sexta-feira, 10 de junho de 2016

Governo do estado do Rio vai pagar salários de maio em parcelas

O governo do estado anunciou nesta sexta-feira (10) que os servidores receberão os salários de maio em parcelas a partir da próxima terça-feira (14), décimo dia útil do mês. Apenas os funcionários da ativa da Secretaria Estadual de Educação foram excluídos do parcelamento e receberão os vencimentos integrais, graças aos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), que só podem ser usados para pagar salários de servidores da ativa.
Com o parcelamento, servidores da ativa, aposentados e pensionistas receberão R$ 1 mil mais 50% da diferença entre o valor líquido do seu vencimento e a parcela de R$ 1 mil. Como exemplo, se um servidor recebe R$ 4 mil líquidos, ele terá em sua conta um depósito de R$ 2.500, que corresponde aos R$ 1 mil mais metade dos R$ 3 mil que ainda terá a receber.
O governo estadual informou que somente na próxima semana terá uma data para pagar o restante dos salários. O desembolso previsto para terça-feira é de R$ 1,1 bilhão, que corresponde a 70% da folha de pagamento de maio, que é de R$ 1,568 bilhão.
A decisão de parcelar os salários do funcionalismo é mais um capítulo da crise das finanças do estado, que em abril assumiu contornos dramáticos após a decisão do governador em exercício, Francisco Dornelles, de adiar para maio o pagamento dos inativos que recebem mais de R$ 2 mil mensais. A medida causou revolta e acabou suspensa por decisão do Tribunal de Justiça (TJ-RJ), que ordenou a quitação dos vencimentos e autorizou o arresto dos recursos necessários das contas do governo estadual.

13 comentários:

  1. Malditos, destruiram as finanças do Estado e nos pagaremos essa conta, isso tudo por falta de união, pois se tivéssemos culhão de parar só 24horas.....

    ResponderExcluir
  2. A covardia continua imperando no RJ graças ao desgovernador DORNELLES.

    ResponderExcluir
  3. Isenções Fiscais de mais de R$ 138,6 bilhões pagaria Servidores do Estado por mais de cinco anos

    O Governo do Estado do Rio de Janeiro precisa cancelar as ISENÇÕES FISCAIS DE R$ 138.619.218.639,09 (CENTO E TRINTA E OITO BILHÕES, SEISCENTOS E DEZENOVE MILHÕES, DUZENTOS E DEZOITO MIL, SEISCENTOS E TRINTA E NOVE REAIS E NOVE CENTAVOS) CONCEDIDAS A DIVERSAS EMPRESAS para poder cumprir as suas obrigações, ou seja, pagar seus servidores em dia!

    Outra coisa, os reajustes salariais são obrigatórios, conforme determina o Inciso IV do Artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo..."). O Salário Mínimo Necessário, de acordo com o referido dispositivo constitucional, é de R$ 3.795,24, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O cálculo é feito mensalmente desde 1994 pelo DIEESE com base em valores da cesta básica. Um Soldado da PMERJ ganha apenas R$ 2.382,89. DEFASAGEM: Salário do SD PM está R$ 1.412,35 abaixo do Salário Mínimo Necessário. Garçom desligado do Palácio do Planalto, onde trabalhava há nove anos, José da Silva Catalão, de 52 anos, recebia um salário líquido de R$ 3.870,00, segundo o Transparência Brasil. Isso explica o quadro de desmotivação dos Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro ate Eu ficaria
      Professor
      Policias
      Bombeiro....
      Risco ganhar mais
      1 o professor sem ele nao existiria nenhuma area

      Excluir
  4. GANHA-SE MUITO POUCO PARA ARRISCAR A VIDA VESTINDO A FARDA DA POLÍCIA MILITAR NO RIO DE JANEIRO

    Garçom desligado do Palácio do Planalto, onde trabalhava há nove anos, José da Silva Catalão, de 52 anos, recebia um salário líquido de R$ 3.870,00, segundo o Transparência Brasil. Seu salário supria todas as suas necessidades vitais básicas, previstas no Inciso IV do Artigo 7º da Constituição Federal, ou seja, estava acima do Salário Mínimo Necessário estimado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos ("despesas com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência"), que corresponde a R$ 3.795,24.

    Soldado da PMERJ recebe um salário bruto de apenas R$ 2.382,89. DEFASAGEM: O salário bruto do SD PM está R$ 1.412,35 abaixo do Salário Mínimo Necessário, o que demonstra o DESCASO do Governo do Estado do Rio de Janeiro com profissionais que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à sociedade fluminense. Com os descontos do Imposto de Renda e do Rio Previdência o salário fica ainda mais defasado. É deprimente, impossível não haver esse quadro de desmotivação dos Policiais Militares! Um Soldado da PMCE, que também não ganha bem, tem salário inicial de R$ 3.135,08.

    Como e quando a sociedade fluminense irá ter um bom aparato policial-militar com o salário de fome que os Policiais Militares recebem? Um Policial Militar, a nível de Soldado iniciante, tinha que ter um salário líquido de no mínimo R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais. Não sei como ainda tem gente disposta a ser Policial Militar com o salário de fome que o Governo do Estado do Rio de Janeiro paga. Se pagassem bem, a PMERJ poderia exigir Nível Superior completo para Soldado e Bacharelado em Direito para Oficial.

    ResponderExcluir
  5. Quem recebe apenas a metade do salário pode trabalhar pela metade também (cumprir 50% da escala)?

    50% de SALÁRIO = 50% de CARGA HORÁRIA... Nem comida tem nos Ranchos da Polícia Militar! Falta combustível para as viaturas... Como exercer bem a função sem receber o MÍNIMO???

    O Salário Mínimo Necessário, de acordo com o Inciso IV, do Artigo 7º, da Constituição Federal de 1988, é de R$ 3.795,24, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O cálculo é feito mensalmente desde 1994 pelo DIEESE com base em valores da cesta básica. Um Soldado da PMERJ ganha apenas R$ 2.382,89. DEFASAGEM: Salário do SD PM está R$ 1.412,35 abaixo do Salário Mínimo Necessário. Garçom desligado do Palácio do Planalto, onde trabalhava há nove anos, José da Silva Catalão, de 52 anos, recebia um salário líquido de R$ 3.870,00, segundo o Transparência Brasil. Isso explica o quadro de desmotivação dos Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro.

    "São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo..."

    ResponderExcluir
  6. Enquanto a pmerj não criar vergonha e entrar em greve, esse abuso vai continuar...

    ResponderExcluir
  7. Todo mundo ferrado, tentando brigar e vcs NADA FAZEM, aliás, pra variar!
    Vcs são uma lenda do RJ. TODO MUNDO INDIGNADO, MANIFESTANDO E VCS......NADA!!! VSF

    ResponderExcluir
  8. VENHAM SENHORES DA PMERJ - - - Juntos somos mais fortes.
    http://www.sosbombeirosrj.com/2016/06/bombeiros-lideram-manifestacao-em.html

    ResponderExcluir
  9. nem o cmt geral e nem o super secretario falou nada até agora....sobre o salario parcelado da pmerj e bm e pc....

    ResponderExcluir