terça-feira, 27 de setembro de 2016

CAOS NA SAÚDE DA FAMÍLIA MILITAR


Não são só os policiais na ativa os prejudicados pelo caos na saúde da polícia militar do estado do Rio de Janeiro, os prejudicados são principalmente os militares da reserva, reformados e dependentes, como esposa, mães e filhos.

Sete oficiais são acusados de participar do esquema de desvio de recursos financeiros pertencentes ao Fundo de Saúde da Polícia Militar do Rio de Janeiro e agora respondem pelos crimes de corrupção passiva, peculato e falsid. ideológica. Entre os envolvidos estão vários oficiais.

Entre os arrolados no caso estão os coronéis da Polícia Militar Ricardo Pacheco, ex-Estado Maior Administrativo, e Kleber Martins, ex-diretor da Diretoria Geral de Administração Financeira (DGAF) da PM, que já estavam presos.

A quadrilha de militares seria responsável pela compra de material que nunca seria entregue, como a aquisição de 18 mil “kits” de substratos fluorescentes para o hospital da polícia militar em Niterói, no valor de R$ 1,7 milhão. O material foi pago, mas nunca foi entregue na instituição.  

Revista Sociedade Militar

Nenhum comentário:

Postar um comentário