quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Associação de PMs cobra do governo do Rio pagamento de abonos

A Associação dos Policiais Militares do Estado do Rio avalia a possibilidade de uma medida judicial para cobrar do governo o pagamento de bonificações. Os atrasos são nos pagamentos de Regime Adicional de Serviço (RAS), Programa Estadual de Integração à Segurança (Proeis) e abono por cumprir metas de redução da criminalidade.

5 comentários:

  1. "Somos um dos piores SALÁRIOS do Brasil, mas temos um coração ENORME."

    O salário do Policial Militar do Rio de Janeiro é incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas (previstas no inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988). O Soldado da PMERJ tem um Vencimento abaixo do Salário Mínimo Necessário (R$ 3.795,24).

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    DIGNIDADE JÁ!

    “POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA SÓ É FEITA COM POLICIAIS BEM PAGOS” foi o que disse o então candidato ao Governo do Rio, Sérgio Cabral Filho.

    “O GOVERNANTE QUE DIZ QUE O ESTADO DO RIO NÃO TEM DINHEIRO PARA PAGAR MELHOR SEUS POLICIAIS ESTÁ MENTINDO!” (palavras de Sérgio Cabral em 2006).

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." O Policial Militar precisa ser valorizado como herói!

    POLICIAIS MILITARES DESMOTIVADOS significa SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    ResponderExcluir
  2. Já tinha q ter tomado!!

    ResponderExcluir
  3. Pura sacanagem e putaria....greve geral já!!!!

    ResponderExcluir
  4. ESCALA DIGNA DE SERVIÇO




    Queremos o cumprimento do Art. 6º da Lei Estadual 6.162/12 (RJ), de 9 de fevereiro de 2012;




    "Art. 6º: Fica o Poder Executivo autorizado a instituir por Decreto sistema de Banco de Horas Adicionais de Trabalho para policiais civis e militares, bombeiros militares e agentes penitenciários, mediante contraprestação pecuniária adicional pelas horas a mais trabalhadas."




    O Decreto Estadual nº. 43.538 (RJ), de 03 de abril de 2012, que versa sobre a jornada de trabalho para os Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro, tendo clara redação, sendo então a jornada de trabalho de 144 horas mensais para Policiais Militares da atividade fim (serviço de rua) e 40 horas semanais para os Policiais Militares da atividade meio (serviço de expediente), conforme O Art. 3º, §§ 1º e 2º do supracitado Decreto;

    "§ 1º - Quando o policial civil, policial militar, bombeiro militar ou agente penitenciário estiver trabalhando sob regime de escala, só serão considerados turnos adicionais àqueles que, tomando-se em conta o mês com duração de 30 (trinta) dias, excederem a 144 (cento e quarenta e quatro) horas mensais efetivas de turnos regulares.

    § 2º - Quando o policial civil, policial militar, bombeiro militar ou agente penitenciário estiver trabalhando sob regime de expediente, só serão considerados turnos adicionais àqueles que excederem a 40 (quarenta) horas semanais efetivas de expedientes regulares." .




    Solicitamos o cumprimento das escalas de 12x48 e 24x72 para a atividade fim (serviço de rua) e 40 horas semanais para a atividade meio (serviço interno).

    As escalas 12x48 e 24x72 estão previstas no Bol da PM n.º 027 - 08 Fev 12, páginas 82 e 83;

    "1 – 1º, 2º, 3º e 4º COMANDOS DE POLICIAMENTO DA ÁREA.

    Rádio patrulhas, cabinas e interdições – Escala 12x48 (doze horas de serviço por

    quarenta e oito horas de folga);

    Grupo de Ações Táticas – GAT, Auto Patrulha de Trânsito – APTran, Postos de

    Policiamento – PP, Postos de Policiamento Comunitário – PPC, Destacamento de

    Policiamento Ostensivo – DPO, Guarda do Quartel, Oficial de Dia, Adjunto ao Oficial

    de Dia e Quartilheiro – Escala 24x72 (vinte e quatro horas de serviço por setenta e duas

    horas de folga) tendo a garantia de 06 horas de descanso durante o serviço;

    Policiamento Ostensivo de Trânsito – POTran e Policiamento Ostensivo Geral à Pé –

    POG à Pé – Escala 4x2 (quatro serviços de 07 horas por 02 dias de folga);

    Auto Patrulha de Trânsito – APTran (nos locais onde o comando da unidade entenda

    não haver necessidade deste serviço por 24 horas) e Patrulhamento Motorizado Especial

    – PAMESP – Escala 10x38 (dez horas de serviço por 38 horas de folga).

    2 – 5º, 6º e 7º COMANDO DE POLICIAMENTO DA ÁREA.

    As escalas deverão seguir o mesmo padrão da carga horária acima especificada,

    podendo, de acordo com a distância do local de serviço haver um aumento proporcional

    das horas de serviço e folga.

    Exemplo de Escala de Destacamento de Policiamento Ostensivo no interior – 48x144.

    3 – UNIDADES POLICIAIS ESPECIAIS.

    As unidades policiais especiais deverão utilizar uma das escalas acima elencadas, tais

    como:

    12x48 – 24x72 – 4x2 – 10x38"

    ResponderExcluir
  5. se tiver pagamento deverá ser entregue na mão do destinatário na parte da tarde.

    ResponderExcluir