o delegado Rivaldo Barbosa, responsável pela Divisão de Homicídios (DH), anunciou que os dois não foram indiciados porque ‘‘agiram em legítima defesa e não tinham a intenção de atirar no menino”. O inquérito pede o arquivamento do caso pelo Ministério Público estadual. Rivaldo lembrou que a Polícia Civil recomendou à PM que os dois fossem afastados para tratamento psicológico. A decisão de inocentar os PMs, porém, poderá ser revista pelo MP.

— Tenho que ler o inquérito primeiro para tomar uma decisão — disse o promotor Homero das Neves Freitas, da 23ª Promotoria de Investigação Penal.
Além do inquérito da Polícia Civil, a PM instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar a morte do menino Eduardo. "Tão logo as investigações sejam encerradas a conduta dos policiais militares será avaliada", afirmou, em nota, o comando da PM.

8 comentários:

  1. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O salário do Policial Militar é incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas (previstas no inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988).

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    Pelo serviço que presta, um Soldado da PMERJ deveria ter ensino superior (3º Grau) completo e receber um salário de R$ 7.514,33 (sete mil, quinhentos e quatorze reais e trinta e três centavos), para uma jornada de trabalho de até 144 horas mensais. Em contrapartida, a Polícia Militar deveria acabar definitivamente com a Promoção de Praças por Tempo de Serviço! As Promoções devem ser conquistadas mediante aprovação em concursos internos para o CFC, o CFS e o CAS.

    ResponderExcluir
  2. Só Deus para nos guardar.

    De um lado bandido, de outro lado, PMs problemáticos que enxerga arma de fogo em bíblia, em celular, macaco de carro, furadeira de parede.

    ResponderExcluir
  3. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    O salário do Policial Militar é incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas (previstas no inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988).

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    Pelo serviço que presta, um Soldado da PMERJ deveria ter ensino superior (3º Grau) completo e receber um salário de R$ 7.514,33 (sete mil, quinhentos e quatorze reais e trinta e três centavos), para uma jornada de trabalho de até 144 horas mensais. Em contrapartida, a Polícia Militar deveria acabar definitivamente com a Promoção de Praças por Tempo de Serviço! As Promoções devem ser conquistadas mediante aprovação em concursos internos para o CFC, o CFS e o CAS.

    ResponderExcluir
  4. É uma piada mesmo, todo mundo sabe o que esses meninos fazem na favela, queria saber quando o brasileiro vai deixar de ser hipócrita...
    Principalmente o judiciário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem um lado maldoso e generaliza todas as crianças.

      Excluir
    2. Preconceituoso seu comentário. Pesquisas dizem que a maioria dos policiais vieram da classe média baixa e de bairros pobres. Muitos moram em comunidade e favelas.

      Eu posso dizer que os filhinhos deles de 10 anos ficam na ruam traficando e fazendo coisas erradas?
      Alguns policiais pensam que todos que moram nesses locais compactuam com o tráfico.
      Seria a mesma coisa eu falar que todos os PMs são analfabetos, sem diálogo, extorquidores e que pedem arrego ao tráfico também.

      Excluir
  5. Diferenças existentes entre chefes e líderes:
    Enquanto o chefe impõe, o líder conquista.
    Enquanto o chefe atrai puxa-sacos e interesseiros, o líder atrai seguidores voluntários.
    Enquanto o chefe é truculento, o líder surpreende pela paciência.
    Enquanto o chefe visa somente os números, o líder inspira aqueles que fazem os números parecerem pequenos.
    O chefe encerra o assunto. O líder argumenta com inteligência.
    O chefe segue a pauta da reunião. O líder é sensível para, se necessário, mudar o rumo do roteiro.
    O chefe empurra goela abaixo. O líder põe água na boca e sua ideia desce gostoso.
    O chefe não reconhece o valor de outros líderes. O líder é humilde pra aprender com quem provou seu valor com resultados.
    O chefe tem resultados limitados. O líder cresce sem limites em tudo que coloca suas mãos.

    ResponderExcluir
  6. VCS TEM QUE FAZER O LEVANTAMENTO DE TODAS AS UNIDADES, TEM POLICIAIS PIRANDO POR TODO ESTADO, PRINCIPALMENTE AQUI EM MACAÉ, POR CAUSA DA ESCALA PICADINHA E QUE MORAMOS LONGE. PURA COVARDIA.

    ResponderExcluir