sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Beltrame pede a Pezão retorno de 2,2 mil policiais às ruas para Olimpíadas

Beltrame pediu a Pezão o retorno temporário, em caráter excepcional, de uns 2.200 policiais civis e militares que estão emprestados a outros órgãos, como a própria Secretaria de Segurança ou o TJ. É para reforçar o efetivo para os Jogos Rio-2016. 

8 comentários:

  1. POLICIAIS MILITARES ARRISCAM A PRÓPRIA VIDA POR MUITO POUCO

    A Polícia Militar precisa ser valorizada e fortalecida, pois POLICIAIS MILITARES DESMOTIVADOS significa SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA. Vale lembrar que o Rio de Janeiro sediará os Jogos Olímpicos de 2016, sendo o reconhecimento pecuniário indispensável, imprescindível para melhorar a qualidade do serviço policial-militar.

    Nas sociedades capitalistas é comum que o valor de um indivíduo seja aferido através do seu poder de compra, e isso tem muito a ver com seus rendimentos – a quantidade de dinheiro que ele consegue adquirir em determinado espaço de tempo. O salário do Policial Militar do Rio de Janeiro é incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas (previstas no inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988).

    Não é à toa que, falando de valorização dos policiais brasileiros, sempre se remete à questão salarial como um problema sério, pois além de garantir elementos essenciais para a sobrevivência, “ganhar bem” concede ao profissional um posicionamento social de relevância. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    A PMERJ pode reclamar bastante dos seus vencimentos, pois são inadequados para as funções exercidas. Os baixos salários desmotivam a tropa e criam desinteresse pela profissão. Um Soldado de Polícia Militar em início de carreira deveria receber vencimentos iniciais de no mínimo R$ 3.518,51 (três mil, quinhentos e dezoito reais e cinquenta e um centavos) mensais, para uma jornada de trabalho de até 144 horas mensais. A questão salarial impacta diretamente na autoestima dos Policiais e na valorização das Polícias. O referido valor foi estimado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), trata-se do Salário Mínimo Necessário referente ao mês de Dezembro/2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Carta Magna.

    Os baixos salários fazem a PMERJ perder oficiais e praças. O idealismo vai esmorecendo, pois já não encontra-se mais comandantes com "C" maiúsculo, dignos de orgulho de seus comandados e os vencimentos não são suficientes para dar uma vida digna à família. A tropa da PMERJ está desmotivada, insatisfeita e tem VERGONHA DO SALÁRIO! Não há justificativa para os BAIXOS SALÁRIOS.

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." O Policial Militar precisa ser valorizado como herói! Em contrapartida, a Polícia Militar deveria acabar definitivamente com a Promoção de Praças por Tempo de Serviço! As Promoções devem ser conquistadas mediante aprovação em concursos internos para o CFC, o CFS e o CAS, bem como a conclusão de um Curso de Ensino Superior. Os Policiais Militares que já concluíram o 3º Grau deveriam receber um acréscimo no salário, como é feito na Guarda Municipal do Rio de Janeiro. Quem se qualificou tem que ser premiado. É a única forma de incentivar o estudo, a qualificação.

    “POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA SÓ É FEITA COM POLICIAIS BEM PAGOS” foi o que disse o então candidato ao Governo do Rio, Sérgio Cabral Filho.

    “O GOVERNANTE QUE DIZ QUE O ESTADO DO RIO NÃO TEM DINHEIRO PARA PAGAR MELHOR SEUS POLICIAIS ESTÁ MENTINDO!” (palavras de Sérgio Cabral em 2006)

    ResponderExcluir
  2. A policia se tivesse o minimo de vergonha na cara largava esse governo de mão...
    Todos aquartelados e ninguém na rua, ate que esse governo aprenda a ter o minimo de respeito pelo ser humano por trás da farda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compartilho da mesma opinião.

      Excluir
  3. kkkk, quero ver voltar, quero ver tirar o papa mike e o papa charlie do tj, detran, cedae....

    ResponderExcluir
  4. tira nada se tirar os pms do tj quem serão os buchas que farao a segurança do predios e dos juizes? lembra que havia a guarda judiciaria e acabou, por conta dos salarios dos caras que o tj achava um absurdo pagar bem a eles. E tendo a pm o tj nao paga nada dizem que é um convenio que o tj paga 400 merreis por policial . Mas pergunte se tem algum policial nas comarcas se recebem alguma coisa, nem o vale alimentação que é dado somente a quem trabalha no palacio da justiça , os demais pms nao recebem. E , agora, vem com essa de tirar o buchas do tribunal kkkkk, sonha pois escravo todo mundo quer e o tj não é diferente

    ResponderExcluir
  5. Eu falo isso há décadas... Mas quem vai contrariar os poderosos que não vivem sem seus PMs e PCs particulares? Esse negócio de a disposição de outro órgão deveria ser proibido por lei. Entrou para a PM, vá fazer policiamento ostensivo; entro para a PC, vá fazer repressão ao crime através da polícia judiciária. Mas aí vem o papo dos "convênios", né? O interesse não é da sociedade, e sim pessoais de autoridades públicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria trazer uma ideia que fará aumentar a receita do Estado e ainda dará uma melhor imagem ao governador perante a sociedade fluminense. É muito simples, na verdade são duas ideias envolvendo a mesma questão, basta regressar os profissionais que estão adidos em outros órgãos, pois sei que são muitos os que se encontram nessa situação. São muitos os Bombeiros, Policiais Civis e Militares e Agentes Penitenciários fora de suas funções, com isso o quadro fica defasado e isso gera uma despesa desnecessária aos cofres públicos, uma vez que esses profissionais recebem dos dois lados, mas exercem apenas uma função. Outra saída seria a criação de uma lei que regulamentasse essa situação e o servidor tivesse apenas um contracheque, ou seja, teria sua remuneração suspensa no órgão de origem e receberia apenas pela função que estivesse exercendo. Acredito que isso faria grande diferença aos cofres públicos.

      Excluir
  6. Quem recebe dois contracheques? Trabalho no TJ e não recebo nada à mais,nenhum centavo à mais.

    ResponderExcluir